Minas Sustentável

Meio Ambiente, cidades sustentáveis

Aécio Neves concede entrevista após abertura da pré Conferência Mundial sobre Mudanças Climáticas realizada em Belo Horizonte

Aécio e Minc na pré Conferência Mundial sobre Mudanças ClimáticasSobre esse evento, meio ambiente.

Na verdade, Minas quer estar na vanguarda dessa meta. Viemos aqui hoje dizer que Minas está dentro da meta de 2020, temos feito uma série de ações em nível de Estado, temos acompanhado o esforço do ministro Minc em nível federal, e acho que essa conferência é uma oportunidade de um alerta, um alerta a mais ao país.

A questão ambiental hoje não é uma questão apenas de preservação do meio ambiente, não é apenas uma questão de ordem política, é uma questão ética e tem que ser compreendida como tal. Por isso, organizamos aqui esse evento com a presença extremamente significativa de pesquisadores, de cientistas, lideranças políticas ligadas à questão ambiental.

Acho que a política e a ciência devem, cada vez, estar mais juntas, porque a ciência nos aponta o caminho a seguir e a política cria condições para que possamos seguir esse caminho.

Portanto, um evento da maior importância, prestigiado pelo ministro do Meio Ambiente que vem fazendo também um trabalho muito importante nessa área. Acho que Minas se coloca, a partir de hoje, em uma posição vanguardista, na posição de frente para ajudar o Brasil alcançar a sua meta, não apenas em 2050, mas já em 2020.

Tem alguma medida concreta nesse aspecto?

Uma série de medidas que, inclusive, estão sendo hoje aqui anunciadas. Um conjunto de ações que já estão em curso. Minas Gerais, na verdade, vem diminuindo em muito a sua área de desmatamento. Temos um conjunto de ações em relação a resíduos sólidos, em relação à nossa matriz energética, que é a mais limpa matriz energética do mundo, as nossas novas experiências através da nossa companhia de energia, tanto no campo eólico, termelétricas movida a lixo, enfim, uma série de iniciativas que, eu acredito, podem inspirar, inclusive, outros estados brasileiros. Estou extremamente feliz com a dimensão que essa conferência tomou e com as ilustres presenças que estamos aqui hoje recebendo.

O senhor como presidente vai manter essas metas? Se passar nas prévias do partido e se tornar presidente.

Seria uma pretensão eu falar como presidente da República. Acho que não há como alguém se eleger presidente do Brasil sem um comprometimento absolutamente claro com essas metas. Isso deixou de ser uma opção, é de necessidade absoluta e acho que o Brasil passa ter cada vez mais uma responsabilidade mundial pelas iniciativas que aqui tem tomado e acredito que o próximo governo terá ainda melhores condições de avançar em maior velocidade na direção das metas de 2020.

Portanto, essa não é uma questão partidária, essa não é uma questão pessoal, é uma absoluta necessidade e como eu disse, sobretudo, uma questão ética. Garantirmos que o país cresça, se desenvolva, gere emprego e renda, mas preservando o meio ambiente.

Anúncios

05/08/2009 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente, Responsabilidade Social, Sem categoria | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Minas Gerais é o primeiro estado a aderir à campanha, lançada pela ONG State of the World Forum durante a abertura da Conferência Preparatória para a Convenção Mundial sobre Mudanças Climáticas

Apresentação do Valores de Minas na pré Conferência Mundial para Mundanças ClimáticasO governador Aécio Neves assinou nesta terça-feira (4), no Palácio das Artes, a adesão do Estado de Minas Gerais à Campanha de Liderança Climática 2020, que propõe a redução em 80% das emissões de gases de efeito estufa nos próximos dez anos. Minas foi o primeiro estado do mundo a aderir à campanha, lançada pela ONG State of the World Forum, durante a abertura da Conferência Preparatória para a Convenção Mundial sobre Mudanças Climáticas, que acontece em Belo Horizonte até sexta-feira (7).

“Precisamos reconhecer que cada um de nós tem a sua própria responsabilidade nesse processo e precisamos parar de delegá-la a outros, sejam eles governantes, especialistas ou organismos internacionais. Precisamos parar de transferir responsabilidade e começarmos a exercê-la, individualmente, coletivamente, cotidianamente”, defendeu o governador Aécio Neves, em seu discurso.

Durante a conferência em Belo Horizonte serão realizadas sessões de trabalho com a participação de 160 ambientalistas e cientistas de 20 países. Os trabalhos em Minas Gerais são o ponto de partida para uma campanha mundial visando a conscientização de pessoas, empresas e governos sobre as mudanças climáticas. A convenção mundial sobre o tema acontece em fevereiro de 2010, em Washington.

Políticas Públicas

Minas Gerais foi escolhida para sediar a conferência e o lançamento da campanha por já desenvolver políticas ambientais que reduzem o impacto da emissão de gases poluentes.

O Estado apresenta resultados significativos com a queda do desmatamento, o aumento das áreas verdes protegidas, tratamento adequado ao lixo e recuperação da qualidade das águas das bacias hidrográficas do Estado. Minas também se destaca com a instalação da Câmara de Energia e Mudanças Climáticas e com a Lei Estadual de Resíduos Sólidos, considerada um marco legal no Brasil.

“Minas também inovou ao lançar, no ano passado, o primeiro Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa, mapeando os principais segmentos produtivos, de acordo com a metodologia sugerida pelo Painel Intergovernamental de Mudança do Clima. E estamos decididamente empenhados em tornar as fontes de energia limpa cada vez mais dominantes em nossa matriz energética, substituindo a energia produzida a partir de combustíveis fósseis”, garantiu o governador.

Aécio Neves disse ainda esperar que mais iniciativas com relação à redução na emissão de gases sejam adotadas no Brasil, por iniciativa do governo federal.

“Manifesto a minha expectativa de que o governo federal assuma diante do mundo e de todos os brasileiros uma postura mais decidida, mais firme, do tamanho do nosso país, da dignidade dos brasileiros e da nossa responsabilidade. Diria que não podemos permitir que, em pleno século XXI, o desmatamento e as queimadas respondam por percentuais tão altos das emissões de gases de efeito estufa em nosso país”, cobrou o governador.

Encontro

Para o presidente do State of the World Forum, Jim Garrison, a adesão de governos municipais, estaduais e federais à proposta de reduzir em 80% as emissões até 2020, e não mais até 2050, é fundamental para evitar o aumento na temperatura média do planeta.

“Essa é uma oportunidade para cientistas e ambientalistas olharem para o problema porque 2050 será muito tarde. O que nós precisamos agora são de lideranças climáticas em toda família, comunidade, cidade, empresa. Somos todos responsáveis pelo aquecimento global”, disse Garrison, em seu pronunciamento.

Entre as propostas defendidas pela ONG estão a redução da dependência dos combustíveis fósseis, implementação de eficiência energética, criação e utilização de tecnologias limpas, desenvolvimento de energias renováveis, limpeza dos sistemas naturais, criação de estilos de vida sustentáveis e criação de uma cultura de crescimento sustentável.

No Brasil, uma campanha de educação pública sobre aquecimento global começa a ser veiculada pelas Organizações Globo. Durante a abertura desta terça-feira, o vice-presidente das Organizações Globo e presidente da Fundação Roberto Marinho, José Roberto Marinho, apresentou as peças que serão veiculadas.

Performance

Durante a abertura da conferência, os alunos do Valores de Minas, programa doServiço Voluntário de Assistência Social (Servas), apresentaram a performance “Artigo 56”. O nome do espetáculo é uma referência ao documento do ano de 1829, da Câmara Municipal de Mariana, que decretava pena de oito dias de cadeia e pagamento de 6.000 réis para quem queimasse campos, matas e florestas.

A apresentação mesclou dança, teatro e música ao vivo. O figurino e o cenário foram confeccionados nas próprias oficinas do Valores. Os alunos participaram ativamente do projeto, já que o programa trabalha com laboratórios coletivos de criação.

O Valores de Minas foi criado em 2005 para oferecer a jovens mineiros oportunidades de crescimento por meio de oficinas artístico-culturais de teatro, circo, dança, música e artes plásticas e recebe, a cada ano, centenas de estudantes. O Valores de Minas já formou 1.950 pessoas, entre alunos, multiplicadores, professores de arte da rede estadual e ex-alunos que fizeram o curso de extensão.

As atividades do Valores de Minas acontecem no Espaço Plug Minas, um centro de formação e experimentação digital onde estudantes das diversas escolas da rede pública do estado, aprendem a lidar com os mais variados aspectos da tecnologia e da cultura digital.

Também participaram da abertura a vice-prefeitura de Londres, Nicki Gavron, o embaixador extraordinário do Brasil para Mudanças Climáticas, Sérgio Serra, o coordenador do Egito na ONU para o Programa Global de Facilitação para as questões do Meio Ambiente, Mounir Tabet, o presidente do Instituto Ethos, Ricardo Young, o secretário de Estado de Meio Ambiente, José Carlos Carvalhoe o prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda.

05/08/2009 Posted by | Meio Ambiente, Responsabilidade Social | , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Governo Aécio promove regularização fundiária para 60 agricultores familares que participam do Projeto Jaíba, no Norte de Minas

“O que é bom nunca vem tarde”. Com estas palavras, o produtor Romeu Dias dos Santos exprimiu sua felicidade ao receber do Governo Aécio Neves por meio da Fundação Rural Mineira (Ruralminas), a escritura do seu lote de cinco hectares, situado na Etapa 1 do Projeto Jaíba. Romeu foi um dos 60 agricultores familiares, que receberam, nesta terça- feira (4), no Norte de Minas, as escrituras dos terrenos onde estão assentados. A Ruralminas é a proprietária das terras públicas, onde o projeto está instalado e, ao repassar o documento, possibilita às famílias a legalização do domínio dos lotes.

O lote B1-19 é mais que um código de identificação do terreno para Romeu. Foi neste pedaço que chão, que ele chegou há 14 anos, vindo de Janaúba , a cerca de 180 km, disposto a tocar a vida no perímetro irrigado do Projeto Jaíba. Casado e pai de sete filhos, é dessa área que o produtor tira o sustento da família, com o plantio de limão, feijão, milho e hortaliças.

Segundo o presidente da Ruralminas, Celso Cota Neto, a entrega das escrituras é a concretização de um sonho antigo dos moradores, sendo que a meta é encurtar o prazo de entrega desses documentos. De posse do documento, o passo seguinte para as famílias se constituírem donas dos lotes é o registro da escritura em cartório para que seja efetivada a transferência de propriedade.

O presidente da Ruralminas está visitando as áreas do projeto, nesta primeira semana de agosto, acompanhado de equipe técnica. A Fundação pretende realinhar as ações, e agregar parcerias com instituições para que o Projeto de Irrigação do Jaíba seja cada vez mais uma atividade que gere emprego e renda, e movimente o comércio local, se consolidando como pólo agregador de desenvolvimento na região. Para Celso Cota, o apoio ao Jaíba é uma orientação do Governo Aécio Neves, e a Ruralminas vai viabilizar as ações necessárias para que os resultados sejam alcançados.

05/08/2009 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente | , , , , , , | Deixe um comentário

Comitê da Bacia Hidrográfica (CBH) dos afluentes mineiros dos Rios Mogi-Guaçu e Pardo concluem primeira etapa do plano diretor

O Comitê da Bacia Hidrográfica (CBH) dos afluentes mineiros dos Rios Mogi-Guaçu e Pardo, no Sul de Minas, finalizou a primeira etapa do Plano Diretor de Recursos Hídricos da Bacia Hidrográfica. O primeiro produto traz o diagnóstico ambiental da região, a situação dos recursos hídricos, a caracterização física e biótica, além de aspectos socioeconômicos. O material será apresentado à sociedade em reunião pública no dia 27 de agosto, de 9h30 às 17h, na cidade de Ouro Fino, a 439 quilômetros de Belo Horizonte.

A coordenadora do grupo de acompanhamento de elaboração do Plano, Ângela Maria dos Santos, explica que a participação da população local na discussão sobre o gerenciamento dos Rios Mogi-Guaçu e Pardo é de extrema importância para o desenvolvimento e implementação do plano. “Nós fazemos um levantamento de dados que mostram como a bacia está atualmente, como estará daqui alguns anos e como usá-la com sustentabilidade, mas para saber das necessidades da comunidade ninguém melhor que os moradores regionais para apontá-las”, ressalta Ângela.

O Plano Diretor é um instrumento de gestão para a bacia hidrográfica. O levantamento de dados mostrará as condições hídricas e climáticas para que seja elaborada uma estratégia de uso dos recursos hídricos da bacia. “O Comitê deve planejar para que não falte nem em quantidade nem em qualidade”, afirma a coordenadora.

Segundo Santos, a previsão é de que até o final de 2009 o Plano Diretor esteja fechado para aprovação do Conselho Estadual de Recursos Hídricos (CERH). “O principal benefício de se fazer esse planejamento é a possibilidade de usufruir dos recursos hídricos disponíveis de forma sustentável, procurando atender a comunidade sem prejudicar o meio ambiente”, destaca a coordenadora. Para ampliar a participação social em todas as etapas de elaboração do documento, serão promovidas mais duas rodadas de reuniões públicas ao longo do segundo semestre.

Planos Diretores de Bacias

O Plano Diretor é um instrumento de gestão da Política Estadual de Gestão de Recursos Hídricos, estabelecido pela Lei 13.199/99, que tem o objetivo de definir a agenda de recursos hídricos para as bacias hidrográficas, identificando ações de gestão, programas, projetos, obras e investimentos prioritários, com a participação dos poderes públicos, estadual e municipal, da sociedade civil e dos usuários, tendo em vista o desenvolvimento sustentável da bacia.

OGoverno Aécio Neves por meio do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) tem como meta elaborar até o final de 2010 todos os Planos de Recursos Hídricos das 36 Unidades de Planejamento e Gestão de Recursos Hídricos do Estado (UPGRH). Hoje existem 34 UPGRH’s com seus comitês já instituídos. Dentre estas unidades, têm-se sete Planos Diretores concluídos, doze em elaboração e quatro em fase de contratação.

Serviço:

Consulta Pública – Plano Diretor da Bacia Hidrográfica dos rios Mogi-Guaçu e Pardo

Data: 27/08/09

Horário: 09h30 às 17h00

Local: Teatro Municipal de Ouro Fino

Rua Geraldo Pinto Ribeiro, 57, Centro, Ouro Fino, Minas Gerais.

05/08/2009 Posted by | Ação Sustentável, Água, Meio Ambiente | , , , , , , , | Deixe um comentário

Eficiência energética: Conjunto Habitacional de Betim terá sistema de aquecimento solar controlado pela Cemig – 330 residências serão beneficiadas

Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) inaugura, nesta quarta-feira (5), às 18h30, sistemas de aquecimento solar em 330 residências do Conjunto Habitacional Celso Alves Pedrosa, em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). O projeto, aprovado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), foi concluído em maio e contou com investimentos da ordem de R$ 500 mil. Os recursos são provenientes do Programa de Eficiência Energética da Cemig.

A iniciativa faz parte do projeto Aquecimento de Água com Energia Solar em Conjuntos Habitacionais, promovido, desde 2002, pela empresa. Os sistemas instalados têm capacidade para aquecer 200 litros de água, suficientes para abastecer cinco banhos diários. Nos dias mais frios, o equipamento é uma alternativa – pode funcionar fora do horário de ponta, entre 18 e 22 horas, com o auxílio de chuveiros elétricos de baixa potência.

Redução da demanda

Levantamentos da Cemig indicam que, em decorrência da substituição dos chuveiros elétricos por sistemas de aquecimento de água, ocorre uma diminuição de aproximadamente 185 kW da demanda no horário de ponta. Isso gera redução no consumo de energia em cerca de 270 MWh/ano.

De acordo com Davidson Andreoni Rocha, técnico em processo e uso final da energia, da Cemig, a instalação desse tipo de sistema é voltada para conjuntos de casas populares, como aquelas construídas pela Companhia de Habitação do Estado de Minas Gerais (Cohab/MG), que localizam-se em regiões de baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), cujo consumo médio é de 150 kWh/mês, e onde também se verificam problemas relacionados ao fator de carga regional.

Sem custos

Os equipamentos são adquiridos e instalados pela Cemig sem custos tanto para a Cohab quanto ao proprietário. “Cada sistema, que tem custo médio de R$ 1.500,00, deve reduzir o consumo em 52 kWh por mês, o que representa uma economia de 40% no consumo total de energia do cliente”, ressalta Andreoni. Além disso, explica, há diminuição da potência no horário de ponta, possibilitando alívio de carga nos sistemas elétricos com altos carregamentos.

A Cemig vem pesquisando a tecnologia dos aquecedores solares desde 1986. Com essa iniciativa, a empresa estimula a melhoria dos equipamentos, apóia a pesquisa e já viabilizou mais de 7.000 m² de coletores solares, ou seja, cerca de 3.500 residências populares foram beneficiadas.

O Conjunto Habitacional Celso Alves Pedrosa fica na rua Hercílio E. Santos, bairro Duque de Caxias, em Betim.

05/08/2009 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente, Responsabilidade Social Corporativa | Deixe um comentário