Minas Sustentável

Meio Ambiente, cidades sustentáveis

PSDB Sindical: ‘Reinventar a socialdemocracia, em pleno século XXI, só será possível com a intensa participação das lideranças dos trabalhadores’, defende Marcus Pestana em artigo

Fonte: Artigo de Marcus Pestana – O Tempo

Socialdemocracia, sindicatos e o PSDB

Era fundamental a participação dos trabalhadores

A socialdemocracia surgiu a partir das lutas dos trabalhadores europeus. As condições sub-humanas de trabalho e as desigualdades produzidas pela economia de mercado despertaram a classe operária para a necessidade de organização e luta. Inicialmente, essa energia foi drenada para as organizações sindicais. Com o passar do tempo, parcelas crescentes perceberam os limites das lutas exclusivamente no terreno econômico. As lutas sindicais obtinham conquistas salariais e aprimoramento das regras do mercado de trabalho, mas não interferiam na dinâmica estrutural do sistema. Surgiu a consciência de que era preciso ir além da luta sindical e que era fundamental uma participação dos trabalhadores na vida política. Era preciso participar de projetos de poder e de mudanças sociais.

Essa nova etapa derivou para duas vertentes políticas: o movimento comunista internacional, à frente a União Soviética, e a 3ª Internacional Socialista. Na Europa ocidental, a partir da Alemanha, a corrente socialdemocrata.

A socialdemocracia, em contraste com os comunistas, partia de uma perspectiva reformista, aceitando aeconomia de mercado como a melhor forma de organização da economia e a democracia política como melhor regime para a resolução dos conflitos de interesses.

Daí, nasceu o Estado de bem estar social, implementado pela socialdemocracia na Europa, pelos democratas nos EUA e também, na sua versão latino-americana, pelo trabalhismo brasileiro e o peronismo argentino. A construção de um sistema público de saúde, a oferta de educação pública gratuita e a construção de um sistema previdenciário serviram para a equalização das oportunidades e para contrabalançar as exclusões produzidas pelo dinâmico sistema capitalista.

No Brasil, o PSDB nasceu em 1988, após a transição para a democracia, com uma visão programática socialdemocrata, a partir de quadros parlamentares, políticos e intelectuais.

É verdade que o PSDB de Minas cultiva, há muitos anos, intensos laços com o movimento sindical. Mas a criação, no último 20 de agosto, do Secretariado Estadual para Assuntos Sindicais e Trabalhistas (PSDB Sindical) representa um salto de qualidade na busca de uma concepção moderna e participativa de organização partidária.

Mais de cem dirigentes sindicais alinhados à Força Sindical, à Nova Central Sindical e à UGT atenderam ao chamado do senador Aécio Neves para participarem ativamente da construção de um projeto para o Brasil.

O PSDB Sindical terá uma cadeira na Executiva Estadual. Lançaremos diversos sindicalistas como candidatos em 2012. Promoveremos um amplo debate sobre a agenda do movimento sindical.

A crise da Europa é, em grande parte, do esgotamento do Estado do bem estar social, a crise de identidade da socialdemocracia internacional. Reinventar a socialdemocracia, em pleno século XXI, só será possível com a intensa participação das lideranças dos trabalhadores.

MARCUS PESTANA é deputado federal(MG) e presidente do PSDB em Minas
Anúncios

29/08/2011 Posted by | Aécio Cunha, Aécio Neves, Emprego, politica, Senador Aécio Neves | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Sine coloca mais de nove mil pessoas no mercado de trabalho no mês de julho

As unidades de atendimento ao trabalhador do Sistema Nacional de Emprego de Minas Gerais (Sine-MG) colocaram no mercado, no mês de julho, 9.034 pessoas. Esse número representa um aumento de 1,1% em relação ao mesmo período de 2010, quando 8.940 trabalhadores conseguiram uma colocação profissional através do Sine.

O número de captação de vagas em julho também cresceu. As 125 agências do Sine captaram 22.778 vagas, 13,7% a mais que em 2010. Analisando a variação anual, o número de trabalhadores inscritos teve queda de 15,8%. Em julho deste ano foram 44.189, contra 52.510 no mesmo mês do ano anterior. O número de trabalhadores encaminhados também recuou 2,4%, sendo 61.904 em julho de 2011, contra 63.423 em 2010.

Segundo o secretário de Estado de Trabalho e Emprego, Carlos Pimenta, os números reiteram as sazonalidades do mercado de trabalho. “Tivemos um grande aquecimento nos meses de abril, maio e junho e, consequentemente, uma relativa estabilidade nos números de julho. Estamos otimistas que a partir de agosto teremos uma recuperação, que já é esperada para o segundo semestre” analisa.

17/08/2011 Posted by | Emprego | | Deixe um comentário

Minas Gerais tem saldo positivo em empregos formais no mês de junho

O Estado de Minas Gerais registrou, no mês de junho, um saldo positivo de 45.021 empregos formais. Esse resultado faz parte do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta terça-feira (19), pelo Ministério do Trabalho e Emprego. No período, foram admitidos 231.570 trabalhadores e 186.549 foram desligados, gerando o segundo melhor saldo do Brasil, atrás somente do estado de São Paulo, com saldo de 61.208 trabalhadores.

Segundo os dados do Ministério do Trabalho e Emprego, os setores que apresentaram maior crescimento foram o da Agropecuária (+27.934), o de Serviços (+8.218) e a Construção Civil (+3.946). A cidade de Belo Horizonte se mantém em primeiro lugar na geração de postos de trabalho formal. No período, a capital mineira apresentou saldo de 4.951 trabalhadores, seguida pela cidade de Patrocínio (+1.566), Uberlândia (+977) e Monte Carmelo (+864).

O secretário de Estado de Trabalho e Emprego de Minas Gerais, Carlos Pimenta, vê os números do mês de junho com otimismo. “Temos um quadro positivo construído nestes primeiros meses de 2011 e acredito que o segundo semestre será ainda melhor”, ressalta.

Dados do IBGE

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), também divulgou, nesta terça-feira (19), a Pesquisa Mensal de Emprego (PME). A Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) apresentou a taxa de ocupação de 95,4%, sendo a melhor registrada no mês de junho em comparação com outras regiões metropolitanas pesquisadas.

19/07/2011 Posted by | Emprego | | Deixe um comentário