Minas Sustentável

Meio Ambiente, cidades sustentáveis

Crise: 1,5 mil engenheiros já foram demitidos em MG

Mineradoras estão enxugando seus quadros próprios de engenheiros e reduzindo a demanda para escritórios terceirizados.

Demissões atingem representa cerca de 50% do total de profissionais que atuam especificamente em Minas.

Fonte: Hoje Em Dia

Crise: 1,5 mil engenheiros já foram demitidos na mineração

Demissões – Até o final do mês, 140 homologações já estão programadas no Sindicato dos Engenheiros. Foto: Diego Redel / Agencia RBS

Nos últimos 12 meses, mais de 1500 engenheiros já foram demitidos

Nos últimos 12 meses, mais de 1500 engenheiros já foram demitidos.

Com a derrocada do preço do minério de ferro, que gerou o engavetamento de novos projetos, as mineradoras estão enxugando seus quadros próprios de engenheiros e reduzindo a demanda para escritórios terceirizados, que prestam serviços de engenharia consultiva – um serviço além do projeto executivo, com acompanhamento e gerenciamento dos projetos. O resultado é o aumento das dispensas também nos escritórios de engenharia ligados aos setores de mineração e siderurgia. A situação adversa, onde as demissões neste ano são quase três vezes maiores que as de 2014, não deverá ter solução no curto prazo, e o corte de vagas tem tendência de se agravar.

De acordo com a regional mineira do Sindicato Nacional de Arquitetura e Engenharia Consultiva (Sinaenco-MG), nos últimos 12 meses os escritórios que trabalham diretamente com a cadeia minero-metalúrgica demitiram 1.500 engenheiros, o que representa cerca da metade do total de profissionais que atuam especificamente nesse mercado em Minas Gerais. O Estado é onde há a maior concentração de empreendimentos desse tipo e para esses setores.

“Passado o superciclo de valorização do minério de ferro, que durou cerca de 10 anos, o preço caiu muito. Já esteve em US$ 180 e hoje próximo de US$ 50, o que gerou uma interrupção generalizada de novos projetos na mineração. A siderurgia, que investiu muito em mineração nos últimos anos, agora sofre com o mesmo problema”, disse o diretor setorial de Mineração e Indústria do sindicato, Paulo Eduardo Antunes Libânio.

Ele diz que o que ainda mantém o emprego de muitos engenheiros são projetos com margens de lucro excepcionais e, claro, bem mais raros. A situação embora não quantificada, seria mais grave para profissionais de nível técnico, como projetistas e calculistas. “Aí o volume de demissões é bem superior e a situação mais grave”, afirmou. Ele disse desconhecer que escritórios estejam fechando as portas, mas que a redução do quadro de pessoal é generalizada.

Homologações

A Vale, gigante mundial do setor mineral, demitiu em Minas Gerais, pelo menos 100 engenheiros nos primeiros cinco meses deste ano, conforme dados do Sindicato dos Engenheiros de Minas Gerais (Senge-MG). Nos cinco primeiros meses do ano passado, o sindicato homologou 43 demissões e, de janeiro até os agendamentos de homologações já marcados para até 29 de maio, as dispensas saltaram para 140, aumento de 225,5%. “Fora uma ou outra, praticamente todas as demissões são da Vale”, informou a entidade.

O presidente do sindicato, Raul Otávio da Silva Pereira, disse que apesar do contingente significativo de demissões, a Vale não negocia com o sindicato antes de realizar as dispensas e sequer apresenta uma justificativa formal. “Minha impressão é de que há uma economia de recursos temporária pelas empresas, enquanto o cenário não melhora”, afirmou.

Abaixo da média

Em nota, a Vale informou que se ajusta a um novo cenário e sustenta que mantém uma taxa de rotatividade abaixo da média da indústria brasileira de mineração e siderurgia, que é de 15%, mas não diz com qual percentual trabalha. “A empresa reforça que, para se adaptar ao atual cenário da mineração, tem focado suas atenções no rigor na alocação de recursos, na otimização e simplificação de processos e no desenvolvimento de ativos de classe mundial, em busca de mais produtividade”.

Minas é o Estado com mais escritórios de engenharia para mineração do país

Perspectivas para o setor ainda são desanimadoras

Não há no horizonte da mineração perspectivas para o desengavetamento e projetos suspensos, e o preço do minério deve oscilar nos próximos dois anos com valorização pequena. Há, além da cotação da commodity, outros indicadores que pesam contra o maior dinamismo do setor.

A indústria siderúrgica chinesa, maior consumidora mundial de minério de ferro, apresenta dados de produção em queda e a demanda por parte da zona do euro ainda é muito baixa. As boas notícias começam a aparecer nos Estados Unidos, porém ainda insuficientes.

O analista da WhatsCall, Pedro Galdi, especializado em mineração e siderurgia, pondera que outros fatores devem ser considerados, mas que o gatilho para novos investimentos em mineração seria uma cotação do minério a partir de US$ 100. “Houve um aumento de oferta muito grande, com siderúrgicas entrando nesse mercado. Fatalmente houve uma sobreoferta quando a China reduziu encomendas e, agora, o preço é um resultado de um jogo de xadrez entre as três maiores do setor, que conseguem produzir com custos mais baixos”, afirmou.

As três mineradores de maior porte no mundo são: Vale (Brasil), BHP Billiton (Austrália) e Rio Tinto (anglo-australiana). Recentemente, Vale e BHP sinalizaram que podem reduzir a oferta, o que fez os preços da tonelada apontarem, ainda que timidamente, para cima.

A Vale, que reportou prejuízo de R$ 9,5 bilhões no primeiro trimestre do ano, disse que estuda “reduzir os fluxos de produção (de) até 30 milhões de toneladas nas minas de custo mais alto”. As minas mais antigas, e de custo mais elevados, estão em Minas Gerais.

Anúncios

18/05/2015 Posted by | Economia | , , , , , | Deixe um comentário

Aécio critica propaganda do PT por mentiras e por esconder Dilma

Aécio acusou o PT de “esconder” Dilma e diz que o partido “chega às vias de um teatro do absurdo que ofende os brasileiros” quando afirma que o governo combate a corrupção.

População com panelaço protestou contra malfeitos do PT

Fonte: O Estado de S.Paulo

Oposição critica propaganda do PT e comemora panelaço

Em meio às manifestações contra a inserção do partido, presidente do PSDB Aécio Neves não poupou críticas à peça da legenda

O presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), classificou como “enganosa e fantasiosa” a propaganda do PT veiculada nesta terça-feira, 5, em cadeia nacional de rádio e TV. Já o presidente do DEM, senador Agripino Maia, afirmou que os panelaços mostram que “para o povo, Lula, Dilma e o PT são uma coisa só”.

Em nota, o tucano acusa o PT de “esconder” a presidente Dilma Rousseff e diz que o partido “chega às vias de um teatro do absurdo que ofende os brasileiros” quando afirma que o governo combate a corrupção.

“O programa do PT zomba da inteligência e desrespeita milhões de trabalhadores e de famílias que conhecem bem a realidade em que vivem”, diz o texto.

O PSDB também divulgou vídeo em seu perfil oficial no Facebook com duras críticas ao governo petista, confira:

Aécio também criticou o ajuste fiscal proposto pelo governo. Segundo ele, o PT diz na TV que defende o direito trabalhistas bem no dia que “chegam à Câmara dos Deputados duas Medidas Provisórias assinadas pela presidente em que são claros os cortes de conquistas dos trabalhadores”.

No programa desta terça, aparecem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente do partido, Rui Falcão. Não houve participação de Dilma – ela aparece brevemente nas imagens, sem identificação. Lula centra sua fala contra terceirização enquanto Falcão anuncia que o partido vai expulsar militantes que forem condenados por “malfeitos”.

A transmissão da peça foi alvos de novas manifestações em diversas partes do Brasil. “Que papelão! Eles não conseguiram escapar do panelaço. Só conseguiram adiar do dia 1º para o dia 5 de maio. As vaias são a prova de que, para o povo, Lula, Dilma e o PT são uma coisa só”, disse Agripino Maia, em referência ao fato de Dilma não ter feito o pronunciamento no Dia do Trabalho por medo de novos protestos.

06/05/2015 Posted by | AÉCIO NEVES, Política | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Dilma e Pimentel não comparecem a ExpoZebu, mas recebem vaias e protestos

Manifestantes fizeram apitaço, panelaço e vaiaram os políticos, além de gritar frases como “Fora, Dilma”, “Fora, PT”, “Pimentel covarde”.

Alta cúpula do PT foi hostilizada no maior evento pecuarista do país, realizado em Uberaba

Fonte: O Estado de S.Paulo 

Foto: de Beto Oliveira

Acuados: o evento de abertura oficial da ExpoZebu 2015 foi marcado por protestos de pecuaristas e movimentos sociais, além das ausências da presidente Dilma Rousseff e do governador Fernando Pimentel. Foto: de Beto Oliveira 

Cerimônia da ExpoZebu tem protesto e ausência de Pimentel e Kátia Abreu

O evento de abertura oficial da ExpoZebu 2015 foi marcado neste domingo, 3, por protestos de pecuaristas e movimentos sociais, além das ausências da presidente Dilma Rousseff, do vice-presidente Michel Temer, da ministra da Agricultura, Kátia Abreu e do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT).

Durante os discursos do prefeito de Uberaba, no Triângulo Mineiro, sede da ExpoZebu, Paulo Piau (PMDB) e do vice-governador de Minas, Antonio Andrade (PMDB), pouco mais de 50 pessoas, que já estavam no local antes do início do evento e ficaram do lado de fora da pista de julgamentos da feira e do palanque oficial onde foi a cerimônia, fizeram apitaço, panelaço e vaiaram os políticos, além de gritar frases como “Fora, Dilma“, “Fora, PT“, “Pimentel covarde“.

O único que não sofreu manifestação contrárias foi o presidente da Associação dos Criadores de Zebu (ABCZ), Luiz Claudio Paranhos. Entretanto, quando mencionou, em sua fala, a insatisfação da entrega da Medalha da Inconfidência ao líder do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) João Pedro Stédile, no dia 21, por Pimentel, os manifestantes protestaram, enquanto a plateia aplaudiu.

“Temos o dever de externar as preocupações que testemunhamos em nossos associados com a recente homenagem ao chefe do movimento que comanda as invasões de terras e a destruição de instalações de produção e pesquisa agropecuária em nosso País, afrontando constantemente a lei e o Poder Judiciário”, disse Paranhos.

Já o prefeito do município aproveitou seu discurso para falar sobre as manifestações no evento. “Eu poderia estar usando espaço para pedir algumas coisas para a cidade. Mas eu quero aqui conclamar o povo brasileiro a ter amor e Justiça pelo País. Precisamos de atitude, um pacto para ordem e disciplina. Faz parte também a manifestação hoje, vocês sejam bem-vindos. Toda manifestação sendo pacifica e ordeira merece o nosso aplauso”, disse. A cerimônia também fez uma ação simbólica para marcar o início da campanha nacional contra febre aftosa. As autoridades “vacinaram” um zebuíno que estava exposto na pista.

Justificativas e ausências

Andrade, após a cerimônia, disse que até à noite de ontem estava acertada a vinda de Pimentel. “Foi motivo de questão familiar, ele tem um grande apreço pela feira e pela cidade e esse governo, por exemplo, tem sete associados da ABCZ. Mas ele deve vir essa semana a Uberaba“, disse.

Sobre a insatisfação do setor rural mineiro com relação à medalha concedida a Stédile, Andrade afirmou que o governo é transparente, plural, composto por vários partidos, que discutirá os problemas do Estado. “Cada um faz a sua defesa da forma que quer”, disse, referindo-se ao pronunciamento do presidente a ABCZ.

Já o prefeito de Uberaba recebeu “com tristeza” a ausência de Pimentel. “Mas respeito o motivo, que ainda não sei qual foi”, ressaltou. Piau iria entregar alguns ofícios ao governador, como de cobranças de uma solução definitiva sobre o gasoduto, da construção do hospital regional e de recursos para o parque tecnológico. “Com certeza se não entregamos ofício aqui, quem sabe ele vem essa semana. Se não vier, vamos a BH falar com ele”, disse.

Paranhos, da ABCZ, falou que tanto a ausência da ministra quanto do governador pode ter acontecido pelo momento de “recolhimento” pelo qual o governo, principalmente o federal, está passando. “Entretanto, essas ausências não atrapalham em nada nossa interlocução com os governos estaduais e federais, já que temos agenda positiva com eles. Estamos com bandeira apartidária defendendo a pecuária brasileira”, ressaltou.

Sobre sua manifestação sobre a medalha, Paranhos disse que o governador entende o posicionamento contra do setor. “Ele é um homem público e muito inteligente. Minas é um Estado-referência em agronegócio e não vai deixar de ser”, declarou.

Já o presidente da Comissão da Bovinocultura de Corte da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e diretor da ABCZ, Antonio Pitangui de Salvo, disse que sabe que Kátia Abreu está viajando, mas se mostrou um insatisfeito com a ausência de Pimentel. “Continuamos a fazer nosso trabalho. Se as pessoas não se sentem confortáveis de estar com o setor que produz, paciência. O setor precisa ser respeitado”, declarou.

05/05/2015 Posted by | Governo do PT, Política | , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Não houve o que comemorar no Dia do Trabalho, artigo Aécio Neves

Dilma chama trabalhadores para pagar do seu bolso 89% do custo do ajuste fiscal, sem ter fechado um único ministério ou cortado um único cargo de confiança.

Fonte: Folha de S.Paulo 

O Dia do Trabalho

Dilma chama trabalhadores para pagar conta de ajuste, artigo Aécio Neves

Aécio: O baixo crescimento tem efeitos perversos para a vida dos trabalhadores. Foto: George Gianni

Artigo AÉCIO NEVES

Quando se critica a má gestão do governo do PT e, em especial, os erros sucessivos da política econômica dos últimos anos, muitos acham que a oposição é pessimista e gosta de mostrar só o que não funciona. Mas é justamente o contrário.

Temos tudo para ser um grande país se o governo não atrapalhar tanto, com os seus sucessivos erros, o crescimento econômico e o avanço social dos brasileiros.

Ao contrário de vários países emergentes, no Brasil há uma Justiça e órgãos de controle independentes, que estão lutando contra o aparelhamento político das estatais, patrocinado pelo governo do PT; temos uma indústria diversificada e um setor agropecuário que é um dos mais competitivos do mundo e um amplo sistema de proteção social estabelecido pela Constituição em 1988.

O natural seria estarmos crescendo entre 4% e 5% ao ano, em vez de termos uma estagnação (crescimento econômico igual a “zero”) no triênio 2014, 2015 e 2016, segundo projeções do mercado. Isso é ainda agravado pelo fato de, nesses mesmos três anos, a inflação média esperada ser de 6,7% ao ano, uma anomalia para um país que não cresce.

O baixo crescimento tem efeitos perversos para a vida dos trabalhadores. Na última semana, o IBGE mostrou que a taxa de desemprego cresceu pela terceira vez consecutiva neste ano e a renda real dos trabalhadores já teve queda de 3% neste período.

Além disso, como a correção real do salário mínimo está ligada ao crescimento do PIB, a estagnação da economia aponta para um crescimento “zero” no valor real do salário mínimo nos próximos dois anos e um aumento médio, no segundo governo Dilma, inferior a 1% ao ano!

O governo, depois de negar sistematicamente nas eleições a necessidade de qualquer ajuste fiscal, propõe agora um ajuste rudimentar cuja parte mais visível foi um corte real de 50% no investimentos dos ministérios da Saúde e da Educação, no primeiro trimestre do ano, redução dos direitos do trabalhadores e propostas de aumentos de vários impostose da conta de luz, que somam R$ 52 bilhões de uma meta de R$ 58 bilhões de superavit primário do governo federal.

A presidente Dilma está chamando os trabalhadores para pagar do seu bolso 89% do custo do ajuste fiscal, sem ter fechado um único ministério ou cortado um único cargo de confiança. Não houve o que comemorar no Dia do Trabalho. O governo estragou a festa.

O presidente dos Correios escreveu artigo em resposta ao texto por mim publicado nesse espaço. Tendo em vista os erros e deliberadas imprecisões e omissões contidas no texto dele, convido a quem se interessar pelo tema a acessar psdb.org.br/acao-irregular-correios para mais informações.

AÉCIO NEVES escreve às segundas-feiras nesta coluna.

05/05/2015 Posted by | AÉCIO NEVES | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário