Minas Sustentável

Meio Ambiente, cidades sustentáveis

Gestão da Educação: operários do Mineirão recebem diploma

Governo Anstasia: Seis profissionais que atuam na reforma e estudam na instituição montada no canteiro do estádio vão se formar no ensino fundamental

Sylvio Coutinho
Cerca de 80 trabalhadores da obra já passaram pela escola montada no canteiro do estádio
Cerca de 80 trabalhadores da obra já passaram pela escola montada no canteiro do estádio
 

Seis operários da escola de alfabetização do Mineirão vão se formar como estudantes do ensino fundamental nesta sexta-feira (10). O carpinteiro Roberto Carlos de Souza, 45 anos, é um deles. “Se não fosse essa obra, não teria chegado até aqui. Havia parado de estudar em 1980”, conta o formando, que vendia picolé em porta de escola. Ele planeja continuar os estudos para conseguir novos trabalhos. “Já perdi muitas oportunidades porque não sabia ler ou escrever corretamente. Agora faço contas de cabeça”, comemora o aluno de Divino, cidade da Zona da Mata mineira.

Cerca de 80 trabalhadores da obra já passaram pela escola montada no canteiro do estádio. As aulas fazem parte da modalidade de Educação para Jovens e Adultos (EJA), da rede pública de ensinos fundamental e médio. Atualmente, os 31 alunos estão distribuídos em três tipos distintos de turmas: de alfabetização, de nível intermediário e, por último, a classe de certificação, da qual fazem parte os formandos.

Para Ricardo Barra, diretor-presidente da Minas Arena, empresa responsável pela obra, a iniciativa é parte indispensável de um empreendimento dessa magnitude. “É gratificante oferecer essa oportunidade e saber que muitos operários passam a acumular novos conhecimentos em busca de qualificação profissional e realização pessoal”, comenta.

A professora Danusa Carvalhaes reforça a grandeza de sua atuação. “Meu trabalho é muito reconhecido por todos eles, que participam ativamente das aulas. É muito gratificante, minha relação com eles é ótima”, diz.

O motorista Melchisedec Harlem de Brito, 40 anos, conhecido como Mequinha, também é outro exemplo de determinação por ter corrigido a distância de 17 anos longe da escola. “Entrei na obra como servente e hoje sou motorista. Parei de estudar na quinta série e fui trabalhar para sobreviver. Uma das melhores coisas foi ter aprendido mais sobre matemática para melhorar na soma de medidas e outros cálculos”, revela.

O secretário interino da Secopa, Fuad Noman, elogia a iniciativa. “Responsabilidade social hoje é uma realidade que gera resultados perenes não só para o próprio beneficiado, como é o caso dos alunos da escola do estádio, mas também para o mercado, que passa a contar com mão de obra mais qualificada”, conclui.

Fontehttp://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/operarios-da-escola-de-alfabetizacao-do-mineirao-recebem-diploma/

Anúncios

09/08/2012 - Posted by | Governo Antonio Anastasia, Governo de Minas | , , , , , , , , , , , ,

Sorry, the comment form is closed at this time.

%d blogueiros gostam disto: