Minas Sustentável

Meio Ambiente, cidades sustentáveis

Fórum da Liberdade: Aécio impressiona com posição firme e convincente

Senador participa do Fórum da Liberdade, na PUC de Porto Alegre, e discurso liberal pragmático agradou aos participantes do encontro.

Aécio prega mudanças liberais

Fonte: Veja.com 

Aécio Neves: o discurso de um liberal pragmático

Rodrigo Constantino

Cheguei em Porto Alegre e fui direto para o Fórum da Liberdade, na PUC. Perdi o evento de abertura, mas cheguei exatamente na hora da palestra do senador Aécio Neves. Não posso dizer que foi uma grande surpresa, pois tenho acompanhado suas colunas toda segunda na Folha, seus discursos e quem são seus conselheiros mais próximos. Ainda assim, foi uma grata surpresa, principalmente pelo tom enfático de sua mensagem de cunho claramente liberal (ok, damos um desconto pelo fato de ele saber qual o público ali presente).

O que mais chamou a minha atenção foi o fato de que Aécio não teve papas na língua, não se mostrou um minuto sequer inseguro, tendo de ficar em cima do muro, como costuma ocorrer quando se trata de tucanos. Seu recado não poderia ter sido mais claro: o projeto que defende é de profunda mudança em relação ao quadro atual, que ele considera um completo fracasso justamente pelo excesso de intervencionismo estatal e má gestão (incompetência).

Aécio chegou a dizer frases inteiras que eu costumo usar em meus artigos, mostrando a visível inclinação ao liberalismo. Por exemplo: disse que quer taxa do BNDES para o Brasil todo, não apenas para meia dúzia de “amigos do rei” que hoje se beneficiam dos subsídios. Afirmou com todas as letras, sendo ovacionado, que o estado já ajuda muito se não atrapalhar a iniciativa privada no processo de criação de riqueza.

Colocou muita ênfase na questão da meritocracia na gestão pública, algo que em seu caso não é conversa da boca para fora, pois foi efetivamente implementado em Minas Gerais com evidente sucesso. O país precisa de mais governança, algo que claramente desapareceu por completo com o PT no poder.

Criticou duramente o Mercosul, uma aliança ideológica que tem feito acordos com países insignificantes do ponto de vista comercial. Defendeu uma mudança radical, que o Brasil volte a fechar acordos de livre comércio com países desenvolvidos, sem essa camisa de força ideológica (bolivariana). Atacou o aparelhamento e a destruição de agências reguladoras e de estatais, citando o caso lamentável da Petrobras.

Repetiu sua promessa de campanha: reduzir pela metade a quantidade de ministérios. Uma secretaria com grandes poderes seria criada para essa transição, com prazo de vida determinado e curto. Os impostos seriam simplificados e reduzidos posteriormente. Chega de um governo de coalizão sem base programática alguma. O governante precisa ter a coragem de tomar medidas impopulares sem olhar para a curva das pesquisas o tempo todo.

Segundo Aécio Neves, o aprendizado do PT nesses últimos anos custou muito caro ao país. O partido demonizou a vida toda as privatizações, as concessões, a iniciativa privada, apenas para sucumbir à realidade depois, mas atrasado e de forma malfeita. O país não aguenta mais tanta mediocridade e incompetência!

Sobre a pressão do “volta Lula”, Aécio repetiu o que havia dito em entrevista recente: não está preocupado com quem será o candidato do lado de lá, uma vez que quer derrotar o modelo que está em curso, responsável pela perda de credibilidade do Brasil no mundo todo e pelo resultado econômico sofrível. Não se vendeu, porém, como um messias salvador da Pátria, e sim como alguém que pretende construir um projeto sério e viável ao lado de nomes renomados e respeitados em cada área.

Sobre a segurança, chegou a levantar a bandeira de redução da maioridade penal para 16 anos em casos de crimes graves e recorrentes. Há projeto do senador Aloysio Nunes, do seu partido, nessa linha. Foi uma vez mais ovacionado pelo auditório lotado, com cerca de 2 mil pessoas.

Em outro momento muito feliz, Aécio Neves disse que está cansado de escutar por aí que o estado fez isso e aquilo pelas pessoas, uma vez que quem realmente faz é o próprio cidadão por si mesmo. Em tom enfático, bradou: chega de paternalismo!

Repito: foi uma mensagem mais liberal do que eu esperava, mesmo levando em conta o local da palestra. Aécio Neves, com seu jeito mineiro de ser, veio comendo pelas beiradas, devagar, com calma e sem estardalhaço. Mas agora parece ter se dado conta do que está em jogo, e vem subindo o tom, vem batendo com mais força e vontade no PT e em seu modelo equivocado de política. Parece disposto realmente a adotar medidas impopulares para ajudar a colocar o país no rumo certo.

Foi bem persuasivo e convincente, pois notei que até meus amigos mais libertários ficaram um tanto impressionados e contentes com o discurso, a mensagem liberal, e o tom – principalmente o tom. Nem mesmo a presença de um delinquente sem educação que começou a faltar com o respeito e ofender o senador foi capaz de estragar o clima de euforia com suas belas palavras – música para os ouvidos de todos aqueles que não suportam mais o estrago que o PT vem causando ao país.

Rodrigo Constantino

Anúncios

08/04/2014 - Posted by | Política | , , , , , ,

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: