Minas Sustentável

Meio Ambiente, cidades sustentáveis

Governo Aécio Neves apresenta diagnóstico da Bacia do Ribeirão da Mata – implementação do Programa de Saneamento Ambiental vai beneficiar um milhão de moradores

Governo Aécio Neves apresenta diagnóstico da Bacia do Ribeirão da MataRepresentantes de prefeituras, órgãos ambientais, governo estadual e sociedade civil reuniram-se, nesta quarta-feira (29), em Belo Horizonte, para conhecer o diagnóstico da Bacia do Ribeirão da Mata, conforme proposição do Programa de Saneamento Ambiental. Os trabalhos foram realizados entre abril de 2008 e julho de 2009, envolvendo profissionais do Governo Aécio Neves por meio da Copasa, Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad)Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional e Política Urbana (Sedru), prefeituras e da empresa contratada pela Copasa para coordenação da pesquisa.

Foram analisados os aspectos hidrológicos, socioambiental, a expansão urbana, o uso e ocupação do solo urbano e rural e as projeções e impactos do cenário demográfico. Também foram realizados estudos técnicos sobre os sistemas de abastecimento de água e esgotamento sanitário, a coleta e disposição de resíduos sólidos, avaliação sobre a recuperação de fundos de vale e sistema de drenagem, assim como levantamentos dos estudos de impactos na bacia advindos dos projetos em curso na região.

A sub-bacia do Ribeirão da Mata, junto com a do Arrudas e Onça, ocupa cerca de 10% da área total da Bacia do Rio das Velhas. Essa representatividade torna a sub-bacia um ponto-chave dentro da Meta 2010, que pretende proporcionar que as pessoas possam navegar, nadar e pescar no Velhas.

De acordo com a coordenadora executiva da Meta 2010, Myriam Mousinho, a partir desse estudo será possível planejar ações para cada uma das cidades por onde passa o Ribeirão da Mata. “Vamos fornecer informações importantes para que as prefeituras possam contribuir com a despoluição da bacia”, diz Myriam.

A iniciativa beneficiará cerca de 1 milhão de moradores dos 10 municípios próximos do ribeirão. Um deles é Pedro Leopoldo, que esteve representado na reunião pelo chefe do Meio Ambiente do município, Mauro Lobato Martins. “Esse relatório é essencial, pois pela primeira vez as prefeituras poderão trabalhar de forma integrada para solucionar um problema que é de todos”, afirma Mauro.

Estações de tratamento

Além de realizar o diagnóstico, a Copasa já vem atuando para dar a sua contribuição para a melhoria da qualidade da água do Ribeirão da Mata. De acordo com o superintendente de Serviços e Tratamento de Efluentes da companhia e gerente Adjunto do Projeto Estruturador do Governo – Meta 2010, Ronaldo Matias, nos municípios já existem 11 Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs) em operação, que tratam 30,79% dos esgotos coletados. Outras duas entrarão em operação em 2009 – Nova Pampulha, em Vespasiano e São José da Lapa.

Segundo Matias, a Copasa está implantando os interceptores e elevatórias para levar os esgotos da cidade de Capim Branco para serem tratados na ETE de Matozinhos. “Em Pedro Leopoldo e no bairro Veneza, em Ribeirão das Neves, as obras já estão licitadas com previsão para início ainda em 2009. Além disto, estão sendo elaborados os projetos das ETEs Tenente, em Santa Luzia e de Ribeirão das Neves”, afirmou.

“Este é um trabalho integrado de diversos órgãos do Estado e da sociedade civil organizada com o propósito de contribuir para o desafio para a revitalização do Rio das Velhas”, ressaltou Matias. Para ele, o Programa de Saneamento Ambiental da Bacia do Ribeirão da Mata é mais uma ferramenta de planejamento do Governo de Minas e dos municípios para prevenir e aliviar impactos ambientais em função de diversos empreendimentos no Vetor Norte como, por exemplo, a Cidade Administrativa, a Linha Verde e o Rodoanel.

A Bacia do Ribeirão da Mata tem uma extensão de cerca de 800 quilômetros quadrados que abrange os municípios de Capim Branco, Confins, Esmeraldas, Lagoa Santa, Matozinhos, Pedro Leopoldo, Ribeirão das Neves, Santa Luzia, São José da Lapa e Vespasiano. Na região encontram-se riquezas naturais, além de um patrimônio espeleológico e paleontológico de relevância internacional.

30/07/2009 Posted by | Sem categoria | , , , , , , , , | Deixe um comentário

23ª Semana Roseana, em homenagem a Guimarães Rosa, terá caminhada ecológica

Em sua vigésima primeira edição, a Semana Roseana conta mais uma vez com a participação do Governo Aécio Neves por meio do Instituto Estadual de Florestas (IEF). O IEF, por meio do Monumento Natural Estadual Peter Lund, realiza no sábado (1º), a partir das 7h, a Caminhada Eco-Literária “A loucura na obra Roseana”. A Semana Roseana acontece entre os dias 29 de julho e 1º de agosto na cidade de Cordisburgo é uma homenagem ao escritor Guimarães Rosa.

De acordo com o gerente do Monumento Natural, Mário Lúcio de Oliveira, a caminhada consiste em um passeio que percorre trechos descritos na obra de Guimarães Rosa. Enquanto os participantes caminham, o grupo de contadores de história “Miguilim” relembram trechos das histórias do renomado escritor e vão guiando o percurso. “É uma mistura de literatura com ecologia. Os participantes aprendem de forma interessante sobre o meio ambiente e sobre as descrições de Guimarães Rosa”, conta o gerente.

Mário de Oliveira explica que o percurso acontece no entorno da Gruta de Maquiné e que será possível perceber a influência da região nos livros de Guimarães Rosa. “É um ganho cultural para todos os interessados, por isso vem tanta gente de outras regiões para prestigiar o evento”, afirma o gerente. A caminhada termina na Gruta onde será servido um almoço para os participantes.

Além da Caminhada Eco-Literária a 21ª Semana Roseana conta com uma programação repleta de atividades culturais e educativas gratuitas. Oficinas, seresta, mostras de filmes, palestras, danças, debates, poesia, literatura, teatro e corrida de aventura que enriquecem a rotina da cidade em quatro dias de programação. Como são várias linguagens artísticas, as atividades envolvem com entusiasmo a comunidade local e os amantes das obras Roseanas, além de aproximá-los das experiências reais vividas pelo escritor.

29/07/2009 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente | , , , , , , | Deixe um comentário

Mais agilidade para obter licenciamento ambiental em Minas – Governo Aécio Neves disponibilizou na internet informações para regularização de empreendimentos

Para facilitar o atendimento aos empreendedores que buscam investir em Minas Gerais, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) disponibilizou, terça-feira (28), novos Termos de Referência Técnicos para regularização ambiental de diferentes empreendimentos. Os documentos estão disponíveis no site www.meioambiente.mg.gov.br.

De acordo com a assessora técnica da Semad, Morgana Menezes, os empreendedores devem utilizar os termos de referência para elaborar estudos ambientais que deverão ser apresentados no processo de regularização ambiental em Minas Gerais. “O objetivo é padronizar os estudos ambientais e oferecer maior agilidade na liberação das licenças, com a conseqüente redução de custos do processo de regularização ambiental”, explica.

Os documentos também serão utilizados pelo projeto Descomplicar, um dos 57 Projetos Estruturadores do Programa “Estado para Resultados” do Governo de Minas Gerais. O objetivo do projeto é facilitar as relações do Estado com os cidadãos, empresas e com o próprio estado, por meio da simplificação de processos de abertura, manutenção e encerramento de empresas.

Dentro do projeto Descomplicar, foram criadas unidades regionais denominadas Minas Fácil. As unidades já foram instaladas em 29 municípios mineiros, por meio de uma parceria ente órgãos estaduais, prefeituras e entidades de classe. Pelo projeto, o empreendedor pode constituir sua empresa em um só local, com um prazo máximo de oito dias após a entrega da documentação.

29/07/2009 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Governo Aécio Neves coloca Minas no seleto clube de produtores de gás natural do país

Minas vai fazer parte do seleto clube de produtores de gás natural do país. A Secretaria de Desenvolvimento Econômico adianta que o primeiro poço será perfurado na bacia do Rio São Francisco

28/07/2009 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente | , , , | Deixe um comentário

Governo Aécio Neves promove Seminário do Programa de Saneamento Ambiental da Bacia do Ribeirão da Mata – encontro vai discutir ações de melhorias ambientais dentro do projeto Meta 2010

Na próxima quarta-feira (29) acontece o Seminário do Programa de Saneamento Ambiental da Bacia do Ribeirão da Mata, com participação de gestores públicos de 10 municípios que integram a bacia. A ação é organizada pelo Governo Aécio Neves por meio do Sistema Estadual de Meio Ambiente (Sisema)Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional e Política Urbana (Sedru) e pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa). O evento será realizado às 8h30, na sede da Copasa, na rua Mar de Espanha, 525, Santo Antônio, Belo Horizonte.

O seminário busca validar com os municípios envolvidos o Programa de Saneamento Ambiental da Bacia do Ribeirão da Mata, que faz parte do Projeto Estruturador do Governo do Estado – Meta 2010. O estudo foi elaborado pela empresa Concremat, contratada em 2008, por meio de um Termo de Cooperação Técnica assinado pela Sedru, Copasa, Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), com a participação dos municípios, do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas e do Sub-Comitê da Bacia do Ribeirão da Mata. O plano possui diretrizes que norteam o trabalho das prefeituras no que tange as suas ações de saneamento ambiental.

Segundo a coordenadora do Projeto Estruturador Meta 2010, Myriam Mousinho, a ação é de grande importância para melhoria da qualidade das águas na bacia do rio das Velhas, uma vez que envolve municípios da área do Vetor Norte da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), área em expansão econômica. “A ação visa ordenar e planejar o crescimento dessa região, bem como promover a preservação da área cárstica, onde ficam importantes sítios arqueológicos”, ressalta Mousinho.

A bacia do Ribeirão da Mata representa a terceira maior fonte poluidora da bacia do rio das Velhas. Nessa região estão localizados os municípios de Capim Branco, Confins, Esmeraldas, Lagoa Santa, Matozinhos, Pedro Leopoldo, Ribeirão das Neves, São José da Lapa, Santa Luzia e Vespasiano, onde vivem cerca de um milhão de pessoas.

A economia da região tem base no extrativismo mineral. Na década de 1950 algumas cimenteiras e indústrias de derivados de calcário também se instalaram ao longo da bacia, assumindo importante papel na economia desses municípios. De forma mais intensa, em São José da Lapa, Lagoa Santa, Matozinhos e Capim Branco se desenvolvem a agricultura de feijão, cana-de-açúcar e milho.

Termo de cooperação Técnica

Em 2008, a Semad, Sedru e Copasa deram um importante passo para recuperação socioambiental da bacia do rio das Velhas ao assinaram Termo de Cooperação Técnica para elaboração do Programa de Saneamento Ambiental para a Bacia do Ribeirão da Mata. Também participaram da elaboração do programa o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas, o Consórcio dos Municípios da Bacia do Ribeirão da Mata e as prefeituras que fazem parte desta sub-bacia.

O programa terá como produtos planos de ação nas áreas de fornecimento de água, esgotamento sanitário, drenagem, disposição de resíduos sólidos, recuperação de fundos de vales e uso e ocupação do solo. O trabalho define também, por meio de mapas georreferenciados, as áreas com maior potencialidade para ocupações futuras e o tipo indicado de uso do solo, considerando as orientações do Zoneamento Ecológico Econômico (ZEE), dos planos diretores municipais e critérios para áreas cársticas e sítios arqueológicos. Estão previstas para 2009 a entrada em operação de mais uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) em Vespasiano e a ampliação da rede coletora em vários municípios da sub-bacia do Ribeirão da Mata.

Segundo a coordenadora da Meta 2010, Myriam Mousinho, os estudos que irão subsidiar as ações do programa foram iniciados em julho de 2008. “O Ribeirão da Mata é a terceira maior fonte de poluição do Rio das Velhas, além de ter impacto na frágil área cárstica de Lagoa Santa, por isso, vamos realizar um grande trabalho de recuperação ambiental. Além do programa de saneamento, também vamos realizar trabalho de recuperação de matas ciliares e da cobertura florestal e ações de educação ambiental”, detalha Mousinho.

Unidades de Conservação

Ficam localizados na região da sub-bacia do Ribeirão da Mata, o Parque Estadual Serra Verde e o Parque Estadual do Sumidouro, que são os maiores representantes do Sistema de Unidades de Conservação (UC), implantados na parte norte da RMBH após o início do processo de instalação da Cidade Administrativa do Governo de Minas e da Linha Verde. Essas Unidades, além da Área de Proteção Ambiental Carste de Lagoa Santa, administrada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), se constituem como fundamentais para a conservação da biodiversidade da região.

O Parque Estadual Serra Verde, criado em dezembro de 2007, tem grande importância na conservação dos recursos hídricos. As diversas nascentes encontradas em sua área são fundamentais para o abastecimento do sistema de lagoas que a região possui, além de ser um importante fragmento de área verde na malha urbana da cidade. A UC representa o segundo maior parque de Belo Horizonte, menor apenas que o Parque Municipal das Mangabeiras. A expectativa é que um público grande passe a visitar a unidade, devido à proximidade com a Cidade Administrativa, em fase de construção, além da grande população do seu entorno. A Unidade já possui uma sede administrativa e oferecerá atividades de educação e interpretação ambiental.

O Parque Estadual do Sumidouro foi criado em 1980 com o objetivo de preservar o patrimônio cultural e natural existente na região de Confins. O parque é bastante conhecido pela sua utilização turística devido à presença de grutas como a da Lapinha e a Arruda, além da Lagoa do Sumidouro, o aspecto hidrológico mais importante da região, com aproximadamente 15 km de perímetro. Além dessas unidades a região possui ainda o Monumento Natural Estadual Peter Lund, em Cordisburgo, e três Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPN) em Pedro Leopoldo e Santa Luzia.

28/07/2009 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente, Responsabilidade Social, Sem categoria | , , , , , , | Deixe um comentário

Centro Mineiro de Referência em Resíduos mostra esculturas produzidas com sucatas e peças de automóveis

Expressão corporal e muita criatividade unem a sucata à mais bela forma de expressar a maneira impulsiva de enxergar uma realidade. É dessa forma, que o artista plástico Waldir Sérgio confecciona suas peças que possuem caráter único e que integram a exposição “Artes das Aparas”, que o Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR)abre nesta terça-feira (28), às 19h.

A exposição mostra esculturas produzidas com sucatas e peças de automóveis. As obras ficarão disponíveis para visitação por três meses, de segunda à sexta-feira, das 9h às 18h. A entrada é gratuita.

Nascido em Ouro Preto e residente em Belo Horizonte, Waldir mostrou interesse pelas artes muito jovem começando com esculturas em pedra sabão, passando para a madeira e até chegar ao material que utiliza hoje. Por ser considerado um artista impulsivo, não costuma esboçar uma peça antes de produzi-la; normalmente são feitas no momento em que a idéia surge e as obras são caracterizadas por sua estética expressionista.

Acompanhar a exposição desse artista que transforma sucata em obra de arte é uma ótima oportunidade de refletir sobre a reutilização e reciclagem dos resíduos e conhecer o CMRR, localizado na rua Belém nº 40, bairro Esplanada, em Belo Horizonte.

O CMRR é uma ação concreta do governo de Minas em resposta à necessidade de mudança de hábitos e atitudes para o uso racional dos recursos naturais.

Informações: (31) 3465.1209

28/07/2009 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente | , , , , | Deixe um comentário

Projeto de biocombustível da Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais é visitado por missão europeia

O Governo Aécio Neves por meio da Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais (Cetec) recebeu, segunda-feira (27), a visita do embaixador da União Europeia e chefe da Delegação da Comissão Européia no Brasil, João José Soares Pacheco, e do chefe do Setor de Cooperação em Ciência e Tecnologia da Delegação da Comissão Européia no Brasil, Angel Landabaso Alvarez. O objetivo da visita foi conhecer os projetos desenvolvidos pela fundação na área de biocombustíveis, principalmente aquele gerado do pinhão manso.

Na ocasião, os representantes da União Européia conheceram o projeto de criação do Centro de Inovação em Bioenergia (Bioerg) e acompanharam a produção de biodiesel na Planta Piloto de Biocombustíveis do Cetec.

O diretor do Cetec, Marcílio César de Andrade, explicou aos visitantes que a Fundação desenvolve vários trabalhos na área de combustíveis, merecendo destaque a parceria com a Agência Nacional de Petróleo (ANP) na realização da qualidade dos combustíveis em todo o Estado.

De acordo com o embaixador João José, até 2020, 27 estados-membros da União terão de enfrentar o desafio de utilizarem combustíveis renováveis em 10% de sua frota, o que faz com que seja interesse da Comissão conhecer o que está sendo desenvolvido nessa área em todo o país.

28/07/2009 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente | , , , , , , | Deixe um comentário

Projeto leva educação ambiental para comunidades que vivem nas trilhas da Estrada Real

Os integrantes do “Projeto Caminho Velho, Mundo Novo” partiram nesta sexta-feira (24) de Ouro Preto, no Circuito do Ouro, na Região Central de Minas Gerais, em direção a Paraty, no Rio de Janeiro. A expedição é formada por 11 ciclistas e conta com o apoio do Governo Aécio Neves por meio da Secretaria de Estado de Turismo (Setur). O objetivo é mobilizar e sensibilizar as comunidades que integram este trecho da Estrada Real, por meio de palestras educativas, sobre o meio ambiente e o turismo na Estrada Real.

Os participantes da expedição percorrerão um trajeto de 630 quilômetros do Caminho Velho da Estrada Real, passando por 33 cidades. Serão realizadas palestras em nove municípios. A primeira aconteceu na manhã desta sexta-feira, em Ouro Preto, pouco antes da partida, quando os participantes falaram para os motoristas de táxi e guias de turismo da cidade.

Para o coordenador do “Projeto Caminho Velho, Mundo Novo”, o fisioterapeuta Raoni Rocha, a missão do grupo vai muito além do que pedalar por centenas de quilômetros. “Queremos conscientizar as populações do Caminho Velho da Estrada Real sobre as questões ligadas ao meio ambiente e ao turismo interno, já que vem aumentando o fluxo de turistas nas regiões onde vivem.”

Segundo o analista de turismo da Setur, Gabriel Salgado, esta foi a principal razão que levou a Secretaria de Estado de Turismo a apoiar o projeto. “As comunidades ao longo do Caminho Velho precisam compreender o turismo, como uma atividade que pode garantir melhor qualidade de vida gerando emprego e renda, mas também devem estar conscientes das questões ambientais. Assim, elas poderão receber o turista com a hospitalidade de sempre e atentas para a preservação do meio ambiente”, concluiu.

De acordo com o pediatra André Luis Lacerda, integrante da expedição, o grupo quer dar outro recado com esta iniciativa. “O nosso slogan é deixe o carro em casa e vá de bicicleta. Sou médico e era sedentário até integrar o projeto. Andar de bicicleta é bom para a saúde e para o meio ambiente. Como atualmente também estudo arquitetura, o curso me despertou para o fato de que existem soluções viáveis para reduzir a poluição nos centros urbanos e utilizar a bike, em determinadas situações, é uma delas.”

Levantamento ambiental

Entusiasmados com a expedição, quando ainda estava na fase de planejamento, o grupo levou a idéia ao conhecimento do promotor Marcos Paulo de Souza Miranda, da Promotoria Estadual de Defesa do Patrimônio Histórico e Turismo. Ele apoiou a proposta e orientou que seria importante aproveitar a ocasião para fazer um levantamento ambiental no trajeto.

A sugestão foi aceita. O engenheiro ambiental, Leonardo Collet, integrante da expedição, além de pedalar sua bike, fará uma série de anotações ao longo da viagem. “Estamos registrando, em todos os lugares que passamos, as informações básicas sobre cada localidade, os rios, as áreas de preservação, os tipos de vegetação e os morros. A meta é, depois da expedição, analisar os dados para mensurar os indicadores e resultados do nosso trabalho”, explicou.

Para realizar a tarefa, Leonardo contará ainda com a ajuda do engenheiro mecânico, José Flaviano Issa, mais conhecido como Zeca, que vai fotografar toda a viagem e conduzir o carro de apoio. O grupo se preparou por quatro meses para a expedição, pedalando na Serra do Cipó (Santana do Riacho), Macacos (Nova Lima) e Casa Branca (Brumadinho). A alimentação seguirá o cardápio preparado por um nutricionista. As refeições serão nas paradas de repouso e ao longo do dia muita fibra – pão integral, granola e complemento alimentar. Os intervalos para descanso, durante o dia, são realizados a cada 20 quilômetros percorridos.

A expedição chegará no final da tarde desta sexta-feira (24) em Cristiano Otoni, onde passará a noite, após percorrer 85 quilômetros. Nesta sexta-feira, às 19h, os expedicionários fazem palestra para a comunidade local. Nos demais dias, as palestras acontecerão no mesmo horário, sempre nos pontos de parada para dormir, na seguinte ordem: Lagoa Dourada, São João del-Rei, Capela do Saco (distrito de Carrancas), Cruzília, Passa Quatro, em Minas Gerais; na cidade de Guaratinguetá, no Estado de São Paulo, e no destino final Parati, no Rio de Janeiro. No decorrer do caminho, haverá distribuição de material informativo da Secretaria Estadual de Turismo, da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, do Instituto Estrada Real, além de sorteio de alguns brindes.

O secretário de Turismo de Ouro Preto, Gleiser Boroni, disse que agora espera a volta do grupo para saber os resultados do “Projeto Caminho Velho, Mundo Novo”. “Ações como esta são muito importantes porque, além de conscientizar as pessoas para o turismo interno, alertam para a poluição produzida pelos carros. E é muito oportuno que isso ocorra já que acabamos de implantar na cidade o Estacionamento Rotativo. A melhora no trânsito já é visível. Quando eles tiverem o resultado da expedição, vamos articular um encontro para que o relatório final seja entregue ao prefeito Angelo Oswaldo”, finalizou.

27/07/2009 Posted by | Ação Sustentável, Cidadania, Meio Ambiente | , , , , , , | 1 Comentário

Uso da água do Rio das Velhas é fiscalizado pelo Instituto Mineiro de Gestão das Águas

Entre os dias 20 e 24 de julho, cinco equipes com técnicos do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) e da Polícia Militar (PMMG) de Meio Ambiente percorreram rios de Corinto, Várzea da Palma, Morro da Garça, Lassance, Buenópolis e Augusto de Lima, todos da Bacia do Rio das Velhas, em uma fiscalização quanto ao uso regular da água. A ação faz parte da Campanha de Regularização do Uso da Água em Minas Gerais, Água: Faça o uso legal.

Dos 140 pontos verificados, 85% estavam irregulares. Antes da fiscalização, foram feitas palestras na Bacia para explicar sobre a regularização do uso da água e avisar que os técnicos iriam retornar para fiscalizar.

Além da outorga e do certificado de uso insignificante, que são instrumentos formais de regularização de uso da água, o Igam trabalha desde 2007 com o Registro de Uso da Água, que é gratuito e garante uma regularidade temporária. O prazo para o registro termina na próxima sexta-feira (31). A partir desta data, os usuários registrados serão convocados para regularização formal junto ao Instituto.

O Registro faz parte da Campanha, uma ação pioneira de Minas que visa dar uma oportunidade para os usuários de água buscarem a regularização do uso dos recursos hídricos junto ao Estado, de forma simplificada e gratuita.

Em 2009, a campanha também tem atuado na verificação dos usos de água em outras duas bacias, a dos Rios Pomba e Muriaé, e dos Afluentes do Alto Paranaíba. As ações de fiscalização são coordenadas pela Gerência de Monitoramento e Fiscalização do Igam.

Registro do Uso da Água

A Campanha teve início em 2007 e sua primeira etapa consistiu na realização do Registro de Uso da Água, um instrumento de regularização temporária, que foi recebido pelo Igam até 31 de dezembro de 2008 e que está com prazo reaberto, de 31 de março a 31 de julho de 2009. Portanto, os usuários que ainda não se registraram podem procurar a Polícia Militar de Meio Ambiente ou uma Superintendência Regional de Meio Ambiente ou, ainda, uma das entidades parceiras, como sindicatos e prefeituras ou fazer o Registro on line no site http://www.igam.mg.gov.br.

27/07/2009 Posted by | Ação Sustentável, Água, Meio Ambiente, Sem categoria | , , , , | Deixe um comentário

Biocombustível é tema de congresso organizado pelo Governo Aécio Neves

Congresso de biombustível e organizado pelo Governo Aécio NevesO 6º Congresso Brasileiro de Plantas Oleaginosas, Óleos, Gorduras e Biodiesel, entre os dias 24 e 28 de agosto próximo, em Montes Claros, será promovido pelo Governo Aécio Neves, por meio do Arranjo Produtivo Local (APL) de Biocombustíveis da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes). O evento, tradicionalmente organizado pela Universidade Federal de Lavras (Ufla), é uma referência nacional na pesquisa destas áreas e terá a presença de profissionais da Rede Brasileira de Biocombustíveis, durante as mesas redondas e clínicas tecnológicas.

Haverá palestras técnicas, feiras de negócio com produtos, processos e insumos para cadeia produtiva do biodiesel. O congresso prevê visitas à Usina de Biodiesel da Petrobras e unidades de extração. Também serão ministradas eco-oficinas, ou seja, oficinas e teatros de educação ambiental para alunos do ensino fundamental, ressaltando a importância da reciclagem e da boa utilização do óleo. Especialistas em biodiesel e óleos vegetais dos países do Mercosul vão trocar experiências e apresentar alguns avanços tecnológicos.

No dia 27 de agosto, ao lado da feira de negócios, será montado um anfiteatro com entrada franca para os agricultores, onde ocorrerão 10 simpósios com questões práticas de plantio das culturas oleaginosas, do uso do biocombustível, unidades de extração de óleos, entre outros. Cada agricultor poderá escolher uma palestra para assistir. Haverá, também, mesas redondas explicando o cenário de produção de oleaginosas com foco na assistência técnica, crédito e zoneamento rural.

Mais informações: http://oleo.ufla.br ou (35) 3829-1364

O 6º Congresso Brasileiro de Plantas Oleaginosas, Óleos, Gorduras e Biodiesel, entre os dias 24 e 28 de agosto próximo, em Montes Claros, será promovido pelo Governo de Minas , por meio do Arranjo Produtivo Local (APL) de Biocombustíveis daSecretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes). O evento, tradicionalmente organizado pela Universidade Federal de Lavras (Ufla), é uma referência nacional na pesquisa destas áreas e terá a presença de profissionais da Rede Brasileira de Biocombustíveis, durante as mesas redondas e clínicas tecnológicas.

Haverá palestras técnicas, feiras de negócio com produtos, processos e insumos para cadeia produtiva do biodiesel. O congresso prevê visitas à Usina de Biodiesel da Petrobras e unidades de extração. Também serão ministradas eco-oficinas, ou seja, oficinas e teatros de educação ambiental para alunos do ensino fundamental, ressaltando a importância da reciclagem e da boa utilização do óleo. Especialistas em biodiesel e óleos vegetais dos países do Mercosul vão trocar experiências e apresentar alguns avanços tecnológicos.

No dia 27 de agosto, ao lado da feira de negócios, será montado um anfiteatro com entrada franca para os agricultores, onde ocorrerão 10 simpósios com questões práticas de plantio das culturas oleaginosas, do uso do biocombustível, unidades de extração de óleos, entre outros. Cada agricultor poderá escolher uma palestra para assistir. Haverá, também, mesas redondas explicando o cenário de produção de oleaginosas com foco na assistência técnica, crédito e zoneamento rural.

Mais informações: http://oleo.ufla.br ou (35) 3829-1364

27/07/2009 Posted by | Ação Sustentável, Cidadania, Meio Ambiente | , , , , , , | Deixe um comentário