Minas Sustentável

Meio Ambiente, cidades sustentáveis

Anastasia autoriza obras entre Santana do Riacho e Baldim

Caminhos de Minas:  Governador Antonio Anastasia autoriza início das obras de trecho de rodovia na região da Serra do Cipó.

Governo de Minas: Caminhos de Minas

Programa Caminhos de Minas



Fonte: Agência Minas

Obra, entre os municípios de Santana do Riacho e Baldim, receberá investimentos de R$ 64,1 milhões para asfaltamento de 35,7 quilômetros

Facilitar a circulação de pessoas e o escoamento da produção agropecuária, além de fomentar oturismo na região da Serra do Cipó são os principais objetivos da pavimentação do trecho entre Santana do Riacho e o entroncamento da MG-323, no município de Baldim, na região Central do Estado. O início dessa obra de ligação asfáltica foi determinado pelo governador Antonio Anastasia, nesta quinta-feira (5), em Baldim.

Em seu pronunciamento, Anastasia destacou a importância da obra para os dois municípios e o fortalecimento do turismo na região da Serra do Cipó. “Essa estrada, que está sendo feita agora no âmbito do Programa Caminhos de Minas, é a obra mais dispendiosa feita no município de Baldim e com muito merecimento porque, de fato, é um investimento que toda a região da Serra do Cipó precisa”, afirmou o governador.

O trecho a ser pavimentado possui 35,7 quilômetros e receberá investimentos de R$ 64,1 milhões doGoverno de Minas, por meio do programa Caminhos de Minas, incluído supervisão e desapropriações.  Anastasia destacou ser papel do Estado fazer grandes obras como as do programa Caminhos de Minas. “É nosso dever, como representantes do povo, nos esforçarmos para realizar essas obras públicas e, ao mesmo tempo, melhorar a educação, a saúde, a segurança, a cultura e a agricultura, pois é para isso que fomos eleitos. Mas é necessário equilíbrio, sensatez, dedicação, responsabilidade, o que nós temos em Minas Gerais, graças ao nosso povo, o maior valor e maior patrimônio de Minas”, disse.

Benefícios da obra

Além de beneficiar diretamente a população do município de Baldim (7.877) e de Santana do Riacho (4.066), a pavimentação do trecho vai facilitar o escoamento da produção agropecuária, que é o segundo setor mais importante na economia de Santana do Riacho e o terceiro setor na economia de Baldim. A ligação asfáltica também vai facilitar e induzir o acesso de turistas à Serra do Cipó e, especificamente, ao Distrito de Lapinha da Serra, em Santana do Riacho, dois conhecidos destinos turísticos do Estado.

O prefeito de Baldim, João Antônio Trindade, agradeceu ao governador Anastasia pela obra, dizendo ser um sonho antigo dos moradores dos dois municípios. “Hoje é um marco histórico em nosso município pelo tão sonhado asfalto interligando Baldim a Santana do Riacho, que irá contribuir para o conforto na locomoção dos nossos munícipes e alunos e também para o melhor escoamento dos nossos produtores rurais, além de fortalecer o nosso turismo”, disse Trindade.

O prefeito de Santana do Riacho, André Ferreira, também ressaltou o valor turístico da ligação asfáltica. “Essa obra irá proporcionar o melhor acesso da população a um dos cartões postais mais importantes de Minas que é a Serra do Cipó, lugar reconhecido internacionalmente pela sua riqueza de flora e fauna”, disse.

Em julho de 2012, Santana do Riacho foi contemplada com outro trecho pavimentado pelo governo estadual, ligando a sede do município ao entroncamento da rodovia MG-010, no Distrito de Cardeal Mota, por meio do Programa de Pavimentação de Ligações e Acessos Rodoviários aos Municípios (ProAcesso).

Também, durante a solenidade, o governador Anastasia assinou mensagem, encaminhando projeto de lei à Assembleia Legislativa que denomina o trecho a ser pavimentado entre Santana do Riacho e Baldim, de Rodovia Pedro Sabino. O homenageado é mineiro de Santana de Pirapama e foi tropeiro, comerciante e fazendeiro.

O programa

O Caminhos de Minas vai possibilitar maior integração ao encurtar distâncias e diminuir custos de transporte, com reflexo direto no desempenho da economia mineira. A redução no tempo de deslocamento de pessoas, bens e cargas é fator determinante para a melhoria da qualidade de vida dos moradores das regiões beneficiadas, dos que visitam o Estado ou daqueles que precisam utilizar a infraestrutura rodoviária mineira. Dessa forma, o programa também vai impulsionar a comunicação nas diversas regiões do Estado e entre uma e outra, além de desviar tráfego das rodovias troncais, o que fará com que aqueles que trafegarem pelas rodovias mineiras façam com mais segurança, tranquilidade e rapidez.

Lançado em 2010, o programa tem como objetivo ampliar e melhorar a infraestrutura logística dos municípios e regiões. É o maior programa rodoviário da história de Minas Gerais, envolvendo a obras em aproximadamente 7,8 mil quilômetros de rodovias, distribuídos por 242 trechos, beneficiando diretamente 306 municípios e 7,3 milhões de mineiros. Por meio do Caminho de Minas, estão previstas a pavimentação de nove trechos na região de Baldim e Santana do Riacho, totalizando 287,7 quilômetros. A ligação asfáltica entre Baldim e Santana do Riacho foi o 37º trecho autorizado para início das obras, por meio desse programa.

Também participaram da solenidade o secretário de Estado de Transporte e Obras Públicas, Carlos Melles, o diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), José Élcio Monteze, deputados, prefeitos, lideranças comunitárias e empresários da região.

Homenagens

Em Baldim, Anastasia foi homenageado com a declamação de um poema por alunos da Escola Municipal São Bernardo. O governador também foi saudado por alunos da Escola Estadual Oscar Artur Guimarães durante passagem por São Vicente, Distrito de Baldim.

11/09/2013 Posted by | infraestrutura | , , , , , | Deixe um comentário

Aécio conversa com brasileiros em inserções na TV

Conversa com brasileiros: Aécio fala para os estudantes que foram às ruas, critica o trem-bala e critica a inflação.

Conversa com brasileiros: PSDB e as eleições 2014

Conversa com brasileiros: Aécio estreia inserções na TV

Conversa com brasileiros: o senador Aécio Neves é a estrela de uma série de inserções televisivas do PSDB que começaram a ir ao ar ontem.

Fonte: Valor Econômico 

Aécio estrela inserções de tucanos na televisão

Com falas voltadas a estudantes, contra a construção do trem-bala e por “tolerância zero” com a inflação, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) foi a estrela de uma série de inserções televisivas do PSDB que começaram a ir ao ar a partir da noite de ontem. Os três primeiros filmes, de 30 segundos cada, trazem Aécio de camisa branca, sem gravata, caminhando em BrasíliaRio de Janeiro e Paraíba, enquanto mantém os olhos fixos na câmera e se apresenta ao telespectador: “Eu sou Aécio NevesVamos conversar?”

Na inserção gravada em Brasília, falando para estudantes e mirando o PTAécio diz que “tem muito político que gosta de dizer que mudou o Brasil. Mas quem muda o Brasil todo dia é você, que acorda cedo para chegar ao trabalho, economiza no mercado para pagar as contas no final do mês, você que estuda, mas está ali dando aquela força em casa”.

Em Japeri (RJ), Aécio afirma que o governo quer gastar R$ 38 bilhões para fazer um trem-bala entre o Rio e São Paulo. A imagem corta para estação da Central do Brasil, no Rio, onde o senador mineiro diz que o investimento não resolve os problemas de trens e metrôs de grandes cidades.

Na terceira inserçãoAécio comenta, numa feira em Campina Grande (PB), que “o governo diz que a inflação está controlada, mas você que vem ao mercado sabe que não está”. O senador avalia que “é preciso enfrentar o problema agora” e “ter tolerância zero”.

11/09/2013 Posted by | Política | , , , , | Deixe um comentário

Semana Internacional do Café destaca café mineiro

Minas Gerais: destaque na Semana Internacional, café gourmet conquistou o paladar do brasileiro

Governo de Minas: Semana Internacional do Café

Minas: Semana Internacional do Café
 

Fonte: Agência Minas

Terceira e última reportagem da série especial da Agência Minas sobre o café destaca o papel dos baristas para o setor cafeeiro

Bebida mais popular do Brasil, o tradicional cafezinho ganhou um status ainda mais especial de alguns anos para cá. Cada vez mais os empreendedores mineiros estão apostando nos chamados cafés gourmet. No Brasil, a demanda por esse tipo de bebida cresce 15% ao ano, mesmo com o café gourmet custando até 40% mais que o tradicional. O assunto é o tema da terceira e última reportagem da série especial da Agência Minas sobre a Semana Internacional do Café – evento aberto oficialmente segunda-feira (09) em Belo Horizonte.

De acordo com a Associação Brasileira de Cafés Especiais, a produção de grãos de alta qualidade no Brasil é de cerca de 2 milhões e meio de sacas de 60 kg ao ano. Cerca de 65% deste volume é produzido em Minas Gerais. Neste contexto, competições de baristas (especialistas em preparar bebidas com café) e provadores (cup tasters) mobilizam o público na oitava edição do Espaço Café Brasil, maior feira do setor na América Latina, que integra a programação da Semana Internacional do Café. Promovidos pela Associação Brasileira de Café e Barista, os concursos selecionam os baristas que representarão o país nas competições mundiais de cada categoria.

O 13º Campeonato Brasileiro de Barista é o principal foco das atenções nas feiras mundiais de cafés especiais. Os competidores têm 15 minutos para preparar e servir aos juízes: quatro espressos, quatro cappuccinos e quatro drinques de assinatura. Vale ressaltar que nenhum ingrediente com álcool é permitido. O terceiro Campeonato Brasileiro de Preparo de Café dá destaque à arte de extrair o café pelo método filtrado e manual. Os competidores precisam de técnica e habilidade para apresentar o melhor do café coado e agradar aos jurados.

Já o sexto Campeonato Brasileiro Cup Tasters consiste em testes triangulares de café. Três xícaras serão preparadas, sendo duas idênticas. O objetivo é que o competidor identifique a xícara de café diferente. Aberto a provadores e classificadores de café, a competição testa a habilidade em separar corretamente os cafés. “O objetivo principal é a busca pela excelência da qualidade. Não adianta termos um grão produzido com qualidade se o café servido não for agradável e saboroso. Assim, nesses campeonatos poderemos levar o nome do café mineiro para todo o mundo”, afirma a barista e empresária mineira Rúbia Duarte.

Potencial em alta

O Brasil responde hoje por 37% da produção internacional de café e, ainda, por 28% das exportações mundiais do grão, enquanto Minas responde por mais da metade do setor cafeeiro nacional e 25% do segmento no planeta. A força do setor, em Minas, garante ao Estado condição de destaqueinternacional. A exportação do café produzido em Minas Gerais movimentou US$ 3,8 bilhões em 2012. O grão representa o principal produto da pauta de exportações do agronegócio mineiro, segundo a Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa). Minas é, ainda, o principal estado exportador de café do Brasil.

O potencial mineiro no ramo cafeeiro foi determinante para que a Organização Internacional do Café (OIC) definisse Minas como sede da Semana Internacional do Café – que é o tema da série especial de reportagens da Agência Minas. A primeira reportagem, publicada na quinta-feira (5), mostrou a importância da produção deste grão no Estado. Já a segunda reportagem, exibida no sábado (07), destacou a expressiva participação de Minas no mercado externo de café. Acesse a Agência Minas para acompanhar a cobertura da Semana Internacional do Café e clique no vídeo ao lado para assistir à terceira e última reportagem da série especial.

Semana Internacional do Café

A Semana Internacional do Café foi aberta nesta segunda-feira (09) no Expominas, em Belo Horizonte, e segue até sexta-feira (13). A visitação do público vai até o dia 12, dentro do Espaço Café Brasil. O dia 13 de setembro está reservado a visitas técnicas às principais regiões produtoras de Minas. A Semana Internacional do Café é uma promoção do Governo de Minas, por meio da Seapa, em parceria com a Federação da Agricultura e Pecuária de Minas Gerais (Faemg), Sebrae, Organização Internacional do Café (OIC), Ministério da AgriculturaPecuária e Abastecimento, Ministério das Relações Exteriores e Café Editora. O evento conta com patrocínio da Nestlé e do Sistema OCB/Sescoop/Ocemg.

Para mais informações sobre o evento, os interessados podem acessar os siteswww.semanainternacionaldocafe.com.br ou www.espacocafebrasil.com.br. A feira apresenta exposição de equipamentos, produtos e serviços, além de promover rodadas de negócios, concurso de baristas, concurso de provadores de café (cup tasters), provas de café (cupping) e diversos eventos técnicos, como seminários, palestras e workshops.

11/09/2013 Posted by | Agricultura | , , , | Deixe um comentário

Aécio: agronegócio e a política do improviso, coluna Folha

Aécio: senador diz que Governo do PT promove o caos no setor: portos sem estrutura, escassez de ferrovias e falta de armazéns.

Agronegócio e a gestão deficiente do PT

Aécio: Agronegócio e a política do improviso, coluna Folha Agronegócio e a política do improviso, coluna Folha

Aécio: “é desoladora a descrença dos produtores na capacidade do governo federal de prover investimentos mínimos”.

Fonte: Folha de S.Paulo

Agronegócio

Coluna de Aécio Neves 

Semana passada vi de perto, dessa vez na cidade de Sorriso (MT) –considerada a capital nacional do agronegócio e nosso maior produtor individual de soja–, exemplos práticos das contradições que comprometem o desempenho da nossa economia.

Ao mesmo tempo em que nos orgulham os ganhos formidáveis de produtividade no campo, é desoladora a descrença dos produtores na capacidade do governo federal de prover investimentos mínimos, em logística e em infraestrutura, que garantam menores custos e maior competitividade no momento de escoar a produção.

A frustração é de tal ordem que ouvi de muitos deles o desejo de plantar menos, já na próxima safra, por não haver sequer condições adequadas de armazenagem.

Com o crescimento do PIB projetado ao redor de apenas 2% ao ano, o setor rural resiste de forma heroica e produz resultados que devem ser reconhecidos e saudados pelos brasileiros: no segundo trimestre, em comparação com o primeiro, o PIB agropecuário cresceu mais que o dobro do PIB. O crescimento foi de 14,7% no primeiro semestre, se comparado com o mesmo período de 2012, enquanto o setor de serviços cresceu 2,1% e a indústria, 0,8%.

A grande performance reflete as transformações ocorridas quando a estabilização da economia decretou o fim do uso especulativo da terra e inaugurou a fase da busca pela eficiência na produção.

É notável, desde então, a crescente utilização de novas tecnologias e métodos de manejo, tornando produtivo e eficiente o setor, da porteira para dentro.

As dificuldades a serem superadas estão da porteira para fora e são as mesmas que outros setores enfrentam. O Programa de Investimento em Logística acaba de completar um ano sem realizar nem sequer um leilão para obras em rodovias, ferrovias e portos.

Esse é o terceiro ano consecutivo em que o Brasil cai no Índice de Competitividade Mundial, divulgado pelo Institute for Management Development: em 2010, ocupávamos o 38º lugar; em 2011, o 44º; em 2012, 46º. Na edição 2013, o Brasil caiu mais cinco posições –está em 51º lugar entre 60 países.

O resultado são montanhas de grãos ao ar livre (principalmente soja e milho) por falta de armazenagem; quilométricas filas de carretas para chegar aos portos; escassez de ferrovias, além de navios e contêineres parados nos portos, multiplicando custos e reduzindo competitividade.

É uma realidade que penaliza a economia como um todo e atinge intensamente o setor do agronegócio, cuja cadeia produtiva contribui com 22% na formação do PIB nacional.

ausência de planejamento, o improviso e a prioridade dada ao marketing têm condenado os desafios do Brasil real ao esquecimento.

AÉCIO NEVES escreve às segundas-feiras nesta coluna.

11/09/2013 Posted by | economia, Política | , , , , , | Deixe um comentário