Minas Sustentável

Meio Ambiente, cidades sustentáveis

Mnas sem Lixões: continua ciclo de encontros técnicos “Sustentabilidade na Prática”

O ciclo de encontros técnicos “Sustentabilidade na Prática”, realizado pelo programa Minas sem lixões, continua no mês de abril, com uma programação voltada para orientar sobre as medidas mínimas necessárias para o fim da disposição dos resíduos sólidos urbanos a céu aberto, em cumprimento à Deliberação Normativa (DN) 118/08, do Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam). Com inscrições gratuitas, a maratona começa no dia 13 de abril, das 8h às 17h, nos municípios de Engenheiro Caldas, na região Leste, e em São Vicente de Minas, na região Sul. No dia 15 de abril, estão confirmados encontros em Salinas, no Norte, e Moema, no Centro-Oeste de Minas. O público-alvo será formado por gestores municipais.

Desenvolvido pela Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam) em parceria com a Fundação Israel Pinheiro (FIP), o programa Minas sem lixões tem como meta, em 2010, a realização de 25 encontros técnicos “Sustentabilidade na Prática”. Para estimular a troca de informações, a programação inclui palestras com especialistas e visitas técnicas aos aterros controlados das cidades que sediarão os seminários. “Município que possui lixão está irregular perante a legislação ambiental, devendo executar uma série de medidas que, na prática, significa a implementação do aterro controlado”, explica o coordenador técnico do Minas sem Lixões da FIP, Eualdo Pinheiro.

Os requisitos mínimos para o fim dos lixões estão listados na DN Copam 118/08, como compactar e recobrir o resíduo com terra ou entulho regularmente, implantar sistema de drenagem pluvial, buscar a inserção social de pessoas que catam recicláveis no local, dispor o resíduo em solo de baixa permeabilidade, a uma distância mínima de 500 metros de núcleos populacionais, de 100 metros de rodovias e estradas e de 200 a 300 metros de cursos d’água, entre outros. De acordo com Pinheiro, essas medidas são exigidas até que seja implantado pelo município sistema tecnicamente adequado de disposição final de resíduos sólidos urbanos, como os aterros sanitários ou usinas de triagem e compostagem.

Em Salinas, o lixão foi erradicado em 2008 e o próximo passo será a construção de um aterro sanitário. “Esses encontros são de fundamental importância para o acesso às informações técnicas e, principalmente, para a troca de experiências entre os municípios”, afirma a assessora de Desenvolvimento Ambiental da Prefeitura de Salinas, Geilza Batista Costa. Em Engenheiro Caldas, o antigo depósito de lixo, que ficava próximo a uma lagoa, foi desativado e recuperado. Com o aterro controlado, localizado em uma área adequada em cumprimento aos requisitos da DN Copam 118/08, a população já verifica importantes melhorias principalmente em relação à saúde, com a redução de doenças transmitidas por vetores como moscas, mosquitos, baratas, entre outros.

“A escolha de um sistema tão precário como o lixão gera gastos em saúde e qualidade de vida para a população. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a cada R$ 1 aplicado em saneamento básico, economiza-se R$ 4 em ações de manutenção da saúde pública”, completa Pinheiro. Atualmente, existem em Minas Gerais lixões em 385 municípios – grande parte é de pequeno porte com população urbana inferior a 10 mil habitantes. Em 2003, quando teve início o programa Minas sem lixões, esse número era superior a 600.

Os próximos encontros da série “Sustentabilidade na Prática” sobre a DN Copam 118/08 ocorrerão em Joaquim Felício e Bonfinópolis de Minas, em 8 de junho. As inscrições devem ser feitas pelos telefones (31) 3281.5845, 3824-7814 ou pelo e-mail minassemlixoes@israelpinheiro.org.br.

Anúncios

12/04/2010 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente | , , , , , , , | Deixe um comentário

Vale do Aço discute ações para o desenvolvimento sustentável com apoio do Governo Anastasia

O governador Antonio Anastasia participou, nesta sexta-feira (9), em Ipatinga, no Vale do Aço, da abertura do Seminário Internacional de Gestão Integrada do Território para o Desenvolvimento Sustentável. O governador defendeu o debate permanente sobre o meio ambiente e o desenvolvimento sustentável entre as várias instâncias de governo, empresários, especialistas e a sociedade. Para ele, esse é o melhor caminho para a superação de obstáculos e a construção de políticas públicas voltadas para a preservação.

“É fundamental o debate permanente sobre a questão ambiental. Minas é o estado considerado como caixa d’água do Brasil. Temos um grande patrimônio hídrico e a região do Rio Doce é uma das regiões mais irrigadas do Brasil. Este simpósio vai mostrar novas alternativas de preservação, que não podem ser só do governo e, aí a importância do evento. São alternativas que vêm da sociedade, dos técnicos, dos especialistas, dos ambientalistas, dos professores. Todos discutirão quais os melhores caminhos. E o governo está aberto para receber essas propostas”, afirmou o governador em entrevista para imprensa local.

O seminário acontece até o dia 11 com o objetivo de discutir modelos de desenvolvimento sustentável adaptados à realidade da região. Organizado pelas entidades ambientalistas brasileiras Instituto BioAtlântica (IBio) e Fundação Gorceix em parceria com o Instituto português Politécnico de Tomar, o seminário faz parte de um programa de formação nos níveis técnicos e de especialização, envolvendo lideranças empresariais, acadêmicos, representantes do governo e da área de meio ambiente.

Em seu pronunciamento para lideranças empresariais, acadêmicos, e especialistas da área ambiental, o governador ressaltou a importância de discutir o desenvolvimento sustentável para regiões como o Vale do Aço que tem grande potencial de crescimento econômico.

“Na região Vale do Aço que tem muitos empreendimentos e receberá mais ainda, precisamos conceber como esse desenvolvimento econômico será compatível com o meio ambiente e a sustentabilidade. Tenho certeza de que seremos capazes de apresentar uma gestão integrada para região”, afirmou o governador.

Mata Atlântica

O seminário discute, entre outros itens, a preservação da Mata Atlântica, um dos biomas mais ameaçados do planeta. O governador Antonio Anastasia destacou a diversidade da flora e fauna de Minas Gerais e a riqueza hídrica do Estado.

“O Estado tem uma política bastante agressiva para a sustentabilidade e manutenção, não só através dos parques – e o próprio Parque do Rio Doce é um exemplo disso. Já investimos aqui alguns milhões de reais e, há poucos dias atrás, com a presença do governador Aécio Neves, inauguramos a expansão das obras de infraestrutura do parque. Investir e debater a sustentabilidade é também muito importante, é uma questão fundamental para nós”, disse ele.

Minas aderiu ao Pacto pela Restauração da Mata Atlântica no início deste ano, com o objetivo de recuperar 15 milhões de hectares até 2050. O documento foi assinado durante inauguração das obras de infraestrutura no Parque do Rio Doce, que abriga a maior área de Mata Atlântica de Minas. O Governo do Estado investiu R$ 3,5 milhões na obras.

Em 2009, o Parque do Rio Doce recebeu 18 mil visitantes. Em seus 36.970 hectares podem ser encontradas cerca de 10 mil categorias de espécies da Mata Atlântica. Já foram identificados 325 espécies de aves e 77 mamíferos, inclusive, espécies ameaçadas de extinção. O Parque do Rio Doce está na região considerada o terceiro maior ecossistema lacustre do Brasil, perdendo para o Pantanal e a Amazônia. A região tem 40 lagos naturais.

Após a abertura do seminário, foi realizada conferência com a participação do ex-ministro de Minas e Energia e de Planejamento, Eliezer Batista, atualmente membro do Conselho Deliberativo do Instituto BioAtlântica (IBio). Cerca de 60 lideranças da região da Bacia do Rio Doce se reuniram em um workshop realizado contribuir com as diretrizes do Programa de Fortalecimento do Capital Social e Qualificação em Gestão Integrada do Território (GIT) para o Desenvolvimento Sustentável na Bacia do Rio Doce, em fase de elaboração.

12/04/2010 Posted by | Ação Sustentável, Água, Meio Ambiente | , , , , , , , | Deixe um comentário