Minas Sustentável

Meio Ambiente, cidades sustentáveis

IEF Minas lança campanha de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais

Aeronave do IEF durante força-tarefa de combate a incêndio florestalO Projeto de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais (Previncêndio) do Instituto Estadual de Florestas (IEF) lança, nesta sexta-feira (14), a campanha de prevenção a incêndios florestais em Minas Gerais. O objetivo é trabalhar de forma educativa junto às comunidades que vivem no entorno das Unidades de Conservação (UCs) estaduais a fim de alertar sobre os riscos de se promover queimadas. O evento acontece no Parque Estadual Serra do Rola-Moça, às 15h, entrada pelo bairro Barreiro.

Estarão presentes no lançamento o secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, José Carlos Carvalho, o diretor Geral do IEF, Humberto Candeias, a diretora de Áreas Protegidas do IEF, Nádia Aparecida Araújo e a gerente do Previncêndio, Cláudia Melo. Durante o evento, serão apresentados os equipamentos usados no combate aos incêndios florestais e as aeronaves e veículos da Força-Tarefa.

Inicialmente, 20 municípios mineiros foram escolhidos como alvo da campanha. De acordo com a gerente do Previncêndio, Cláudia Melo, as cidades selecionadas foram as que mais registraram focos de calor em áreas de UCs e seu entorno. “Começaremos o trabalho nesses municípios a fim de conscientizar a população sobre a responsabilidade que cada um tem em relação ao uso do fogo. Pretendemos, também, ensinar as formas de se prevenir incêndios”, esclarece.

Ainda em agosto três cidades recebem a caravana da Campanha: Viçosa no dia 17, Poços de Caldas no dia 22 e Pedra Azul no dia 29. Em setembro será as vez dos municípios de Itacarambi, Januária, Rio Pardo de Minas e Grão Mogol, no Norte de Minas. A programação se estende até dezembro deste ano.

Para atingir a população, o IEF, em parceira com as prefeituras municipais realizará apresentações teatrais e oficinas em locais públicos. Os estudantes também são alvo da campanha e receberão jogos de memória, álbuns de figurinhas, quebra-cabeças, bonés, camisetas, réguas e squizes criados, especialmente, para divulgar o trabalho.

De acordo com o diretor geral do IEF, Humberto Candeias, a campanha vem consolidar e complementar o trabalho que o Previncêndio vem realizando ao longo dos anos. “A campanha, agora, está mais ampla e a caravana cresceu. Escolhemos, para iniciar a divulgação, municípios localizados em regiões estratégicas pela sua proximidade a importantes unidades de conservação”, ressalta.

Candeias afirma ainda que a expectativa é deixar as pessoas cada vez mais conscientes em relação ao uso do fogo. “Temos visto as pessoas tomando mais cuidado ao fazer uma queima e procurando se legalizar. Mesmo assim, vamos continuar investindo na campanha educativa, orientando as pessoas e fazendo o trabalho preventivo”, completa.

Serviço:
Lançamento da Campanha de Prevenção a Incêndios Florestais em Minas Gerais.
Data: 14 de agosto, sexta-feira
Local: Parque Estadual Serra do Rola-Moça
Horário: 15h

13/08/2009 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente | , , , , , , | Deixe um comentário

Aécio Neves vai implementar em Minas Centro de Excelência em Qualidade da Água

Unificar a gestão da qualidade das águas em Minas e promover o desenvolvimento de tecnologias aplicadas ao meio ambiente, principalmente em limnologia (ciência que estuda as águas interiores como lagos, lagoas, reservatórios, rios, açudes, represas, riachos, brejos, áreas inundáveis, águas subterrâneas e nascentes, entre outros) e análises ambientais nos rios do Estado. Este é o objetivo do Centro de Excelência em Qualidade da Água do Estado de Minas Gerais, que será instalado na Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais (Cetec), em data anda a ser definida.

A implantação do Centro será realizada em parceria com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) e a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), que assinaram protocolo de intenções na última sexta-feira (7).

De acordo com o diretor de Desenvolvimento e Serviços Tecnológicos do Cetec, Marcílio César de Andrade, a partir de agora inicia-se a discussão da formatação dessa nova instituição, com a participação das quatro organizações. A primeira reunião está prevista para o mês de setembro.

Em princípio, está prevista a estruturação de um setor de pesquisas no Cetec que ficará responsável pelas coletas e análises em uma rede de monitoramento de reservatórios mineiros. Andrade destaca que, num primeiro momento, os Setores de Medições Ambientais (SAM), de Recursos da Água (SAA) e de Análises Químicas (STQ) do Cetec é que estarão envolvidos, por já participarem do Projeto Águas de Minas.

13/08/2009 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Compromisso ambiental de Aécio Neves faz com que Governo de Minas assine protocolo de intenção para implementação do projeto piloto de gestão de resíduos eletroeletrônicos em Belo Horizonte

Durante a abertura do Seminário Internacional de Resíduos Eletroeletrônicos no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR) nessa quarta- feira (12) foi assinado protocolo de intenção para implantação do projeto piloto de gestão de resíduos eletroeletrônicos em Belo Horizonte. O compromisso foi firmado por Aécio Neves por meio da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam) e pela Associação de Usuários de Informática e Telecomunicações de Minas Gerais (Sucesu).

Previsto para acontecer ao longo de 2010, o projeto estabelecerá uma parceria, inicialmente, com 25 empresas que irão repassar equipamentos como computadores, telefones, celulares e impressoras em desuso para a Feam, que dentro do projeto 3RsPCs – Resíduos Eletroeletrônicos, dará um destino ambientalmente responsável ao material.

De acordo com a coordenadora do projeto 3RsPCs, Susane Meyer, os equipamentos recebidos serão separados de acordo com o estado de aproveitamento. “Uma parte será utilizada no curso de recondicionamento de computadores que já é oferecido periodicamente no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR) para jovens provenientes de escolas públicas”, explicou. Os equipamentos recondicionados serão doados com o objetivo de ampliar a inclusão digital de pessoas de baixa renda.

Os materiais não recondicionados serão enviados para o curso prático de processamento de resíduos eletroeletrônicos (REE), que será oferecido aos catadores de materiais recicláveis também no CMRR. Os materiais serão, então, destinados de maneira ambientalmente adequada para indústrias recicladoras de plástico, metal, placas de circuito impressos e empresas que tratam de tubos de raios catódicos dos monitores de computadores. “Tudo será quantificado e acompanhado para que se conheçam as melhores possibilidades de destinação desses resíduos e para que se tenha um controle de todo o processo”, acrescentou Susane.

De acordo com o presidente da Sucesu, Márcio de Souza Tibo, a assinatura do protocolo simboliza a união entre o Governo de Minas e a sociedade civil na busca por soluções adequadas ambientalmente e economicamente viáveis para a questão dos resíduos eletroeletrônicos. “O esforço conjunto entre o 3RsPCs e a Suceso trará vários benefícios às empresas e usuários de informática e à população” declarou.

Cooperação com a Microsoft Brasil
Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), presidido por Andrea Neves, e a Microsoft também assinaram um termo de cooperação técnica com o objetivo de apoiar o projeto 3RsPCs, desenvolvido pela Feam. O projeto busca soluções ambientalmente adequadas para os resíduos eletroeletrônicos, fomentando a formulação de políticas públicas relacionadas ao tema.

Entre as ações apoiadas pela Microsoft está o curso de Montagem, Manutenção e Recondicionamento de Computadores, voltado para jovens vindos de escolas públicas. O trabalho é voltado para jovens vindos de escolas públicas que aprendem a trabalhar com hardware enquanto efetivamente recondicionam máquinas obsoletas de prédios do Governo do Estado. Os alunos também aprendem sobre noções de meio ambiente e sobre os riscos dos resíduos eletroeletrônicos se mal geridos.

O projeto tem como objetivo promover a disseminação de políticas voltadas para a destinação social e ambientalmente correta desses resíduos, fomentando a formulação de uma legislação específica para o setor no Estado, além de estimular o desenvolvimento de pesquisas voltadas para o reaproveitamento e reciclagem de resíduos eletroeletrônicos (REE).

Segundo informações do diretor de Assuntos Coorporativos da Microsoft Brasil, Rodolfo Fucher, há no Brasil cerca de 40 milhões de computadores pessoais (PCs) da empresa instalados. “A cada ano novos 10 milhões chegam ao mercado e cerca de 2 milhões são descartados. Por isso a Microsoft apóia a iniciativa da Feam, Servas e CMRR, por meio do Projeto 3RsPCs, para que essa grande quantidade de resíduos gerada tenha uma gestão adequada”, disse.

“Há toda uma cadeia que envolve fabricantes, importadores, revendedores e os consumidores. Queremos que toda a cadeia seja envolvida na solução da questão. As políticas públicas que estão sendo elaboradas pelo Governo de Minas em parceria com a sociedade civil visam levar ao Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama) uma proposta de norma que abranja todos os envolvidos”, informou o presidente da Fundação Estadual do Meio Ambiente, José Cláudio Junqueira.

Seminário apresenta soluções para resíduos eletroeletrônicos
Nesta quinta-feira (13/08), no segundo dia do Seminário Internacional de Resíduos Eletroeletrônicos, as propostas de políticas públicas e os sistemas de gestão e logística reversa serão abordadas pelos especialistas reunidos em Belo Horizonte.

A partir de 9h, no painel ‘Políticas Públicas’, o presidente da Feam, José Cláudio Junqueira, apresenta as iniciativas pioneiras do governo de Minas Gerais que integram as ações do Projeto 3RsPCs – Resíduos Eletrônicos que vem sendo realizadas pela Feam no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR).

Também participam o gerente de Programas Ambientais Urbanos da Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente, Marcos Bandini; o consultor internacional de resíduos eletroeletrônicos e gerente de negócios do Instituto de Morfologia aplicada em Zurique, Peter Bornand; a consultora de gestão de resíduos urbanos, resíduos tecnológicos, resíduos especiais e políticas públicas, Ângela Rodrigues; o diretor da Área de Responsabilidade Socioambiental da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), André Saraiva.

A partir de 14 horas, no painel ‘Logística Reversa e Sistemas de Gestão’ serão apresentadas as ações destinadas a facilitar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos aos seus geradores, para que sejam tratados ou reaproveitados. O português Ricardo Neto, presidente da European Recycling Platform, apresentará o trabalho desenvolvido em Portugal e na Espanha na gestão de resíduos como pilhas e eletroeletrônicos. Daniel Ott, da Swiss Federal Laboratories for Materials Testing and Research (EMPA), apresentará as ações que vem sendo desenvolvidas na América Latina e Caribe, onde é o coordenador de atividades de REE. O diretor executivo do Conselho de Logística Reversa do Brasil (CLRB), Paulo Roberto Leite, a pesquisadora da Universidade do Estado de São Paulo (USP), Nívea Reidler e Benami Waisberg, da Recitec.

O Seminário Internacional de Resíduos Eletroeletrônicos tem patrocínio da Microsoft Brasil e acontece entre os dias 12 e 14 de agosto no CMRR (rua Belém, 40, bairro Esplanada). A programação completa está disponível nos sites www.feam.brwww.seminarioree.com.br.

13/08/2009 Posted by | Meio Ambiente | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Encontro realizado pelo Governo Aécio Neves discute destinação de equipamentos eletrônicos

O apelo para adquirir novos aparelhos e equipamentos eletroeletrônicos de última geração não vai diminuir e o consumidor não vai deixar de comprar mesmo se chegar à conclusão, isto se parar para pensar, que a compra de um novo celular, ou um teclado, vai pressionar o meio ambiente, seja pelo uso dos recursos naturais de forma não sustentável, ou pela ausência de destinação correta para o antigo celular e teclado sem uso.

Esta é a avaliação do diretor do Programa de pós-graduação em Planejamento e Gestão Ambiental da Universidade Católica de Brasília (UCB), Genebaldo Freire. “Não tem como barrar a ampliação da oferta de equipamentos e serviços, principalmente de inovação tecnológica. Precisamos desenvolver mecanismos para quem produz. O caminho é este – regulamentar”, analisa Freire.

O educador ambiental está em Belo Horizonte, onde participa do Seminário Internacional sobre Resíduos Eletroeletrônicos, promovido pela Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), em parceria com o Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR)O evento, que teve início no dia 12 e acontece até o dia 14 de agosto, no CMRR, reúne especialistas, pesquisadores, representantes da indústria de eletroeletrônicos e gestores públicos em busca de marcos regulatórios que assegurem a destinação correta do lixo eletrônico.

Na opinião de Genebaldo Freire, Minas Gerais está na vanguarda dessa discussão. O Estado já possui, desde junho deste ano, o Diagnóstico da Geração de Resíduos Eletroeletrônicos de Minas Gerais. “Esta fase de quantificar e identificar é importante para dimensionar e coordenar uma ação que destine os resíduos corretamente”, avalia Freire.

Também participante do Seminário, o diretor de responsabilidade socioambiental da Associação Brasileira da Indústria de Eletroeletrônicos (Abinee), André Saraiva, quer aproveitar sua presença em Minas Gerais para conhecer o CMRR e o Projeto 3RsPCs, que propõe a formulação de uma política pública e o desenvolvimento de tecnologias relacionadas à gestão dos resíduos eletroeletrônicos (REEs).

Saraiva acredita que é uma iniciativa que pode ser replicada pela Abinee, em outras capitais brasileiras. Saraiva afirma que a premissa básica do setor é a responsabilidade dos produtores desse segmento. Ao admitir a responsabilidade dos produtores, Saraiva aponta para as responsabilidades dos consumidores e dos governos. Os primeiros devem fazer do ato do consumo um exercício de cidadania ao se assegurar da destinação correta no fim da vida útil do equipamento. Para os gestores públicos, se fortalece a exigência de compra sustentável. “Não vale o menor preço, deve ser o melhor preço”, critica o empresário.

Membro do Grupo de Trabalho (GT), instituído pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) em dezembro de 2008, o diretor da Abinee entende que Minas Gerais quer “tropicalizar” a Diretiva Européia. O GT utiliza como base orientadora a Diretiva Européia e o objetivo é entregar ao Conselho Nacional de Meio Ambiente (CONAMA), até o final de 2009, a proposta de regulamentação para esse tipo de resíduos, a fim de que a mesma tenha validade nacional.

A Diretiva 2002/96 do Parlamento Europeu e do Conselho da União Européia, de 27 de janeiro de 2003 estabelece responsabilidades dos produtores, consumidores e governos relativas aos REEs. A política ambiental da Comunidade Européia, que serviu de modelo para a política ambiental de Minas Gerais, se baseia nos princípios da precaução, prevenção e na correção, prioritariamente na fonte, dos danos causados ao meio ambiente e no princípio do poluidor-pagador.

André Saraiva, Genebaldo Freire e o presidente da Fundação Estadual de Meio Ambiente, José Cláudio Junqueira, além de serem palestrantes do Seminário (veja programação no site www.seminarioree.com.br ) participam nesta quinta-feira (13) do Programa Brasil das Gerais, de 19h às 20 h na Rede Minas, onde debatem os desafios sobre a gestão dos REEs.

13/08/2009 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente | , , , , , , , | Deixe um comentário

Programa Selo Responsabilidade Empresarial é lançado em Diamantina pelo Governo Aécio Neves

Empresários conectados com um novo tempo, de olho no futuro e em sintonia com a responsabilidade social, com geração de trabalho e respeito ao meio ambiente. Esse é o perfil do público que participou, nesta quarta-feira (12), do evento que lançou mais uma etapa do Programa Selo de Responsabilidade Empresarial, em Diamantina, no Vale do Jequitinhonha. Nessa terça-feira (11) o selo foi lançado em Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri. Já nesta quinta-feira (13), o selo será lançado em Montes Claros, no Norte de Minas, às 9h, na Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), na Avenida Dr. Sidney Chaves, nº 447. 

Vinculado ao Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado (PMDI), o Selo de Responsabilidade Empresarial é desenvolvido pelo Governo Aécio Neves pelo sistema Secretaria de Estado Extraordinária para o Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri e do Norte de Minas (Sedvan) / Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas (Idene) . 

O evento em Diamantina nesta quarta- feira (12) reuniu empresários do município e da região, de setores como hotelaria, serviços, educação, produção leiteira, associações de artesanato, escola profissionalizante, contabilidade, automotivo, comerciais, além integrantes do Conselho de Política Ambiental (Copam), Instituto Estadual de Florestas (IEF), entre outros. 

A diretora regional do Idene, Margareth Durães, ressaltou a importância do Selo de Responsabilidade Empresarial para o segmento do artesanato, já que é um setor que vem se desenvolvendo cada vez mais na região, mudando para melhor a vida dos artesãos, por meio dos projetos em parceria com o sistema Sedvan / Idene. 

A diretora ressaltou o pioneirismo na gestão participativa dos projetos, que segunda ela, “são montados conselhos, comitês gestores e associações, em que os projetos são trabalhados sob o prisma da geração de renda e trabalho, dentro do conceito de governança social, o que vem contribuindo para que o Vale do Jequitinhonha seja o vale da esperança”, afirmou, incentivando os empresários a selar parcerias. 

Empresários de um novo tempo 

Comprometidos com o ideal do Governo de Minas, que busca uma gestão participativa, com a união de todos os setores da sociedade, o empresariado presente no evento se mostrou preocupado em trabalhar para se inserir nesse novo modelo de gestão. 

Para Hugo Araújo, do Circuito dos Diamantes, o Selo é uma excelente iniciativa de valorização dos empresários que promovem a inclusão social em todas as áreas: social, cultural e ambiental. Ele concorda com os critérios exigidos para se conseguir o selo, desde a formação e capacitação da mão de obra local, até a valorização dos produtos regionais. “O circuito dos Diamantes já atua nessas áreas, já estamos inseridos nesse contexto”, afirma o gestor. “Nossa intenção é criar uma marca forte, com orgulho de pertencermos a empresas diferenciadas”, completa. 

Jean François, diretor da Escola Profissionalizante Irmã Luiza, que abriga e ensina uma profissão a menores carentes, já participou da primeira edição do Selo, e agora se candidata à segunda, pela Associação de Moradores e Amigos de Mendanha – Amame, uma associação que cuidas das crianças do distrito de Diamantina. Para ele, o Selo de Responsabilidade Empresarial é um reconhecimento do trabalho desenvolvido pela entidade, no resgate do lado humano e na conscientização ambiental. “Todos os itens necessários para receber o selo nos já desenvolvemos em nossos projetos” lembra Jean François, um francês radicado em Diamantina, que desenvolve trabalhos sociais em outras duas entidades além da Amame: na Vila Educacional de Meninas (VEM) e na Amparo à Juventude para a Inserção Rápida (Ajir). 

O proprietário dos laticínios IKE, em Diamantina, Assis de Jesus Santos, também já foi contemplado com o Selo. Ele mantém uma parceria com a escola de Zootecnia da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) para a melhoria da qualidade do leite e da qualidade de vida do pequeno produtor Pronafiano. Para Santos, o importante é poder oferecer uma alternativa àquelas pessoas que antes viviam apenas do garimpo, com poucas oportunidades e muitos danos ao meio ambiente. “Agora eles já podem trabalhar com o leite, e ter uma nova fonte de renda”, disse. 

As empresas interessadas têm ate o dia 18 de setembro para se inscrever no edital de 2010. As primeiras 50 empresas inscritas irão participar do programa e terão até o dia 16 de novembro para apresentar suas ações de responsabilidade social. A partir daí, elas terão um ano para desenvolvê-las. Durante o processo, as ações serão avaliadas por relatórios enviados mensalmente ao Instituto de Governança Social (IGS), para análise.

13/08/2009 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente, Responsabilidade Social Corporativa | , , , , , | Deixe um comentário

Aécio Neves obtém aprovação de Lei Ambiental na Assembléia – nova legislação que passa a ser uma das mais rigorosas do pais

Aécio Neves durante reunião em 2008 com principais entidades ambientais nacionais e internacionaisA Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) aprovou, nessa terça-feira (11), o Projeto de Lei 2771, de autoria do Governo de Minas, que altera a legislação florestal no Estado e fixa, de maneira inédita no país, limites que reduzem progressivamente, até 2018, o consumo legal de produtos ou subprodutos originados da vegetação nativa de Minas Gerais, em especial o carvão vegetal. O texto segue para sanção do governador Aécio Neves e, com isso, Minas passa a ter, entre os estados brasileiros, uma das legislações mais rigorosas para a preservação e recuperação de suas matas nativas. 

A nova lei estabelece que o consumo de produtos e subprodutos florestais de matas nativas não deverá ser maior do que 5% a partir de 2018. A legislação anterior permitia que as indústrias suprissem toda a sua demanda por matéria-prima com produtos florestais de mata nativa, desde que houvesse reposição florestal. 

O cronograma de redução estabelece que, entre 2009 e 2013, as indústrias consumidoras de produtos florestais nativos utilizem, no máximo, 15% de produtos procedentes dessas florestas. De 2014 a 2017, o máximo permitido será de 10%. As novas empresas que se instalarem no Estado a partir da sanção da nova lei já serão obrigadas a comprovar que seu consumo é de 95% de matéria-prima proveniente de florestas plantadas. 

Caso alguma empresa opte por manter o consumo de matéria-prima florestal nativa até o limite de 15% terá que garantir a reposição em proporções fixadas pela lei. A utilização de 12 a 15% de consumo proveniente de mata nativa exige a reposição do triplo do consumido, ou seja, plantar três árvores para cada utilizada. Para a faixa entre 5 e 12%, a reposição será mantida com o dobro do consumido. E, até 5% a reposição será simples, de um para um. 

A nova legislação garante, além da preservação das matas nativas de Minas Gerais, competitividade para as empresas mineiras que, ao utilizarem somente produtos provenientes de florestas plantadas, disputarão mercado em boas condições com empresas estrangeiras ao produzirem produtos limpos. 

A norma também prevê punições mais rigorosas para quem não cumprir os cronogramas de redução de consumo de matéria-prima florestal nativa. As punições previstas chegam à redução da capacidade de produção e até mesmo à suspensão das atividades. 

Monitoramento eletrônico 

A proposta aprovada pelo Legislativo também prevê o sistema eletrônico de rastreamento do transporte dos produtos florestais. Todas as transportadoras terão que instalar dispositivos eletrônicos em seus caminhões, que serão monitorados por satélite. O chip instalado permitirá o acompanhamento da trajetória da carga identificando pontos de parada, desde a origem até o destino. O Instituto Estadual de Florestas (IEF) será responsável pela edição de uma norma que irá regulamentar o monitoramento eletrônico.

13/08/2009 Posted by | Meio Ambiente | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Aécio Neves cria programa inédito em que jovens se tornam monitores ambientais e controlam qualidade da água dos rios

Jovens de dez municípios mineiros estão monitorando as águas de rios que banham comunidades rurais onde vivem. A ação faz parte do projeto Monitoramento de Recursos Hídricos, uma parceria entre a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) e a Embrapa Gado e Leite. A iniciativa, que permite aferir a qualidade das águas duas vezes por mês, é considerada inédita pela participação de adolescente na faixa etária de 15 a 17 anos. “Existem projetos de monitoramento semelhante, mas nenhum tem adolescentes como monitores ambientais”, revela o coordenador do projeto e pesquisador da Embrapa, Marcelo Henrique Otênio. 

O pesquisador explica que a intenção é que os jovens se tornem referência em preservação do meio ambiente e contribuam para garantir sustentabilidade à atividade agropecuária, que necessita de água para a própria manutenção. “Mas o importante do projeto é que ele (jovem) se sinta engajado na preservação do meio ambiente”, pondera. Em troca, os monitores recebem mensalmente uma bolsa de R$ 100 da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig). O valor é depositado na conta de cada monitor e, segundo Otênio, é um reconhecimento pela participação deles em um projeto científico. 

A seleção e o acompanhamento dos jovens é da Emater-MG, que participou da escolha dos estudantes de ensino fundamental e médio, em escolas públicas municipais. Além disso, a empresa pública mineira contribuiu com palestras, na capacitação de cinco dias, no campo experimental da Embrapa, em Coronel Pacheco, e na divulgação do projeto nas comunidades. Enquanto durar o trabalho, previsto para dois anos, a Emater-MG também dará suporte técnico. 

O coordenador técnico regional de Meio Ambiente da empresa, Gilberto Malafaia de Oliveira, explica que o projeto quer envolver os estudantes na área ambiental de forma prática. “Assim ele entende o porquê da preservação. E ainda há o envolvimento da família do jovem, que também é incentivada a preservar”, ressalta. 

O monitoramento da água é feito sempre no mesmo ponto do rio. E os jovens já utilizam um kit para aferir a qualidade do recurso hídrico. O equipamento, que ganharam após o período de capacitação, possibilita a análise completa da água, conforme determina a Portaria 357 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), que prevê a classificação dos rios em cinco níveis de preservação. Os dados coletados são colocados em um formulário e enviados aos escritórios locais da Emater-MG, de onde são encaminhados à Embrapa, que estudará mais profundamente as condições dos rios. 

“A minha função vai ser conscientizar a população para a preservação ambiental. Antes, na minha comunidade, havia muito mais diversidade de peixes”, testemunha Valdney Siqueira da Roza, um garoto de 15 anos, morador da comunidade Santo Antônio, do município de Bocaina de Minas. “Tenho uma boa relação com todos na comunidade, principalmente com produtores que estão nas margens dos rios. Então, a partir disto, posso pedir a preservação”, aposta Danylo Victor Almeida, 15 anos, de Bom Jesus do Vermelho, em Santa Rita de Ibitipoca. 

Unidades demonstrativas e georeferenciamento 

Quatro monitores ambientais, dois do município de Alagoa e dois de Lima Duarte, junto com os técnicos da Emater-MG, também ajudarão na escolha de quatro propriedades rurais para sediar unidades demonstrativas. As propriedades devem estar situadas no entorno do Parque do Papagaio (Serra da Mantiqueira) e do Parque de Ibitipoca (próximo de Lima Duarte). As áreas, que englobam municípios da Zona da Mata e do Sul de Minas, estão localizadas, ainda, próximo ao ponto do rio analisado pelo jovem. 

De acordo com o coordenador do projeto, a proposta é escolher produtores que tenham atitudes positivas ou estejam abertos ao gerenciamento de recursos hídricos, como recuperação de mata ciliar e de nascentes. “Temos a intenção de montar modelos de boas práticas para a gestão de recursos hídricos. E aí vamos subsidiar este produtor com mudas, insumos, cerca. Junto com a Emater realizaremos excursões de produtores para que visitem aquelas unidades demonstrativas”, informa Marcelo Otênio. 

Outra novidade do projeto é que cada ponto escolhido pelos jovens para o monitoramento de águas vai ser georreferenciado. Ou seja, os pontos de coleta de água para a análise serão marcados com GPS. Assim, o projeto vai poder comparar imagens de satélites destes locais, analisando a cobertura vegetal e a exploração agropecuária. 

“Faremos uma oficina, em Juiz de Fora, no próximo ano, onde vamos juntar todos os envolvidos no projeto para classificar estes rios e avaliar, em cada imagem, a cobertura vegetal e por que determinado rio tem uma boa ou ruim qualidade de água, e os motivos disso acontecer”, explica Otênio. Com as imagens de satélite, vai ser montando, ainda, um site e quem acessar a página, poderá conferir as imagens dos pontos de análise de água e ver os resultados do projeto, informa o coordenador. 

Os municípios incluídos no projeto são: Alagoa, Bias Fortes, Bocaina de Minas, Carvalhos, Ibertioga, Lima Duarte, Olaria, Pedro Teixeira, Santana do Garabéu e Santa Rita de Ibitipoca. No total, 17 comunidades rurais estão sendo contempladas. O programa envolve as unidades regionais da Emater-MG em Juiz de Fora, Lavras e São João del-Rei.

13/08/2009 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Sistema de iluminação implementado pela Cemig traz mais economia, eficiência energética e ambiental

A região da Pampulha, em Belo Horizonte, já se prepara para a Copa do Mundo em 2014 com uma nova tecnologia de iluminação mais econômica, eficiente, de qualidade e com qualidade ambiental. A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), em conjunto com a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), iniciou os testes com sistemas de iluminação a LED (abreviatura em inglês para diodo emissor de luz). Algumas luminárias já foram instaladas em postes próximos à Igreja São Francisco. Em Belo Horizonte, os LEDs já são utilizados nos sinais de trânsito. 

A Cemig e a PBH vão avaliar a viabilidade da iluminação a LED por toda a orla da lagoa, nas ciclovias e pista de caminhadas, e no novo projeto do Complexo Mineirão/Mineirinho. Os testes com essa tecnologia começaram há um ano pela empresa, que estuda a possibilidade de implementá-la na rede de iluminação pública, como vem acontecendo em cidades como Nova York e Paris. 

O projeto “Tecnologia de Luminárias a LED para Iluminação Pública” faz parte da 3ª Semana de Tecnologia e Inovação da Cemig, que está montada na sede da Empresa até o dia 15 deste mês. O horário de funcionamento é das 9 às 18 horas, e a entrada é gratuita. 

As lâmpadas a LED possuem várias vantagens se comparadas às demais, inclusive com menor impacto ambiental. Elas possuem melhor reprodução de cores, não emitem raios ultravioleta e infravermelhos, propagam menos calor e, consequentemente, atraem menor quantidade de insetos. Apresentam boa eficiência e maior vida útil, estimada em aproximadamente 50 mil horas de funcionamento. As lâmpadas de vapor de sódio, as mais utilizadas atualmente, duram até 32 mil horas, as de vapor de mercúrio, 12 mil horas, e as de vapor metálico, comuns em fachadas de prédios, 10 mil horas. 

Energia de Solução 

A iluminação a LED ainda é mais cara do que as existentes no mercado. Segundo o coordenador do projeto, Sérgio Lucas Blaso, da Cemig, a empresa estuda também a possibilidade de aplicar a tecnologia na iluminação decorativa de prédios em cidades históricas. 

“Com o LED, o circuito utilizado é eletrônico, e a tendência do mercado é que esses valores baixem mais rápido. A expectativa é que, de 7 a 10 anos, a tecnologia comece a ser aplicada em maior escala”, estima o coordenador do projeto. 

Testes 

As aplicabilidades do LED vêm sendo estudadas em várias regiões do mundo, sobretudo nos Estados Unidos, Europa e Oriente. O setor de engenharia da Cemig trabalha com prospecção de novas tecnologias, com foco na eficiência energética e operacional. Para atender a essas necessidades na iluminação pública, foi feita uma pesquisa global de mercado, e os fabricantes forneceram para a Empresa luminárias para testes, que estão acontecendo na região da Pampulha. 

Na iluminação a LED, a durabilidade e confiabilidade são maiores, e o tempo de degradação luminosa é menos acentuado. Essas lâmpadas são mais econômicas e passam por um processo de avaliação. Por enquanto, as utilizadas em postes de até cinco metros de altura estão com resultado satisfatório. Enquanto seria necessária uma lâmpada de vapor de mercúrio de 125 watts para suprir a demanda de luminosidade, o LED utilizado para o mesmo local é de 50 watts.

13/08/2009 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente, Responsabilidade Social Corporativa | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Governo Aécio realiza campanha ambiental em Cordisburgo, na região Central de Minas

O Governo Aécio Neves por meio do  Instituto Estadual de Florestas (IEF) realiza, nesta quarta-feira (12), em Cordisburgo, na região Central do Estado, Dia de Campo no Monumento Natural Estadual Peter Lund. O evento acontece na fazenda Tapera, no Povoado do Cuba, onde a população terá acesso a informações sobre as formas de contribuição para a preservação do meio ambiente. 

De acordo com o gerente do Monumento Natural Peter Lund, Mário Lúcio de Oliveira, o objetivo de realizar eventos como esse é fazer com que a comunidade tenha acesso a orientações técnicas e educativas, visando mudança de comportamento de forma que respeitem o meio ambiente e evitem as queimadas. “Iremos abordar temas relativos ao uso incorreto do fogo nas atividades agrícolas e dos prejuízos causado ao solo, a água, a fauna e a flora em decorrência dessa prática”, afirma o gerente. 

A programação conta com palestras e exposição de normas e procedimento a serem adotados na prática da queima controlada, medidas de precaução necessárias, mostras de como a conservação da água é importante para a propriedade rural, apresentação de sugestões de práticas e culturas alternativas de uso do solo, exposição de Projetos de Fomento Florestal e de Recuperação de Nascentes e dos benefícios que poderão ser gerados aos produtores rurais que aderirem ao Projeto. 

Mário Lúcio de Oliveira explica que o Dia de Campo é uma atividade viabilizada em parceria com outras instituições que visa preservar o meio ambiente, mas principalmente promover uma educação ambiental para que a preservação venha da população. “A comunidade regional é uma parceira importantíssima para prevenção de incêndios e a conservação do meio ambiente, por isso investimos em informação para que as ações sejam conscientes”, completa o gerente. 

Outro Dia de Campo acontecerá nos dias 31 de agosto e primeiro de setembro no povoado do Onça, procurando conscientizar a comunidade local. Nos dias 02 e 03 de setembro será realizado também um encontro na Gruta do Maquine com os funcionários do IEF, Maquinetur e outros contribuintes do turismo da região, quando onde acesso a informações sobre preservação do meio ambiente. 

O evento conta com o apoio da Prefeitura de Cordisburgo, Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG), sindicatos de trabalhadores rurais, sindicatos de produtores rurais, Cooperativa Agropecuária de Cordisburgo, Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa)Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) e Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG).

13/08/2009 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente | , , , , , , | Deixe um comentário

Governo Aécio Neves coordena o 1º Seminário Internacional de Resíduos Eletroeletrônicos, em Belo Horizonte

Começa nesta quarta-feira (12), em Belo Horizonte, o 1º Seminário Internacional de Resíduos Eletroeletrônicos (REE). A abertura do evento será às 19h, no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR), com a presença do presidente da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), José Cláudio Junqueira, e da vice-presidente do Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), Dulcejane Vaz. O encontro será realizado até 14 de agosto e reunirá especialistas em resíduos eletroeletrônicos do Brasil e do mundo. 

Na abertura, será assinado um Protocolo de Intenção para implantação do projeto piloto de gestão de resíduos eletroeletrônicos em Belo Horizonte. O compromisso será firmado entre a Feam e a Associação de Usuários de Informática e Telecomunicações de Minas Gerais (Sucesu/MG). O projeto estabelecerá uma parceria, inicialmente, com 25 empresas que irão repassar equipamentos como computadores, telefones, celulares e impressoras em desuso para a Feam que, dentro do projeto 3RsPCs – Resíduos Eletroeletrônicos, dará um destino ambientalmente responsável ao material. 

O Servas e a Microsoft também irão assinar um Termo de Cooperação Técnica com o objetivo de apoiar o projeto 3RsPCs, desenvolvido pela Feam e que busca soluções ambientalmente adequadas para os resíduos eletroeletrônicos, fomentando a formulação de políticas públicas relacionadas ao tema. Entre as ações apoiadas pela Microsoft está o curso de Montagem, Manutenção e Recondicionamento de Computadores, voltado para jovens vindos de escolas públicas. 

Após a solenidade de abertura, o ex-diretor do sistema suíço de gestão de REE, Peter Bornand, e o representante do laboratório Suíço Empa (Swiss Federal Laboratories for Materials Testing and Research), Daniel Ott, discutirão a problemática dos resíduos eletroeletrônicos no mundo. 

O Seminário Internacional de Resíduos Eletroeletrônicos é uma realização da Feam, em parceria com o CMRR e a Microsoft. O objetivo é promover a discussão entre os diversos setores relacionados à gestão de resíduos eletroeletrônicos e a troca de experiências nacionais e internacionais, abordando temas como políticas públicas, sistemas de gestão, tecnologias e consumo consciente. Mais informações sobre o evento e a programação no site: http://www.seminarioree.com.br. 

Serviço 

Evento: 1º Seminário de Resíduos Eletroeletrônico 
Data: 12 a 14 de agosto de 2009 
Local: CMRR, rua Belém, nº 40, bairro Esplanada, Belo Horizonte 
Informações: http://www.seminarioree.com.br

13/08/2009 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente | , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário