Minas Sustentável

Meio Ambiente, cidades sustentáveis

Aécio Neves: os velhos e as vaias contra Dilma – coluna

Aécio Neves: Aécio: após episódio do Bolsa Família, o PT pode concluir que oposição arregimentou 70 mil torcedores para vaiar a presidente Dilma.

Aécio Neves: PT e as vaias contra Dilma

AÉCIO NEVES

Os velhos

Ao lembrar a figura do Velho do Restelopersonagem de Camões que simboliza o pessimismo diante dos novos tempos, a presidente Dilma Rousseff parece ter se esquecido da trajetória do próprio partido.

Quando a caravela do Plano Real estava pronta para zarpar, em 1994, o Velho do Restelo petista foi o primeiro a insistir: não vai dar certo. Assim também já havia acontecido com a Constituição de 1988, que o PT ameaçou não assinar.

Ou, ainda, quando expulsou dos seus quadros os deputados eleitores de Tancredo, desprezando o caminho mais curto para o reencontro do Brasil com a democracia.

Para decepção desse Velho do Restelo, o que deu errado foram suas previsões –a ditadura militar chegou ao seu fim, a Constituição inaugurou um novo tempo e o Plano Real trouxe estabilidade e prosperidade para o país. O Brasil pôde então singrar por mares nunca dantes navegados.

A queda da aprovação da presidente não deveria abalar o governo federal como o fez.

A chefe da nação precisa manter serenidade para encontrar um caminho consistente a fim de reverter o quadro de dificuldades que o país está enfrentando.

E, também, para enfrentar a perda de credibilidade internacional manifestada, agora, pela agência Standard & Poor’s ao alertar para uma perspectiva negativa da economia brasileira.

Há um episódio exemplar que resume a facilidade com que governantes se entregam à avaliação rósea dos bajuladores. Dizem que, na época da ditadura, a dona do “Jornal do Brasil” compareceu a um almoço com o então presidente Costa e Silva. Ele teria se queixado da severidade dos editoriais em relação ao governo.

A interlocutora explicou que o veículo adotava uma postura de “crítica construtiva”. “Agradeço, mas eu gosto mesmo é de elogio”, teria dito Costa e Silva, em resposta que parece estranhamente atual.

A analogia literária do Velho do Restelo cedeu lugar à galhofa do ministro da Justiça, que comparou a oposição a um personagem de desenho animado de sucesso. Aquele que vive reclamando: “Ó céus, ó vida, ó azar, ó dia…”.

A lembrança é boa porque, na verdade, o personagem combina com os próprios petistas, obrigados a receber quase todos os dias notícias ruins: o pibinho (“ó céus!”), a volta da inflação (“ó azar!”), o caos logístico (“ó dia!”).

Tendo em vista o nervosismo e a intolerância manifestados pelo governo nos últimos tempos e a sua crescente tendência autoritária de desqualificar toda e qualquer crítica, não será surpresa se os mesmos que, irresponsavelmente, acusaram a oposição pelo episódio do Bolsa Família concluírem que foi a mesma oposição que arregimentou 70 mil torcedores para vaiar a presidente da República. Ó vida!

AÉCIO NEVES escreve às segundas-feiras nesta coluna.

Anúncios

19/06/2013 Posted by | Política | , , | Deixe um comentário

2014: Aécio agregou união ao PSDB

2014: candidatura de Aécio à Presidência promove a união. “O partido tem, enfim, um único nome, inquestionável”, escreveu Cantanhêde.

2014: Aécio Neves

Aécio PSDB

Aécio une o PSDB.

Fonte: Folha de S.Paulo 

Armistício

Eliane Cantanhêde

Armistício

BRASÍLIA – Nunca antes na história de 25 anos do PSDB, o partido esteve tão unido quanto agora, em torno da candidatura de Aécio Neves à Presidência da República.

Em São Paulo, Franco Montoro estava acima de Mário Covas, que tinha ciúme (mútuo) de Fernando Henrique, que tem convivência quase protocolar com Geraldo Alckmin, que mal digere José Serra, que… criava e cria confusão com os demais.

Sem nenhum paulista candidatando-se à Presidência, o clima se desanuvia e fica mais fácil todos cerrarem fileiras com um candidato além-fronteiras, caindo de paraquedas dos céus de Minas Gerais. A disputa, a inveja e o ciúme mútuos se diluem e ficam restritos às composições locais.

Se há um resquício de dúvida sobre o destino de Serra –que tem respeito das elites e “recall” nas pesquisas, e não apoio no partido–, ninguém cogita hoje uma candidatura de Alckmin ao Planalto. Ele trabalha abertamente pela reeleição ao Bandeirantes e até convidou pessoalmente Aécio para dividir os holofotes do programa partidário em São Paulo.

No resto do país, velhos líderes tucanos, como Tasso Jereissati (CE), governadores, como Beto Richa (PR), e jovens prefeitos, como Rui Palmeira (Maceió), parecem felizes da vida com essa novidade: o partido tem, enfim, um único nome, inquestionável. Isso reflete no ânimo das bancadas de senadores e deputados.

A prioridade de Aécio é fortalecer candidaturas próprias que tenham reais chance de vitória nas disputas estaduais, mas reservando as cabeças de chapa no resto – onde o PSDB não tenha opções fortes– para partidos e aliados regionais que possam vir a engrossar sua campanha nacionalmente mais à frente.

Ele passa a impressão de não brincar em serviço, recrutando quadros técnicos e forjando uma imagem que alie o seu lado JK, jovial, simpático, com uma capacidade estratégica que poucos conhecem, ou reconhecem.

Tem consciência, porém, que o futuro à deusa economia pertence

19/06/2013 Posted by | Eleições 2014, Política | , , , | Deixe um comentário

Aécio Neves diz que Dilma não investe em Minas

Aécio: levantamento da Contas Abertas mostra que estatais federais não investiram em Minas Gerais nem 15% do previsto para 2013.

Aécio: Gestão deficiente do Governo Dilma

Aécio: Gestão deficiente do Governo Dilma

Aécio: Gestão deficiente do Governo Dilma. Regap não recebe investimentos

Fonte: Jogo do Poder

Aécio Neves 2014: governo federal não investe em MG Aécio Neves 2014: em quatro meses, estatais federais não investiram nem 15% do previsto para este ano Se quiser vencer Aécio Neves em 2014, Dilma Rousseff terá de fazer mais por Minas Gerais do que simplesmente promessas não cumpridas.

O Estado, com o segundo maior colégio eleitoral do país e onde o senador foi governador por dois mandatos, tem deixado de receber investimentos do governo federal. Recente levantamento da ONG Contas Abertas mostra que as estatais federais não investiram em Minas Gerais nem 15% do previsto para este ano. Do montante de R$ 1,6 bilhão autorizado pela União para 11 projetos e empreendimentos no Estado, só R$ 223 milhões foram investidos.

Em alguns destes investimentos, o próprio Aécio Neves foi quem lutou – ainda como governador – para garantir que Minas Gerais foi escolhido para interná-los. É o caso da unidade de produção de amônia da Petrobras. A planta, inicialmente, iria para o Mato Grosso do Sul, mas após o Governo de Minas garantir investimentos para levar gás até o Triângulo Mineiro, a Petrobras decidiu pela transferência do investimento para a cidade de Uberaba.Porém, ogoverno federal continua emperrando o aporte. Dos R$ 247 milhões previstos no orçamento da Petrobras para aplicação na “Implantação da Unidade de Produção de Amônia” em 2013, até abril, a estatal aplicou apenas R$ 9,5 milhões, o que corresponde a 3,8%.

Em matéria publicada pelo jornal Hoje em Dia, quarta-feira (12/06), outros exemplos do descaso das estatais federais durante o Governo Dilma são citados, como é o caso da modernização e adequação do Sistema de Produção da Refinaria Gabriel Passos (Regap), em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O que se espera é uma mudança deste quadro para o segundo semestre deste ano.

Os resultados das últimas pesquisas de avaliação do Governo Dilma devem acelerar a liberação destes recursos, mesmo porque, numa administração onde o que vale é a intenção eleitoral, não é nada bom entrar 2014 em baixa no Estado que tão bem administrado foi por Aécio Neves.

CLIQUE AQUI E LEIA A ÍNTEGRA DA REPORTAGEM DO JORNAL HOJE EM DIA

19/06/2013 Posted by | economia | , , , , | Deixe um comentário