Minas Sustentável

Meio Ambiente, cidades sustentáveis

Projeto de aquecimento solar em casas populares do Governo Aécio Neves é visitado por técnicos da Caixa Econômica

O Conjunto Habitacional Dicalino Cabral, construído pelo Governo Aécio Neves por meio da Companhia de Habitação do Estado de Minas Gerais (Cohab/MG), no bairro Citrolândia, em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, recebeu sexta-feira (28) a visita de 35 engenheiros e arquitetos da Caixa Econômica Federal. Procedentes das superintendências das regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste, eles conheceram o sistema de aquecimento solar adotado pela Cohab nas 346 casas do conjunto.

Os técnicos da Caixa vieram a Belo Horizonte participar de um curso de capacitação no uso de aquecimento solar em habitações populares, ministrado na PUC/Minas, sob a coordenação da professora Elizabeth Marques Duarte Pereira, do Grupo de Estudos de Energia – Green Solar daquela universidade. O curso de capacitação foi promovido pela Caixa Econômica Federal e teve a participação da Cohab/MG, Cemig, Ministério do Meio Ambiente; Ministério de Minas e Energia; Ministério das Cidades; Procel – Eletrobrás; Abrava e GTZ.

Experiência exitosa

Os visitantes foram recebidos no conjunto Dicalino Cabral pela engenheira Maria Lúcia Teixeira Costa, gerente de Projetos da Cohab/MG, também uma das palestrantes do curso, a convite do Green Solar, quando relatou as experiências da Companhia no uso de aquecimento solar, iniciadas há nove anos. Durante a visita, os técnicos da Caixa tiveram oportunidade de observar as soluções encontradas pela engenharia da Cohab/MG para viabilizar, com eficiência e a baixo custo, a implantação do sistema.

O aquecimento solar para uso doméstico no Conjunto Habitacional Dicalino Cabral foi uma das experiências mais bem sucedidas da empresa nesse campo. Depois de experimentadas em outros locais – entre eles Candeias, Governador Valadares e São João del-Rei – foi em Betim que se definiram soluções de projeto mais adequadas para habitações de interesse social.

Para o engenheiro civil Joaquim Sebastião Pereira, da superintendência da Caixa em Campo Grande (MS), o conhecimento da experiência mineira no uso da energia solar para aquecimento doméstico será proveitosa para a implementação do sistema nas moradias de interesse social do programa Minha Casa Minha Vida. “Em Mato Grosso do Sul o sistema de aquecimento solar é amplamente utilizando, mas apenas pelos ricos. Trata-se agora de levar esse benefício às camadas mais pobres da população”, disse.

A arquiteta Norma Iório, da Superintendência da Caixa em Campos dos Goytacazes (RJ), acrescentou que o grupo teve a oportunidade de munir-se de novos argumentos que serão utilizados nas negociações com as empreiteiras encarregadas das obras do Minha Casa Minha Vida. “Elas ainda são resistentes ao uso de energias limpas, quase sempre por inércia e desconhecimento dos procedimentos técnicos. Quando convencermos o primeiro a construir casas com energia solar, tenho certeza de que os demais irão logo aderir.”

Usuários

O grupo de engenheiros e arquitetos teve a oportunidade de visitar uma das casas do conjunto Dicalino Cabral e ouvir o relato de moradores sobre o uso do aquecedor solar. Juliana Ribeiro Martins, moradora da rua Altir Lucas, 226, mostrou aos visitantes como faz uso do sistema, que permite levar a água quente também até a pia da cozinha. A dona de casa informou que, antes da implantação do sistema, o valor médio de sua conta de energia era de R$ 90,00. “Hoje esse valor caiu para R$ 20,00.”

Renato José Júnior mora no Dicalino Cabral desde sua inauguração, em 2007, e elogia o sistema de aquecimento solar, que permite a ele uma economia substancial na conta de energia elétrica. “Antes eu morava aqui sozinho, mas me casei há quatro meses. Mesmo assim, como sou beneficiado também com a tarifa social, meus débitos a saldar com a Cemig vencem apenas de três em três meses.” Ele aproveitou para esclarecer sobre o melhor uso do misturador, equipamento usado na dosagem de água quente e fria. “Em dias de sol, a água fica tão quente que é difícil tomar banho sem misturar”, relatou.

Acompanharam também os visitantes ao Conjunto Habitacional Dicalino Cabral a arquiteta Bítia Almeida, representante do secretário municipal de Meio Ambiente de Betim, Geraldo Antunes, e a bióloga Karine Palhares. Elas participam do Centro de Referência em Energias Renováveis – Crer, órgão da Prefeitura de Betim.

31/08/2009 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente | , , , , , , | Deixe um comentário

Parque Estadual da Serra do Rola-Moça teve ação de moblização ambiental

A Organização Não Governamental (ONG) Zeladoria do Planeta, com o apoio do Parque Estadual da Serra do Rola-Moça, administrado pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF) promoveu  domingo (30) a atividade Ação Ambiental. O evento começou a partir das 10h na rua Solidariedade, situada no entorno do parque, na região do Barreiro. A Unidade de Conservação (UC) colabora no evento com suporte de logística, mudas de espécies nativas e informações ambientais.

Na programação, incluem-se atividades como rua de lazer, distribuição de mudas e sorteio para as crianças. De acordo com o gerente do Parque Estadual da Serra do Rola Moça, Edmar Monteiro, haverá também o plantio voluntário de espécies de árvores em uma área vizinha à UC. O Parque terá um estande no evento onde informações sobre a biodiversidade da Unidade estarão disponíveis aos participantes.

“A importância de eventos como esse está na conscientização da população” ressalta Monteiro. O Ação Ambiental proporciona à população formas diferentes e atrativas de ensinar a comunidade a preservar o meio ambiente. A educação ambiental é uma maneira eficaz de se conscientizar e a aprendizagem se torna efetiva quando realizada em contato com a natureza.

A ONG Zeladoria do Planeta há muito colabora com as ações do Parque. “Parcerias como essa são muito importantes para difundir a preservação. O parque se encontra em quatro municípios diferentes e ter parceiros nos ajuda a alcançar todas as comunidades do entorno com ações de educação ambiental”, afirma o gerente.

Entre os apoiadores do evento estão o IEF, Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa)Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG), Prefeitura de Belo Horizonte, Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), Serviço Social do Comércio (Sesc) Minas Gerais e o Sindicato da Industria Mineral do Estado de Minas Gerais (SindiExtra).

Parque Estadual da Serra do Rola-Moça

O Parque Estadual da Serra do Rola-Moça está localizado nos municípios de Belo Horizonte, Nova Lima, Ibirité e Brumadinho e constitui uma das principais áreas verdes da Região Metropolitana da capital mineira, com 3.941,09 hectares de matas preservadas. É uma das mais importantes áreas verdes do Estado. É o terceiro maior parque em área urbana do país e abriga alguns dos mananciais que abastecem a capital.

Juntamente com as Estações Ecológicas do Cercadinho e de Fechos, o Parque é uma das principais unidades de conservação Área de Preservação Ambiental (APA) Sul da RMBH. A área está inserida ainda na Serra do Espinhaço e declarada Reserva Mundial da Biosfera pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

31/08/2009 Posted by | Sem categoria | , , , , , | Deixe um comentário