Minas Sustentável

Meio Ambiente, cidades sustentáveis

Petrobras: senadores aderem ao requerimento de Aécio para criação de CPI

Oposição reuniu apoio de 28 senadores para apresentar pedido de criação da CPI da Petrobras no Senado.

Mais senadores podem aderir à CPI

Fonte: Folha de S.Paulo 

Oposição consegue assinaturas para criação de CPI da Petrobras

Número mínimo de 27 apoios foi alcançado com ‘traições’ de senadores de partidos governistas

Governo tentará fazer com que aliados retirem suas assinaturas; CPI, se criada, investigará compra de refinaria

oposição reuniu ontem o apoio de 28 senadores para apresentar pedido de criação da CPI da Petrobras no Senado, derrotando por ora o governo Dilma Rousseff, que passou o dia tentando convencer aliados a não apoiar requerimento do PSDB do presidenciável Aécio Neves.

O número mínimo de 27 apoios necessários foi ultrapassado com “traições” de senadores de partidos governistas e a adesão do PSB do também presidenciável Eduardo Campos (PE).

Agora, o Planalto fará uma ofensiva para que alguns senadores mais alinhados retirem as assinaturas. Caso não consiga, vai trabalhar para que a CPI seja mista (Câmara e Senado). A avaliação é que uma comissão apenas no Senado pode virar palco de campanha para Aécio.

Os alvos iniciais do Planalto serão os governistas Clésio Andrade (PMDB-MG)Eduardo Amorim (PSC-SE) e Sérgio Petecão (PSD-AC). O clima no Planalto na noite de ontem, porém, era de pessimismo, já que há expectativa de que outros senadores também assinem o pedido: Wilder Morais (DEM-GO), por exemplo, que está afastado do Senado, prometeu enviar seu apoio.

oposição diz que vai protocolar o pedido hoje, às 9h.

O requerimento pede apuração sobre a compra da refinaria de Pasadena, sobre suposto superfaturamento de refinarias, irregularidades em plataforma, além da suspeita de que uma empresa holandesa pagou propina a funcionários da Petrobras.

Em ano eleitoral, congressistas admitem, nos bastidores, que o pedido pode esbarrar na pressão de empreiteiras, tradicionais doadoras de campanhas, que têm contratos com a Petrobras.

Pelo regimento do Senado, os senadores podem retirar assinaturas do pedido até a meia-noite do dia em que ele for lido no plenário da Casa.

A data da leitura é marcada pelo presidente do SenadoRenan Calheiros (PMDB-AL), aliado de Dilma, que declarou publicamente ser contrário às investigações. O PMDB não tem interesse na CPI, pois diretores que devem ser alvo da apuração foram nomeados com seu apoio.

Crucial para que o número mínimo de assinaturas fosse atingido, o PSB só assinou em peso o pedido por pressão de Eduardo Campos. Parte da bancada resistiu temendo retaliações do Planalto nas costuras estaduais para as eleições de outubro.

O líder do PSB, o senador Rodrigo Rollemberg (DF) subiu à tribuna e anunciou que a sigla apoiará as apurações.

Na Câmara, o PPS disse ter reunido 176 apoios –cinco a mais do que o necessário– em uma das listas que circula na Casa para criar uma CPI da Petrobras. Por diferir em alguns pontos do requerimento do Senado, há dúvida se ela vale para a criação de CPI mista. Há outra, patrocinada pelo PSDB, que ainda não reuniu apoio mínimo.

Anúncios

27/03/2014 - Posted by | Política | , , , , , ,

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: