Minas Sustentável

Meio Ambiente, cidades sustentáveis

Mapa identificará áreas de inundações em Minas Gerais

O Estado de Minas Gerais está construindo seu primeiro Mapa de Inundações. O objetivo é identificar os locais que mais correm risco de enchentes no Estado e buscar dados que auxiliem no planejamento de ações de prevenção, controle e mitigação de cheias. Desenvolvido pelo Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema), com o apoio da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec)Corpo de Bombeiros e Comitês de Bacias Hidrográficas, o trabalho integra um mapeamento mais amplo, coordenado pela Agência Nacional de Águas (ANA), que resultará no Atlas Nacional de Vulnerabilidade a Inundações.

O levantamento das áreas inundadas em Minas começou em setembro de 2011 e deve ser concluído no final de fevereiro. Estão sendo coletadas informações sobre os trechos inundáveis dos principais rios do Estado, a frequência das inundações e os danos causados pelas cheias. “Nessa primeira etapa contamos com o envolvimento da população local, que detém o conhecimento das bacias hidrográficas”, explica Zenilde Guimarães Viola, diretora de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais e Enchentes da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad).

Por meio da secretaria, foram enviados mapas das bacias hidrográficas para os conselheiros de 36 comitês mineiros identificarem áreas de inundações. “Também estamos trabalhando com as coordenadorias municipais de Defesa Civil e as unidades do Corpo de Bombeiros do Estado, com apoio da Cedec”, complementa Zenilde.

De acordo com a diretora, os colaboradores estão identificando nos mapas os rios que apresentam inundações e a frequência, podendo ser alta (áreas que inundaram nos último cinco anos), média (entre cinco e dez anos) ou baixa (há dez anos). E também descrevendo os impactos: alto, se houve dano a vida humana e danos significativos a serviços essenciais, instalações e obras de infraestrutura públicas e residenciais; médio, se esses danos foram razoáveis, e baixo para danos localizados e privados.

As informações coletadas serão analisadas pela equipe do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema) e complementadas com os dados do Sistema de Meteorologia e Recursos Hídricos de Minas Gerais (Simge) operado pelo Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam), entidade que integra o Sisema. “O Simge monitora o tempo, o clima e o comportamento dos cursos de água em todo o Estado desde 1997 e possui uma série histórica que poderá contribuir significativamente com este trabalho” informa a coordenadora do Simge, Paula Souza.

Atlas Nacional de Vulnerabilidade a Inundações

A construção do Atlas Nacional de Vulnerabilidade a Inundações começou em janeiro de 2011, com a coordenação da ANA e participação de todos os estados brasileiros, que estão criando seus respectivos mapas de inundações. “O Atlas é uma importante ferramenta de planejamento a prevenção de inundações, que permitirá identificar os pontos mais críticos e as estimativas dos impactos das cheias”, explica o gerente de Eventos Críticos da ANA, Marcelo Medeiros. De acordo com o gerente, o lançamento do Atlas está previsto para o segundo semestre de 2012, e será disponibilizado no site http://www.ana.gov.br.

Anúncios

08/02/2012 - Posted by | Meio Ambiente | , , ,

3 Comentários »

  1. O governo deveria fazer um projeto de educação ambiental para reduzir os gastos com limpeza pública, a maioria do povo suja muito a rua por falta de conhecimento. Eu fiz um trabalho sem medir esforço para fazer uma associação em salinas para conseguir uma verba solidária do governo para alfabetização e educação ambiental. Mas foi inútil, o governo com o projeto do iIdene nesta época não tinha uma associação bem formada, porém tinha esta intenção e eu não pude conseguir por meio de intervenção política mesmo sendo do partido dos trabalhadores. A secretaria de educação observou a minha boa intenção e me colocou para trabalhar como coordenador, que depois o prefeito mesmo sendo de outro partido me cedeu para trabalhar em horário integral por mais um ano. Mesmo assim fiquei satisfeito porque pelo menos fiz a minha parte, e ao terminar o meu tempo eu enviei uma carta fazendo um agradecimento a ele. E quando foi em 17 de julho de 209 eu recebi uma mensagem de um anjo e com essa mensagem eu recebi mais coisas que eu nem posso me relatar para não fazer como Maomé. Mas fui esclarecido pelo meu Criador que a maioria do nosso povo vive enfeitiçado. E de acordo as minhas intenções e pensamentos vieram a ser tudo compatível com a Bíblia e a marca do meu rebanho Associação de agricultores meu diploma minhas frases símbolos e frases do hino brasileiro, árvore do brasil e dos Estados Unidos. Peço às pessoas bem intencionadas para fazer uma das melhores divulgação do meu Site O SAL DA TERRA. Eu não vou fazer um comentário abrangente o Site, que ´depois que o povo ler vai ficar sabendo de tudo que está preste para acontecer neste planeta. Eu sempre procurei ser uma pessoa justa e fiel mas estava enganada. E o Criador me abençoou e me esclareceu de tudo, não só o que está na profecia mas na história geral do mundo e do nosso povo uma economia com argúcias errada sendo que poderíamos ser país de primeiro mundo há muito tempo. Muita coisa necessita se mudada e a maioria fica muda, surda e sega adormecida que para assustar necessita vir do altíssimo uma ferroada forte. É como paulatinamente está acontecendo e a maioria fica despercebida ausente do poder. A nossa moeda podia ser mais valiosa com uma coisa muito simples os próprios líderes faz seus embargos. E com uma armação para o suicídio. Um abraço aos colegas que lidam com a terra e politica sustentável.

    Comentário por Plácido Loiola Sarmento | 23/04/2012 | Responder

  2. Não façam as coisas sem meditar nas leis verdadeiras, nunca excluam o minimo da lei SUPREMA onde é a minha obediência sem medida. Respeite o que está determinado pelo homem mais sábio do nosso Universo.
    Não faça pérfidas argúcias sem conhecer a palavra de Deus porque o maior crime do mundo é a pessoa querer ser sábio sem ao mundo conhecer. Pois se não conhecem as leis verdadeiras, como pode conhecer o mundo? E quem não conhecem as leis da supremacia é viver e morrer muito pior que um animal comun!…

    Comentário por Plácido Loiola Sarmento | 23/04/2012 | Responder

  3. E se alguém pensar que é poderoso aqui na terra e tem poder em outro lugar como no ar poque anda de avião ou de aeronave irá ficar envolvido em uma loucura terrível que vai desejar a morte e não vai encontrar.

    Comentário por Plácido Loiola Sarmento | 23/04/2012 | Responder


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: