Minas Sustentável

Meio Ambiente, cidades sustentáveis

Parceria do Governo Aécio Neves promove encontro sobre mudanças climáticas

O vice-governador Antonio Anastasia presidiu, na tarde desta quinta-feira (18), a reunião de lançamento da 15ª Sessão da Comissão de Agrometeorologia da Organização Meteorológica Mundial (OMM), a agência especializada da Organização das Nações Unidas (ONU) para o clima e água, criada em 1950, que reúne representantes de mais de 100 países. Pela primeira vez, a Sessão da Comissão de Agrometeorologia será realizada na América Latina. “Mentes brilhantes certamente aqui estarão para mostrar com seu tirocínio, com sua inteligência e com suas luzes qual o futuro do nosso planeta e, portanto, de nossas vidas”, afirmou o vice-governador.

“A universidade, a academia, os institutos de pesquisa que vão definir o padrão do clima. Nós todos, cidadãos, percebemos que há uma mudança do clima no mundo; o regime das chuvas mudou, já houve uma modificação da temperatura e é claro que quem entende disso são as universidades. E nós temos aqui, felizmente, no Brasil e em Minas, um grande centro de excelência que é a universidade de Viçosa que tem condições de colaborar de modo muito efetivo no debate, na discussão e na identificação de soluções para as questões decorrentes dessa mudança climática que nos afeta a todos”, ressaltou Anastasia.

O trabalho da OMM em Minas Gerais, fruto de parceria do Governo de Minas com a OMM, a Universidade Federal de Viçosa e o Instituto Nacional de Meteorologia, serão realizados em julho, no Minascentro, capital. De 12 a 14 de julho, acontece o Workshop Internacional sobre a Crise da Sobrevivência dos Produtores Rurais: Serviços de Clima e Tempo, para, em seguida, de 15 a 21, ocorrer a 15ª Sessão da Comissão de Agrometeorologia.

O diretor da OMM, M.V.K.Sivakumar, lembrou que as mudanças climáticas não conhecem fronteiras. De acordo com ele, representantes de mais de 80 países já confirmaram presença na 15ª Sessão da Comissão de Agrometeorologia. Destacou que são países que se preocupam em buscar suporte técnico e científico para políticas agrícolas que ajudem a reduzir os danos causados por eventos climáticos adversos.

Participaram ainda da solenidade, os secretários de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Gilman Viana, e de Meio Ambiente, José Carlos Carvalho; o reitor da Universidade Federal de Viçosa, Luiz Cláudio Costa, entre outras autoridades e dirigentes de organizações da sociedade civil.

Anúncios

19/03/2010 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Governo Aécio estimula produção de grãos de girassol em 70 cidades de Minas com agricultura familiar – produção vai para fabricação de biocombustível

Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) está ampliando suas ações no Estado para o Projeto de Biocombustíveis da Petrobras. O projeto, executado em 70 municípios do Norte de Minas, parte do Vale do Jequitinhonha e Centro-Oeste, está sendo estendido agora para nove municípios do Sudoeste mineiro. A iniciativa vai beneficiar cerca de 80 agricultores familiares, que produzirão grãos de girassol para abastecer a fábrica de biocombustíveis da estatal federal, em Montes Claros, Norte de Minas. Desde o primeiro contrato firmado em 2007, a Emater-MG mantém parceria com a Petrobras para atender produtores nas atividades de orientações técnicas, cadastramento e distribuição de sementes e sacarias para o acondicionamento da matéria-prima (oleaginosas).

No Sudoeste, as lavouras de girassóis irão ocupar um total de 900 hectares de terra. E o plantio ocorrerá na época da entressafra, que vai de março a julho, segundo o coordenador técnico estadual Waldyr Pascoal Filho, gestor do projeto. “O produtor acabou de colher o milho e agora vai aproveitar a terra ociosa neste período para o plantio de girassol, matéria-prima do biocombustível”, explica o coordenador. De acordo com Pascoal, o clima favorável da região favorece o plantio da oleaginosa na entressafra. Além disso, os produtores locais já têm experiência na produção de girassol para abastecer as indústrias de óleo. “Mas isso não beneficiava diretamente o pequeno produtor, pois as lavouras destinadas a esse fim são de grandes produtores. Agora, com a inclusão do agricultor familiar da região, no projeto da Petrobras, surge uma nova fonte de renda para esse grupo que ficava à margem do mercado”, argumenta.

Ainda segundo o gestor do projeto, estão sendo destinadas oito toneladas de sementes para os produtores cadastrados do Sudoeste. A distribuição já está ocorrendo nos municípios de Cássia, Carmo do Rio Claro, Pains, Passos, Pimenta, Piumhi, São João Batista da Glória, São José da Barra e Bom Jesus da Pinha. Só no município de Pains estão sendo doadas, pela Petrobrás, 1.620 quilos de sementes para os produtores locais. Um dos cadastrados é o agricultor Douglas Ribeiro, que vê no plantio de girassol, não apenas mais uma fonte de renda, mas também uma forma de recuperar os três hectares de terra que dispõe para esta finalidade. “É mais uma oportunidade de aumentar a renda familiar e fazer rotação de cultura no solo, pois o terreno está ficando fraco com o cultivo de sorgo para silagem”, conta.

Em Pains, o também agricultor familiar Altair José de Souza, que reserva uma área total arrendada de 115 hectares para o empreendimento, afirma que o projeto tem tudo para ser um bom negócio. “Tem mais gente interessada em plantar girassol. Após a safra de milho, a terra fica parada. Então plantar girassol para biocombustíveis tem tudo para ser bom”, diz. O agricultor, que trabalha em parceria com o pai e o irmão, e já adiantou o plantio de sementes de girassol em 15 hectares do terreno, só está esperando a assinatura do contrato de venda com a Petrobras para semear nos 100 hectares restantes.

Norte

Nas demais regiões onde o Projeto do Biocombustível já está implantado, a Emater-MG trabalha atualmente com 2.800 pequenos produtores de mamona e girassol, em uma área de sete mil hectares. Mas meta da empresa para o ano agrícola 2009/2010, nestas regiões, é chegar aos 4.600 agricultores familiares e uma área plantada de 9.200 hectares, segundo Waldyr Pascoal, gestor do projeto.

Em Ubaí, no Norte de Minas, cerca de 51 famílias de agricultores cultivam mamona com esta finalidade, mas o projeto beneficia indiretamente outras 200, segundo o extensionista da Emater-MG local, Márcio Mendes. “O projeto é mais uma fonte de emprego e renda para as famílias”, comemora. De acordo com Mendes, o município está produzindo em média, 800 quilos de mamona por hectare. E o valor pago pela Petrobras é de R$ 0,71 o quilo com casca e de R$ 1,18 sem casca. O preço pode oscilar, conforme a demanda do mercado, afirma o extensionista da Emater-MG.

O produtor ubaense José Ramos Irmão, confirma. “O comércio é seguro e o preço pago é muito bom. Enquanto outras culturas se perdem, a mamona é uma planta segura, faça chuva ou sol”, diz. Segundo Ramos, ele começou a produzir a oleaginosa em 2008 para biodisel, mas tem experiência com o cultivo da planta desde a infância. Ele afirma que começou plantando em uma área de meio hectare, mas que esse ano já destinou quatro hectares para esse fim.

19/03/2010 Posted by | Ação Sustentável, Água | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Governo Aécio dá prosseguimento a obras de revitalização das sub-bacias do Rio São Francisco

O Programa de Revitalização das sub-bacias do Rio São Francisco, realizado em parceria com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG), já beneficiou 42 municípios, com  500 km de estradas de terra readequadas e  a construção de aproximadamente 10 mil bacias de captação de água de chuva e mais de 7 mil hectares de terraços executados em encostas. O trabalho obedece o cronograma de obras da Fundação Rural Mineira (Ruralminas).

As obras, que contam também com recursos do governo federal, via Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), estão sendo executadas atualmente nas cidades de Patis, Japonvar, Sete Lagoas e Brasília de Minas. A conclusão desta etapa está prevista para este mês. Em seguida os próximos municípios serão Capim Branco, Chapada Gaúcha, Dom Bosco, Esmeraldas, Fortuna de Minas, Luislândia, Maravilhas, Matozinhos, Prudentes de Morais, São Francisco e Várzea da Palma.

A escolha dos municípios é feita de acordo com uma logística sistematizada para facilitar e otimizar os trabalhos. “Por meio de levantamento piloto das sub-bacias mais representativas da bacia do rio São Francisco, iniciamos os trabalhos de recuperação. Dividimos os municípios em grupos por regiões próximas e separamos as frentes de trabalho”, ressalta o presidente da Ruralminas, Celso Cota.

Criado para melhorar também as vias de acesso municipais e locais que tiveram o crescimento desordenado nos últimos anos, as obras de baixo custo beneficiam produtores rurais e comunidade em geral, o que facilita o acesso às localidades, contribui para o transporte escolar, o escoamento de produção e para o desenvolvimento do Estado de Minas Gerais.

De acordo com o produtor rural Sebastião Silva, um dos vários beneficiados com a chegada do programa em Sete Lagoas, o trabalho é de extrema importância e instrui também as pessoas a como manter esta obra para que dure por bastante tempo. “Desde o início eu recebi bem o pessoal da frente de obras. Já trabalho com isso há muito tempo então sei da importância disso para minha fazenda também e para a comunidade local”, ressalta.

O programa, além de contemplar a recuperação de estradas de terra e construção de bacias de captação de água de chuva, terraços em nível, também faz o cercamento de nascentes e matas ciliares. Estas intervenções promovem a infiltração de água no solo com consequente melhora na qualidade e quantidade da água nas sub-bacias, garantindo o abastecimento de água para os animais, como também a manutenção de pequenas culturas e até mesmo o consumo humano durante quase todo o ano.

O programa conta com três importantes convênios, um com a Agência Nacional de Águas(ANA), outro com a Codevasf por intermédio da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento e Emater e outro diretamente com a Codevasf. Todos os convênios contam com a execução e fiscalização da Ruralminas.

A Fundação Rural Mineira (Ruralminas), órgão do Estado ligado à Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, é responsável por desenvolver, dentre outros projetos, a construção e conservação de estradas vicinais com enfoque ambiental, elaboração e execução de projetos de conservação de água e solo e elaboração e execução de projetos de barragens e de irrigação.

19/03/2010 Posted by | Ação Sustentável, Água, Meio Ambiente | , , , , , , , | Deixe um comentário

Governo Aécio: Cemig apresenta inovações no uso eficiente de energia em evento internacional – destaque para veículo elétrico e unidade móvel de Eficiência Energética

A experiência da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) nas áreas de eficiência energética e energia eólica será tema de palestras da 1ª Jornada Internacional sobre Energias Renováveis, Eficiência Energética e Poder Local em Betim, que acontece a partir desta quarta-feira (17), às 18h, na sede da prefeitura. Também ficarão expostos um veículo elétrico (VE) e a unidade móvel Eficiência Energética, ambos da Cemig, na 1ª Feira de Tecnologia de Energias Renováveis e Eficiência Energética.

Os eventos são organizados pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Betim e pelo Iclei – Governos Locais pela Sustentabilidade, por intermédio do Centro de Referências em Energias Renováveis de Betim (Crer). As inscrições para as palestras já estão encerradas, mas a feira terá entrada franca a partir dessa quinta (18), às 8h.

Unidade móvel

Ao visitar a unidade móvel da Cemig, as pessoas são conscientizadas sobre o uso eficiente e seguro da energia, a fim de combater o desperdício, e recebem informações sobre como evitar queimadas e acidentes envolvendo a rede elétrica. Além disso, ficam por dentro das ações ambientais e campanhas de prestação de serviços da empresa.

Dentre as principais atrações da unidade móvel, destaca-se o protótipo de aquecedor solar, equipamento que mostra o aproveitamento térmico da energia solar em aquecimento da água. Outras atrações são o protótipo do sistema fotovoltaico, o painel de eficiência em iluminação, onde os visitantes podem ver a diferença de consumo de energia elétrica entre diferentes lâmpadas e o reaproveitador de calor, equipamento instalado em um chuveiro para que as pessoas o vejam em funcionamento.

Veículo elétrico (VE)

Os veículos elétricos são silenciosos e não emitem poluentes. Utilizam energia elétrica a custo inferior ao do combustível fóssil tradicionalmente usado no transporte veicular. O motor elétrico demanda menos manutenção, é mais econômico e possui maior rendimento em relação ao motor a combustão interna.

O VE é uma parceria da Cemig com Itaipu Binacional, Fiat Automóveis e a suiça KWO – Kraftwerke Oberhasli AG. Quatro unidades estão sendo utilizados em caráter experimental na frota da Cemig, visando à introdução e aperfeiçoamento dos veículos elétricos no mercado brasileiro. O veículo elétrico ficará logo na entrada do pavilhão da feira, para que as pessoas vejam como ele funciona e quais as diferenças para os demais veículos.

De acordo com o técnico da Cemig, Ney Eustáquio Rocha Alencar, a grande importância do veículo elétrico é a contribuição para a redução dos níveis de poluição do ar, além de ser viável tecnologicamente. “O que prevemos é que a qualidade de vida nas cidades melhorará extraordinariamente com a introdução do VE, já que ele não emite poluentes e seu funcionamento é silencioso”, afirma Ney Eustáquio. Além disso, sua bateria é de níquel e cloreto de sódio, totalmente reciclável e não-poluente.

Palestras

O engenheiro de soluções energéticas da Cemig, Luciano Jorge Barreto, apresentará os benefícios trazidos pela implementação da eficiência energética. De acordo com ele, a eficiência energética deve ser tratada como assunto institucional, pela sua abrangência, comprometimento, valores e benefícios que permeiam todos os segmentos de uma empresa de energia, uma vez que é uma forma de otimizar o sistema elétrico e maximizar os investimentos, além melhorar o relacionamento com o cliente e reduzir de inadimplências.

Na palestra “Casos de sucesso: a implantação de empreendimentos eólicos pela Cemig”, o engenheiro Alexandre Heringer Lisboa abordará a experiência na exploração da energia eólica, desde as primeiras experiências com as estações de radiocomunicação de Pompéu, Porto Indaiá e Morro do Camelinho, no interior de Minas, até a aquisição dos três parques eólicos no Ceará, no ano passado. Será destacada também a instalação da Usina Eólio-Elétrica Experimental do Morro do Camelinho, no Vale do Jequitinhonha, a primeira do Brasil.

De acordo com Heringer, a jornada é um oportunidade para troca de experiência com as demais empresas. “Estarão presentes grandes nomes dos especialistas em energia renovável do Brasil e a Cemig, por ser uma das referencias nesse campo, tem que estar representada para divulgar sua experiência”, afirma. Segundo ele, o público presente também vai demandar todo tipo de informações sobre as tecnologias solar, eólica, carro elétrico e eficiência energética, assuntos que a Cemig domina com maturidade.

Serviço:

Evento: 1ª Jornada Internacional sobre Energias Renováveis, Eficiência Energética e Poder Local em Betim e 1ª Feira de Tecnologia de Energias Renováveis e Eficiência Energética.

Data: 17 a 19 de março de 2010.

Horário: das 8h às 18h

Local: Centro Administrativo da Prefeitura de Betim

Endereço: rua Pará de Minas, 640, Brasiléia, BetimGoverno Aécio

19/03/2010 Posted by | Ação Sustentável, Água, Meio Ambiente | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Economia solidária: Governo Aécio vai promover 10 conferências regionais

A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), por meio do Conselho Estadual de Economia Popular Solidária, realizará 10 Conferências Regionais de Economia Popular Solidária desta sexta-feira (19) até 31 de março. O encontro vai reunir grupos de todas as regiões do Estado, representantes de empreendimentos econômicos solidários, entidades de assessoria e fomento e órgãos governamentais. O tema discutido será “O direito às formas de organização econômica baseadas no trabalho associado, na propriedade coletiva, na cooperação e na autogestão, reafirmando a Economia Solidária como estratégia de desenvolvimento”.

Nas conferências regionais, serão indicados os delegados de cada localidade que vão participar da II Conferência Estadual de Economia Popular Solidária, que vai ser realizada entre 28 a 30 de abril, em Belo Horizonte.

De acordo com o subsecretário de Trabalho, Emprego e Renda da Sedese, Fernando Sette, as conferências regionais serão de fundamental importância para que os segmentos municipais que trabalham com a Economia Popular Solidária possam apresentar as propostas a serem analisadas na II Conferência Estadual. “Precisamos saber como pensam e quais são as reais necessidades, dificuldades e facilidades dos empreendimentos, associações e cooperativas que trabalham na lógica da Economia Popular Solidária em cada município. As conferências regionais nos ajudarão a sintetizar essas ideias para que as mesmas possam ser apresentadas e discutidas na Conferência Estadual”, afirma.

Para um dos coordenadores do Fórum Mineiro de Economia Popular Solidária, João Lopes, as conferências regionais buscam o fortalecimento das políticas públicas voltadas para o segmento. “A mobilização entre os empreendimentos, entidades e governo que ocorre nas conferências regionais proporciona a criação de novas ações voltadas para a economia popular solidária”, analisa.

A organização do evento tem a participação de representantes do Fórum Mineiro de Economia Popular Solidária, Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social, Superintendência Regional do Trabalho, Empreendimentos Econômicos Solidários e Conselho Estadual de Economia Solidária.

Economia Popular Solidária

É uma forma diferenciada de organização de atividades econômicas.  Caracteriza-se pela autogestão, uma forma de administração na qual prevalece a autonomia de cada empreendimento e a igualdade entre os membros participantes. No caso de um empreendimento solidário dirigido para a produção, todos os membros terão cotas iguais do seu capital, caracterizando-se como sócios do empreendimento.

Cronograma

Zona da Mata: Leopoldina

Data: 19 a 20 de março.

Local: Paróquia São José Operário, rua Jonas Bastos, 100, bairro Fátima.

Vertentes: Tiradentes

Data: 19 e 20 de março.

Local: Teatro Campo Dom Bosco, praça Dom Euchvesio, 64, bairro Fábrica-UFSJ.

Sul de Minas: Varginha

Data: 24 de março.

Local: Teatro Mestrinho do Colégio Marista, praça Champagnat, 68, centro.

Noroeste: Unaí

Data: 25 e 26 de março.

Local: Casa de Retiro Frei Tito, avenida Frei Anselmo, 337, bairro Divinéia.

Norte: Montes Claros

Data: 25 e 26 de março.

Local: Secretaria de Cultura (antiga biblioteca infantil) – avenida Deputado Esteves Rodrigues.

Região Metropolitana: Contagem

Data: 26 e 27 de março.

Local: Centro Público de Economia Popular Solidária.

Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba: Uberlândia

Data: 27 e 28 de março.

Local: Universidade Federal de Uberlândia Campus Santa Mônica, avenida João Naves de Avila, Centro de Convivência e Bloco 3 Q.

Jequitinhonha: Araçuaí

Data: 30 de março. Local: A definir

Vale do Rio Doce: Governador Valadares

Data: 31 de março.

Local: Salão de Reuniões da União Operária de GO – São João, 558, centro.

Vale do Mucuri: Teófilo Otoni

Data: 31 de março.

Local: Casa Emaus – rua Amadeu Onofre S/Nº – bairro Teófilo Rocha.

19/03/2010 Posted by | Meio Ambiente | , , , , , , | Deixe um comentário

Governo Aécio promove curso de reaproveitamento alimentar no Centro Mineiro de Referência em Resíduos

O Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR) está com inscrições abertas para uma nova turma do Curso Básico de Educação Alimentar, promovido pelo Conselho Nacional do Serviço Social da Indústria (Sesi). As aulas integram o projeto Cozinha Brasil – Alimentação Inteligente e acontecem em março, nos dias 29 e 30 de março das 13h30 às 16h50 e 31 das 9h às 12h30, totalizando carga horária de 10 horas. As vagas são limitadas e as inscrições são gratuitas.

A iniciativa tem como objetivo elevar o nível de saúde e qualidade de vida, visando à produção e à ingestão de uma alimentação de alto valor nutricional e baixo custo. Nas aulas práticas serão preparados doces, bolos, carnes e sucos feitos com cascas, talos, folhas e sementes, elementos geralmente desprezados no dia a dia. “Ao invés de ir para a lixeira, as cascas e sementes dão um sabor especial às receitas convencionais. O resultado são pratos altamente nutritivos”, explica a coordenadora da Cozinha Experimental do CMRR, Fernanda Redig.

Durante o curso, os alunos também terão a oportunidade de aprender boas práticas de manipulação de alimentos, compras e dicas de higiene e nutrição.

A Cozinha Experimental do CMRR é um espaço criado, exclusivamente, para estimular a mudança de comportamento e dos hábitos alimentares, dentro dos princípios do consumo consciente e combate ao desperdício.  Ao final do curso, os participantes recebem certificados.

Serviço:

Curso Básico de Educação Alimentar

Programa Cozinha Brasil – Alimentação Inteligente

Data: 29, 30 e 31 de março de 2010

Horário: 29 e 30 das 13h30 às 16h50 e 31 das 9h às 12h30

Carga horária: 10 horas

Local: Centro Mineiro de Referência em Resíduos – rua Belém (esquina com avenida dos Andradas), nº 40, bairro Esplanada – Belo Horizonte

Inscrições gratuitas: (31) 3465-1211 e 3465-1206

Vagas limitadas

19/03/2010 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente, Responsabilidade Social | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Governo Aécio inicia projeto de capacitação voltado para os catadores de materiais recicláveis de Minas

O Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR) em parceria com o Movimento Nacional de Catadores de Materiais Recicláveis (MNCMR), Instituto Nenuca de Desenvolvimento Social (Insea), Fundação Banco do Brasil (FBB), Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Minas Gerais (Sebrae-MG) iniciam, nesta sexta-feira (19), um projeto de capacitaçãovoltado para os catadores de materiais recicláveis de MinasGerais.

Intitulado “Fortalecimento do associativismo e do cooperativismo dos catadores de materiais recicláveis: formação para a autogestão, assistência técnica e mobilização em Minas Gerais”, o projeto tem como objetivo fortalecer as organizações sociais e produtivas de catadores de materiais recicláveis do Estado, por meio de um processo de formação para a autogestão, assistência técnica, fomento à mobilização e intercâmbio da categoria, bem como contribuir para sua maior inserção enquanto empreendimentos solidários através do aumento da capacidade profissional, técnica, social e política.

O trabalho desenvolvido por esses trabalhadores, nem sempre visível para a sociedade em geral, coloca-se, hoje, como uma das principais formas de sustentabilidade ambiental e econômica desse segmento da população. O princípio básico do trabalho concentra-se nas habilidades e conhecimentos acerca da coleta, triagem e comercialização dos recicláveis. A busca de melhoria das condições de vida a partir do que é descartado pela sociedade encontra desafios que vão, desde a pouca habilidade de alguns para o domínio da cadeia produtiva, até o conhecimento insuficiente para a comercialização, resultando, muitas vezes em exploração por parte de terceiros.

Estima-se que 90% do material que abastece a indústria recicladora brasileira é coletado por catadores de materiais recicláveis (Insea, 2006), que são, ainda hoje, muitas vezes moradores de rua ou de locais de disposição inadequada de resíduos, e, que atuam de forma individual, tendo na atividade de catar material reciclável sua única fonte de sobrevivência.

Sem muitos recursos financeiros e quase sempre com baixa escolaridade e qualificação, estes trabalhadores são submetidos à exploração de atravessadores que pagam preços reduzidos pelos materiais recicláveis e muitas vezes são dominados pela coação, empréstimo do carrinho de coleta ou adiantamentos em dinheiro.

A organização da categoria por meio da criação de empreendimentos econômicos solidários é uma alternativa na busca pela reversão deste quadro. Tais empreendimentos objetivam a inclusão social e produtiva desse segmento da população, através do exercício efetivo da cidadania com resgate dos seus direitos ao trabalho, à renda, às políticas sociais.

A expectativa é que aproximadamente mil catadores sejam beneficiados diretamente pelo projeto. As aulas iniciam nesta sexta-feira (19), sendo realizadas a partir de então, uma vez por mês, sempre no fim de semana, até o mês de agosto. Os encontros acontecerão no CMRR, que fica na rua Belém, 40, esquina com avenida dos Andradas, bairro Esplanada. Informações por meio do (31) 3295-7270 ou pelo e-mail tatimgoulart@gmail.com.

19/03/2010 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente, Responsabilidade Social | , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário