Minas Sustentável

Meio Ambiente, cidades sustentáveis

Parque do Itacolomi é alternativa verde no Carnaval de Ouro Preto

O Parque Estadual do Itacolomi, próximo a Ouro Preto e Mariana, é uma boa opção para aqueles que buscam diversão em contato com a natureza neste Carnaval. E é também uma alternativa para quem quiser dar uma pausa da folia nas Cidades Históricas.

O parque oferece trilhas interpretativas, lagoa com tirolesa e expedições ao Mirante do Custodio e ao Pico do Itacolomi. As expedições só podem ser feitas com acompanhamento de guia e acontecem diariamente, saindo da sede do parque às 8h30.

Além disso, os turistas podem conhecer algumas atrações histórico-culturais, como o Centro de Visitantes Interativo, o Museu do Chá a Casa Bandeirista, que abriga exposições dos Viajantes Naturalistas. O espaço, construído entre 1706 e 1708, é tido por especialistas como o primeiro prédio público do Estado. Era a antiga sede da fazenda São José do Manso e um ótimo exemplo de arquitetura colonial.

O parque estará aberto durante todo o feriado do carnaval de 8h às 17h. A infraestrutura inclui alojamentos, restaurante, playground, área de camping com capacidade para 30 barracas e/ou 120 pessoas, estacionamento e quadra de areia. A taxa de entrada para visitantes é de R$ 6 e para campistas, R$ 15. A capacidade máxima de visitantes é de 1.200 pessoas por dia.

O gerente do parque, Juarez Távora, alerta para a necessidade do cumprimento das regras da unidade de conservação para um turismo sustentável. “O visitante não deve se esquecer de trazer água e protetor solar, mas a única coisa que pode levar do parque são fotos e lembranças. Seguir as normas é importante para que possamos recebê-los sempre.”

A natureza

O parque possui uma área de 7.543 hectares de matas, onde predominam as quaresmeiras e candeias ao longo dos rios e córregos. Nas partes mais elevadas, aparecem os campos de altitude com afloramentos rochosos, onde se destacam as gramíneas e canelas de emas.

Há muitas nascentes escondidas nas matas, que deságuam, em sua maioria, no rio Gualaxo do Sul, afluente do rio Doce. As mais importantes são os córregos do Manso, dos Prazeres, Domingos e do Benedito, o rio Acima e o ribeirão Belchior.

A unidade abriga diversas espécies de animais raros e ameaçados de extinção, como o lobo guará, a ave-pavó, a onça parda e o andorinhão de coleira (ave migratória). Também podem ser vistas espécies de macacos, micos, tatus, pacas, capivaras e gatos mouriscos. Levantamentos identificaram mais de 200 espécies de aves, como jacus, seriemas e beija-flores.

Anúncios

03/03/2011 - Posted by | Meio Ambiente | , , ,

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: