Minas Sustentável

Meio Ambiente, cidades sustentáveis

Aécio Neves afirma que será presidente da Federação

Em Caxias do Sul (RS), Aécio Neves reiterou a certeza de que sua eleição vai garantir a retomada do crescimento da economia brasileira.

Eleições 2014

Fonte: Jogo do Poder

Leia também:

Aécio diz que Marina é como torcedor que troca de time

Aécio reafirma necessidade de retomada do crescimento da economia

O candidato à Presidência da República pela Coligação Muda BrasilAécio Neves, reiterou nesta quinta-feira (25/09), em Caxias do Sul (RS), a certeza de que sua eleição vai garantir a retomada do crescimento da economia brasileira, possibilitando a geração de empregos e o combate à desindustrialização que afeta o país.

“Chego a Caxias muito confiante na vitória de um projeto de Brasil que interessa a todos os brasileiros, mas aos gaúchos e a Caxias do Sul, em especial, porque a nossa eleição é a que garantirá a retomada do crescimento da economia, com o retorno dos empregos que estão indo embora”, afirmou Aécio.

O candidato alertou sobre o processo de desindustrialização que vive o país e que impacta principalmente nas regiões industrializadas, que geram muitos empregos, como é o caso de Caxias.

Para Aécio, cabe ao governo tomar as medidas necessárias para assegurar a competitividade do setor, prática que não vem sendo seguida pela atual gestão.

“Nós temos que simplificar o nosso sistema tributário. Fazer os investimentos em infraestrutura que vão garantir competitividade a quem produz no Brasil e aumentar os nossos mercados mundo afora. Fazer tudo que o atual governo não vem fazendo. Nossa candidatura é a única que tem as condições de resgatar a confiança dos investidores no Brasil para que nós possamos viver um novo ciclo de crescimento”, ressaltou ele.

Carreata

Usando o lenço vermelho no pescoço que marca a luta farroupilha, Aécio chegou a Caxias do Sul ao lado da senadora Ana Amélia, candidata do PP ao governo do Rio Grande do Sul. Ele tomou chimarrão, foi saudado já no aeroporto da cidade e depois seguiu para uma carreata e caminhada pelas principais ruas da região central da cidade.

Eleitores a pé e em carros se concentraram na Rua Dr. Montaury e depois percorreram ruas e avenidas da cidade, encerrando o percurso na Praça João Pessoa. Aécio foi muito cumprimentado por comerciantes e pedestres e posou para fotos e abraços.

Onda da razão

Aécio afirmou que está confiante na Onda da Razão que vai levar sua candidatura à vitória nas urnas. “Acabo de receber indicadores de pesquisas em São Paulo, onde o nosso crescimento nos últimos quatro dias foi de seis pontos. Agora acaba de ser divulgada uma pesquisa em Santa Catarina, pelo Ibope, onde nossa candidatura cresce cinco pontos, enquanto outras caem. E aqui no Rio Grande do Sul não é diferente. Chegou a hora da Onda da Razão e a Onda da Razão significa votar num projeto que possa transformar sonhos em realidade”, destacou.

O candidato ressaltou que o Brasil merece um governo muito mais eficiente e mais ético do que o atual. “A minha candidatura não é uma candidatura do PSDB, de uma aliança partidária. Eu vou governar com os brasileiros mais qualificados, porque a complexidade dos problemas que nos esperam não é para amadores. A Presidência da República não é o melhor lugar para alguém aprender a governar. Eu não quero, como brasileiro, estar me frustrando daqui a quatro anos por uma escolha malfeita e acho que há essa percepção, hoje, nos eleitores”, explicou.

Dívidas

O candidato defendeu a renegociação da dívida dos Estados com a União e argumentou que o atual modelo restringe a capacidade de investimento dos governadores. “A minha proposta, em primeiro lugar, é aprovar aquilo que está no Congresso Nacional e o governo do PT não permitiu que fosse aprovado. Falo da proposta de renegociação do indexador da dívida, que não pode continuar penalizando os Estados como vem penalizando. Hoje, uma empresa amiga do poder vai ao BNDES e consegue um financiamento para os seus negócios em condições mais favoráveis do que os Estados têm para pagar sua dívida com a União”, argumentou Aécio.

Aécio afirmou que seu governo vai discutir propostas como a da senadora Ana Amélia (PSDB-RS), candidato do partido ao governo do Rio Grande do Sul que o acompanhou à visita a Caxias do Sul. A proposta permite o acerto de contas com a União em várias áreas.

“E vamos aprovar um projeto de minha autoria que impede que as desonerações feitas pelo governo federal impactem nas receitas de Estados e municípios. Quando se dá um desconto, uma desoneração de IPI ou de Imposto de Renda para determinado setor da economia, você impacta nas receitas dos municípios e dos Estados, porque o Imposto de Renda constitui o Fundo de Participação”, afirmou Aécio, lembrando que o governo Federal só poderá fazer desonerações sobre a parcela de receitas da União, caso seja aprovado seu projeto.

Anúncios

26/09/2014 Posted by | Política | , , , , , | Deixe um comentário

Aécio cresce e Marina cai nos maiores colégios, mostram pesquisas do Ibope

Pesquisas do Ibope mostram redução dos índices da candidata nos 8 Estados com mais eleitores, onde vivem 70% dos votantes.

Eleições 2014

Fonte: O Estado de S.Paulo

Leia também:

Ibope: Aécio passa Marina em Santa Catarina, 6% de vantagem

Vox Populi: Aécio já cola em Marina, diferença cai para 5 pontos

Marina perde fôlego nos maiores colégios

As mais recentes pesquisas do Ibope sobre a corrida presidencial nos oito maiores Estados do Brasil, que concentram quase 70% do eleitorado nacional, trouxeram más notícias para a campanha de Marina Silva: a candidata do PSB caiu ou oscilou para baixo em todos eles.

São Paulo é o Estado em que a queda foi das mais expressivas: em duas semanas, a taxa de intenção de votos de Marina passou de 38% para 32%. Em números absolutos, é como se a candidata do PSB tivesse perdido 1,6 milhão de eleitores, ou 115 mil por dia – o cálculo leva em conta o tamanho do eleitorado paulista e a taxa de abstenção verificada há quatro anos.

Apesar do recuo, Marina ainda lidera no maior colégio eleitoral do País. A presidente Dilma Rousseff, provável adversária da candidata do PSB no segundo turno, ficou estagnada, com 25%, enquanto o terceiro colocado, Aécio Neves (PSDB), subiu quatro pontos porcentuais.

Na Bahia, quarto maior eleitorado, Marina tinha 28% das preferências há duas semanas – agora, a taxa passou para 23%. Lá, Dilma oscilou de 50% para 52% e ampliou a vantagem sobre a adversária de 22 para 29 pontos.

No Ceará, a queda de Marina foi de seis pontos (de 25% para 19%), mas o intervalo entre as pesquisas da série é maior: três semanas. No Estado, oitavo no ranking do eleitorado, Dilma têm 61% – um de seus três melhores desempenhos no País.

Há um equilíbrio entre as duas adversárias em Pernambuco, Estado onde Marina herdou a maior parte do eleitorado do ex-governador Eduardo Campos (PSB), morto em acidente aéreo em agosto, mas que também é um dos principais redutos do PT e terra do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em uma semana, Dilma manteve os 39%, enquantoMarina oscilou para baixo, de 40% para 38%.

A candidata do PSB também perdeu pontos no Rio de Janeiro, em Minas Gerais, no Rio Grande do Sul e no Paraná. Na última pesquisa nacional do Ibope, divulgada na terça-feira, a candidata do PSB oscilou de 30% para 29% em uma semana.

Conjunto. A consolidação das pesquisas do Ibope em todas as 27 unidades da Federação resulta em uma amostra nacional de 30 mil entrevistas – que foram devidamente ponderadas de acordo com o tamanho do eleitorado de cada Estado e a respectiva taxa de abstenção na eleição de 2010. Essa amostra expandida aponta Dilma com 37%, Marina com 27% eAécio com 17%.

Por essa projeção, a candidata do PT terminaria o primeiro turno com 43 milhões de votos, contra 32 milhões da concorrente do PSB e 20 milhões do tucano. Mas, como a evolução das intenções de voto têm mostrado, esses números devem mudar até o dia da eleição.

A pesquisa mais antiga entre as 27 unidades foi feita em 1.º de setembro, em Sergipe, e as nove mais recentes, na segunda e terça-feira passadas. Foram os casos das sondagens feitas justamente em alguns dos maiores colégios eleitorais: São Paulo, Minas, Rio, Bahia, Rio Grande do Sul, Pernambuco e Ceará – além de Santa Catarina e Distrito Federal.

Projeções. A planilha permite fazer projeções para o 2.º turno. Se a disputa se confirmar entre Dilma e Marina, quem terá mais chances de ser eleita? Isso vai depender, basicamente, de dois fatores: a vantagem que uma colocar sobre a outra no 1.º turno e o quanto cada uma vai converter de votos de Aécio.

No cenário atual, com Dilma abrindo 11 milhões de votos sobre Marina em 5 de outubro, a candidata do PSB precisaria converter mais de 70% dos apoiadores do tucano em eleitores seus no 2.º turno e torcer para que a petista não transforme mais do que 15% de quem votou em Aécio em neodilmistas no turno final. É mais do que Marina conseguiria hoje.

Segundo a pesquisa nacional do Ibope divulgada na terça-feira, Marina está convertendo 51% dos eleitores tucanos em seus eleitores na simulação de segundo turno contra Dilma. Pior para ela, essa taxa vem caindo nas últimas semanas: chegou a ser de 66% no começo de setembro. Dez dos 15 pontos que Marina perdeu migraram para o contingente de quem pretende anular ou votar em branco, e o resto tornou-se indeciso.

Já a taxa de conversão de Dilma tem se mantido constante. Desde o fim de agosto, a presidente tem conseguido converter de 15% a 18% de quem prefere Aécio no 1.º turno em eleitores que votariam nela no turno final contra Marina. Ou seja: quanto maior for a vantagem que a presidente abrir sobre a rival em 5 de outubro, mais difícil será para Marina virar 21 dias depois.

26/09/2014 Posted by | Política | , , , , , | Deixe um comentário

Aécio já é o segundo colocado em Santa Catarina

Pesquisa Ibope aponta que Dilma (PT) tem 36% das intenções de voto, Aécio Neves (PSDB) tem 25%, e Marina Silva (PSB) tem 19%.

Eleições 2014

Fonte: G1

Em Santa Catarina, Ibope aponta: Dilma, 36%, Aécio, 25%, e Marina, 19%

Instituto entrevistou eleitores entre os dias 21 e 23 de setembro.

Margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

Pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira (24) aponta que Dilma (PT) tem 36% das intenções de votoAécio Neves (PSDB) tem 25%, e Marina Silva (PSB) tem 19% entre os eleitores de Santa Catarina na disputa pela Presidência da República.

Pastor Everaldo (PSC) aparece com 2%, Eduardo Jorge (PV) e  Luciana Genro (PSOL) aparecem com 1% cada. Brancos e nulos somam 4% e não sabem ou não responderam, 12%. Eymael (PSDC), Levy Fidelix (PRTB), Mauro Iazi (PCB), Rui Costa Pimenta (PCO) e Zé Maria (PSTU) não alcançaram 1%.

Veja os números do Ibope para pesquisa estimulada (em que a relação dos candidatos é apresentada aos entrevistados) apenas no estado de Santa Catarina:

Dilma (PT): 36%

Aécio Neves (PSDB): 25%

Marina Silva (PSB):  19%

Pastor Everaldo (PSC): 2%

Eduardo Jorge (PV): 1%

Luciana Genro (PSOL): 1%

Outros com menos de 1%: 1%

Brancos e nulos: 4%

Não sabe ou não respondeu: 12%

No levantamento anterior, entre 14 e 16 de setembro, Dilma tinha 37%, Marina 24% e Aécio 20%. A pesquisa foi encomendada pelo Grupo RBS.

A pesquisa foi realizada entre os dias 21  e 23 de setembro. Foram entrevistados 1008 eleitores em 54 municípios do estado. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levada em conta a margem de erro de três pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina (TRE-SC) sob o número SC-00027/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-00765/2014.

Pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira (24) aponta que Dilma (PT) tem 36% das intenções de votoAécio Neves (PSDB) tem 25%, e Marina Silva (PSB) tem 19% entre os eleitores de Santa Catarina na disputa pela Presidência da República.

Pastor Everaldo (PSC) aparece com 2%, Eduardo Jorge (PV) e  Luciana Genro (PSOL) aparecem com 1% cada. Brancos e nulos somam 4% e não sabem ou não responderam, 12%. Eymael (PSDC), Levy Fidelix (PRTB), Mauro Iazi (PCB), Rui Costa Pimenta (PCO) e Zé Maria (PSTU) não alcançaram 1%.

Veja os números do Ibope para pesquisa estimulada (em que a relação dos candidatos é apresentada aos entrevistados) apenas no estado de Santa Catarina:  

Dilma (PT): 36%

Aécio Neves (PSDB): 25%

Marina Silva (PSB):  19%

Pastor Everaldo (PSC): 2%

Eduardo Jorge (PV): 1%

Luciana Genro (PSOL): 1%

Outros com menos de 1%: 1%

Brancos e nulos: 4%

Não sabe ou não respondeu: 12%

No levantamento anterior, entre 14 e 16 de setembro, Dilma tinha 37%, Marina 24% e Aécio 20%. A pesquisa foi encomendada pelo Grupo RBS.

A pesquisa foi realizada entre os dias 21  e 23 de setembro. Foram entrevistados 1008 eleitores em 54 municípios do estado. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levada em conta a margem de erro de três pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina (TRE-SC) sob o número SC-00027/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-00765/2014.

25/09/2014 Posted by | AÉCIO NEVES,  AÉCIO NEVES: LÍDER DA OPOSIÇÃO,  AÉCIO OPOSIÇÃO,  ELEIÇÕES 2014 | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Incapacidade de Dilma gera desorganização na economia, diz Aécio

Aécio Neves: “A presidente Dilma tem uma incapacidade crônica de reconhecer os seus equívocos, que são muito graves.”

Eleições 2014

Fonte: O Globo

Aécio: ‘Incapacidade de Dilma de reconhecer equívocos gera absoluta desorganização da economia’

A declaração do candidato tucano foi dada após a presidente atribuir os resultados da economia nacional ao cenário externo

POR MARIA LIMA

O candidato à Presidência pelo PSDB Aécio Neves disse na manhã desta segunda-feira que considera a presidente Dilma Rousseff (PT), sua adversária na corrida presidencial, incapaz de reconhecer seus equívocos, o que causa a “absoluta desorganização” da economia brasileira. A declaração foi feita após a entrevista de Dilma, que foi ao ar mais cedo no Bom Dia Brasil, da TV Globo, em que a candidata afirmou que a política econômica está na “defensiva” após a crise econômica mundial e que melhorias vão depender da recuperação da economia dos Estados Unidos. Dilma voltou a atribuir os resultados da economia nacional ao cenário externo. De acordo com a candidata do PT, só com a recuperação econômica de outros países será possível adotar uma política econômica “ofensiva” no Brasil.

— É o governo da terceirização. A presidente Dilma tem uma incapacidade crônica de reconhecer os seus equívocos, que são muito graves. E esses equívocos são responsáveis pelo quadro de absoluta desorganização da economia brasileira. A leniência com que vem tratando a inflação passando pelo absurdo e autoritário intervencionismo, principalmente no setor elétrico, tudo isso emoldurado pelo aparelhamento da máquina pública, em especial das agências reguladoras, leva à desconfiança em relação ao Brasil e impacta nos investimentos — declarou Aécio, logo após sua agenda de campanha em Belo Horizonte, capital mineira. Agora o candidato segue para caminhada e carreata em Betim (MG).

Sobre a mudança de discurso de Dilma a respeito do papel da imprensa, o tucano considerou o caso como uma demonstração de que a presidente tem dificuldade de conviver com a crítica.

— Foi um claro recuo, mas não disfarça uma dificuldade de convívio que ela tem com a crítica. Volta e meia, teses autoritárias de controle da mídia circulam no seu entorno. Nos momentos de maior pressão, a presidente mostra que não convive bem com a imprensa e as liberdades democráticas — provocou.

24/09/2014 Posted by | Política | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Eleições 2014: pesquisas mostram crescimento de Aécio Neves

Aécio: “A pesquisa aponta na direção daquilo que já estamos percebendo. A nossa candidatura cresce em praticamente todas as regiões.”

Eleições 2014

Fonte: Jogo do Poder

Aécio segue crescendo com a Onda da Razão, mostra pesquisa

O candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, afirmou, nessa sexta-feira (19/09), que a pesquisa Datafolha confirma a chegada da Onda da Razão. Para ele, os eleitores estão mais atentos às propostas dos candidatos nas três últimas semanas de campanha, o que o levará para o segundo turno da disputa presidencial.

“A pesquisa aponta na direção daquilo que já estamos percebendo em todo o Brasil. A nossa candidatura cresce em praticamente todas as regiões e já temos, a partir das avaliações internas que fazemos, sinais maiores do que as pesquisas demonstram”, disse Aécio.

Aécio destacou que sua candidatura é a única em condições de derrotar a candidata do PTDilma Rousseff, e conduzir um governo que fortaleça a economia e melhore os índices sociais dos brasileiros.

“Chegarei ao segundo turno porque a minha candidatura, e a própria pesquisa divulgada sinaliza nessa direção, é aquela que vencerá o PT no segundo turno. A minha candidatura é a que permitirá o fim desse ciclo perverso de governo do PT que fracassou na condução da economia, fracassou na melhoria dos nossos indicadores sociais e pode colocar no lugar um governo que funcione”, afirmou.

Pesquisa

Aécio subiu dois pontos percentuais, chegando a 17%, diminuindo a diferença para as demais candidatas no primeiro turno. Na análise da segunda rodada de votação, Aécio avançou e chegou a 39%, enquanto Dilma manteve-se estacionada.

O Datafolha reforça o quadro apresentado pelo Ibope na terça-feira (16/09), em que Aécio foi o único presidenciável que subiu em todos os cenários. O Datafolha ouviu 5.340 pessoas entre os dias 17 e 18 de setembro. A margem de erro do levantamento é de dois pontos porcentuais.

Dilma e Marina rejeitadas

De acordo com o levantamento divulgado pelo jornal Folha de S.Paulo nesta sexta-feira (19/9), Aécio tem a menor rejeição entre os principais presidenciáveis. A atual presidente lidera a rejeição, seguida da candidata Marina Silva.

23/09/2014 Posted by | Política | , , , , , , , | Deixe um comentário

Aécio priorizará região Nordeste

Aécio: “no meu governo, assim como foi o de Juscelino Kubitschek, a prioridade absoluta vai ser o Nordeste brasileiro.”

Eleições 2014

Fonte: O Globo

Aécio se compara a Juscelino Kubitschek e promete prioridade ao Nordeste em eventual governo

Candidato tucano negou aproximação do ex-presidente do STF Joaquim Barbosa com fim eleitoral

candidato do PSDB à presidência da República Aécio Neves se comparou ao ex-presidente Juscelino Kubitschek na tarde desta quarta-feira, em Itabuna, sul da Bahia ao afirmar que vai dar “prioridade” ao Nordeste e, em especial, à área de saúde. Após a agenda, por meio de nota oficial, o candidato comentou os resultados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) referente a 2013 divulgada nesta quinta-feira.

— Vamos levar a saúde mais próxima das pessoas com as clínicas de especialidades, onde o cidadão ou a cidadã vai ter a sua consulta marcada com antecedência. No mesmo espaço físico, vai ter atendimento com o especialista, vai fazer os exames e vai sair dali com os remédios. No meu governo, assim como foi o de Juscelino Kubitschek, outro mineiro que presidiu o Brasil há 60 anos, a prioridade absoluta vai ser o Nordeste brasileiro — declarou.

O tucano aproveitou a entrevista para desmentir que sua campanha esteja buscando o apoio do ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa:

— Sou amigo do ministro Joaquim Barbosa, que é um grande brasileiro e prestou um extraordinário serviço à democracia brasileira, contrariando, obviamente, os interesses do PT. O Brasil deve muito a ele. Mas não tenho tido nenhuma conversa política com ele. O que é importante hoje é que o sentimento de Joaquim Barbosa contra a impunidade, pela justiça, pela decência na vida pública, é um sentimento que a nossa candidatura encarna.

Junto do prefeito de Salvador ACM Neto (DEM) e dos candidatos Paulo Souto (DEM) e Geddel Vieira Lima (PMDBAécio participou de uma caminhada pela área comercial de Itabuna e disse acreditar no início de uma “virada”. Ele adotou uma linha saudosista ao comparar esse momento da campanha com a do avó, Tancredo Neves, em 1986, cujo cenário mudou depois de uma visita à Bahia.

— Ninguém ganha eleição de véspera. A eleição se decidirá no momento em que cada brasileiro se levantar no dia 5 de outubro, para dizer o que quer. Aqui, desta Bahia de Todos os Santos, dessa Itabuna do cacau e de Jorge Amado, nós estamos dizendo: chegou a hora da virada — assinalou o candidato, que se disse mais otimista, após a última pesquisa doIbope.

— Está chegando aquilo que chamo de “a onda da razão”. As pessoas estão avaliando com maior profundidade o que cada candidatura representa. E a minha candidatura é muito clara no que ela propõe para o Brasil. Queremos encerrar esse ciclo de governo do PT e iniciarmos um outro, de desenvolvimento econômico, de melhoria na segurança, na saúde, na educação. Quem pode vencer de verdade o PT e permitir o Brasil voltar a crescer é a nossa candidatura. E isso vai ficando cada vez mais claro. Por isso espero que, no dia 5 de outubro, ao lado do meu companheiro ACM Neto, possamos estar no segundo turno e, a partir daí, prontos para vencermos as eleições, pelo bem da Bahia, do Nordeste e do Brasil.

O percurso por Itabuna foi acompanhado por cerca de quatro mil pessoas, segundo cálculos da Polícia Militar. Ora sorridente, ora discreto, ele demonstrava certo desconforto por fazer de palanque um trio elétrico — pouco desgrudava dos ferros que dão apoio no veículo. Antes de discursar, sem deixar de ajeitar os cabelos, o candidato tucano evitou citar nomes das adversárias. Mas não as poupou das críticas.

— As pessoas começam a perceber que o que está aí não dá mais, esse governo ninguém agüenta. Tanta irresponsabilidade e tanta incompetência, levando o Brasil de novo a conviver com a inflação, com a recessão da economia e com a fuga dos empregos — declarou Aécio que, em seguida, chamou Marina Silva (PSB), sem nominá-la, de inexperiente.

— Do outro lado, a gente vê um conjunto de boas intenções. Mas boas intenções todos nós temos. O que falta a outras candidaturas é o que esse palanque aqui demonstra: experiência e competência, apoio político e coragem pra mudar de verdade o Brasil.

Aécio reiterou “testemunhar” um desejo de mudança na sociedade brasileira. As palavras dele, por sinal, soavam como um apelo de quem corre contra o tempo.

— Peço que, a partir de hoje, nós arregacemos as mangas e confiemos que a política não é feita apenas de resultados eleitorais. Nós temos nas mãos a possibilidade de iniciar um novo ciclo de desenvolvimento no Brasil — conclamou.

PNAD

Por meio de nota, Aécio lamentou os números da Pnad, afirmando que os dados “certamente deixarão todos os brasileiros muito preocupados”.

“São dados que evidenciam o que venho dizendo há um bom tempo, que o governo da presidente Dilma Rousseff fracassou em praticamente todas as áreas. Fracassou, inclusive, naquelas em que a presidente costuma ostentar como suas principais bandeiras: emprego, redução da desigualdade e educação. (…) Imaginem o que vai acontecer com a taxa de 2014, ano em que o crescimento real do PIB será próximo de zero”, diz o texto, que finaliza afirmando que os “números mostram que o desenvolvimento econômico e o progresso social estão correndo sérios riscos devido à incompetência deste governo do PT“.

19/09/2014 Posted by | Política | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Aécio: ‘É fundamental aumentar empregos de qualidade’

Aécio afirmou que, apesar do aumento de 5% da renda média do trabalhador brasileiro, esse número, de R$ 1.681, ainda é muito baixo.

Eleições 2014

Fonte: O Estado de S.Paulo

Para Aécio, administração da pobreza faz bem ao projeto do PT

Candidato do PSDB à presidência diz que o governo do PT não ‘ousou em novas políticas de superação da pobreza’

O candidato a presidente Aécio Neves (PSDB) comentou os dados do Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio) divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e afirmou que “a administração da pobreza faz bem ao projeto do PT“. Ele falou ao Estado após um ato eleitoral em Itabuna, no interior da Bahia.

O tucano afirmou que, apesar do aumento de 5% da renda média do trabalhador brasileiro, esse número, de R$ 1.681, ainda é muito baixo. “É fundamental aumentar empregos de qualidade. Por que o Brasil ainda está com uma média salarial ainda tão baixa? Porque estamos virando o País do pleno emprego de dois salários mínimos. O PT comemora isso como se fosse uma grande proeza. Esses empregos são importantes, mas é essencial que nós encontremos formas de dar competitividade ao setor industrial, que é onde estão os empregos de qualidade.”

O candidato, porém, afirmou que não terá em seu eventual governo uma meta específica de aumento do ganho salarial. “Não estamos colocando metas. Mas o Pnad sinaliza aquilo que já estamos avisando há muito tempo: paramos de diminuir as desigualdades. A lógica do PT sempre foi a administração da pobreza, eles não ousaram em novas políticas de superação da pobreza, não resolveram intervir no cadastro único do Bolsa Família, por exemplo, para ver que além da carência financeira há outras carências. O PT contenta-se com a administração da pobreza porque isso faz bem ao seu projeto”, avaliou. E finalizou: “Paramos de melhorar e esse é o primeiro passo para começar a piorar.”

19/09/2014 Posted by | Política | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Ronaldo Fenômeno: ‘Voto em Aécio Neves para presidente’

“Voto em Aécio Neves para presidente. Não apenas porque é um amigo que confio, mas por ser um competente economista e gestor, um cara muito inteligente e de pulso firme como o Brasil precisa.”

Eleições 2014

Fonte: Página Ronaldo Facebook

Ronaldo Nazário de Lima

Oi, galera!

Alguns de vocês me questionam, outros desaprovam e me condenam por eu falar publicamente sobre política.

Jogador de futebol eu fui por anos. Empresário sou há algum tempo. Mas desde que nasci, o que sou mesmo é brasileiro. As eleições estão aí, não me neguem o direito de participar ativamente desse momento tão importante. Não tenho medo de polêmica nem de cara feia. Sempre tive orgulho em dizer: quem não deve, não teme. Vou continuar a exercer a minha cidadania, sem me importar com calúnias e especulações maldosas.

Tudo o que conquistei na minha vida é fruto de suor e trabalho honesto. E vai ser sempre assim. Nunca esqueci as minhas origens, e não preciso dizer aqui tudo o que faço para ajudar os que precisam, no Brasil e no mundo. A política não me corrompe, e se dou minha cara à tapa, é para defender o que acredito. Luto, como posso, para vivermos em um país melhor, mais justo, mais estável, mais desenvolvido e menos desigual.

Voto em Aécio Neves para presidente. Não apenas porque é um amigo que confio, mas por ser um competente economista e gestor, um cara muito inteligente e de pulso firme como o Brasil precisa. Não tem ninguém melhor que ele para gerir a nossa crise econômica, e estou certo de que serão muitos os avanços sociais com suas propostas colocadas em prática. Procurem saber a respeito.

E para quem também acredita: www.vamosagir45.com.br Cadastre-se, crie seu perfil e participe com a gente da campanha. Essa é a hora da #virada45! Eu já to lá, espero você!

18/09/2014 Posted by | Política | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Aécio diz que Marina mudou para se acomodar à realidade eleitoral

Aécio: “Hoje defendemos aquilo que praticamos durante a nossa vida. Não adianta querermos criar um novo personagem às vésperas da eleição.”

Eleições 2014

Fonte: O Globo

Não adianta criar um novo personagem’, diz Aécio sobre Marina

Candidato tucano fala em arrancada e critica ataques petistas

Tentando sair do terceiro lugar nas pesquisas, o candidato do PSDB à Presidência, senador Aécio Neves, afirmou nesta terça-feira que mantém “absoluta confiança de que estará no segundo turno” e criticou a candidata Marina Silva (PSB), segunda colocada nas intenções de votos.

— Agora é hora em que o eleitor aprofunda sua avaliação. A nossa tranquilidade é que nós não precisamos adaptar as nossas propostas às conveniências do momento, com o objetivo de agradar esse ou aquele setor da vida brasileira. Hoje defendemos aquilo que praticamos durante a nossa vida. Não adianta querermos criar um novo personagem às vésperas da eleição — disse o tucano em entrevista coletiva.

Questionado sobre quem seria o candidato que criou um novo personagem, Aécio citou Marina:

— Quando assistimos no caso da candidata Marina uma mudança de posição em função de pressões de A ou de B, é obviamente uma mudança para se acomodar à realidade eleitoral. Não faço crítica pessoal e acho até que o que PT vem fazendo é inaceitável do ponto de vista dos ataques pessoais e de comparações indevidas. O que cobro de todos os candidatos é que digam com clareza aquilo que defendem, que representam.

Aécio afirmou que a política econômica defendida hoje pela candidata do PSB foi criticada por ela quando estava no PT.

— Ela (Marina) agora defende a nossa política econômica, o Plano Real, quando nós lutamos muito para implementar, para acabar com inflação, que hoje ela combate, nós infelizmente não tivemos a contribuição dela, que no PT ajudou o partido a combater o Plano Real e deu seu voto contra a Lei de Responsabilidade Fiscal. Quando defendemos oagronegócio como uma fronteira vital ao crescimento da economia brasileira, alguns anos atrás, ela defendia projeto que proibia o cultivo de transgênicos no pais — disse o tucano.

Sobre seu plano de governo, o tucano disse apenas que lançará antes da eleição.

— Nosso plano não será feito a lápis, será feito a caneta e reproduzirá o que nós pensamos.

Falando em arrancada, Aécio apresentou vídeos que serão utilizados em sua campanha. Um deles, reúne estrelas tucanas como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o ex-senador Tasso Jereissatti e o governador, candidato à reeleição, de São Paulo, Geraldo Alckmin, que encerra o vídeo pedindo voto para Aécio. Na outra peça publicitária, artistas como Zezé di Camargo, a banda Inimigos do HP e o ex-jogador Zico, também declaram apoio ao tucano.

17/09/2014 Posted by | Política | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Programa de governo de Aécio vai propor mudanças nas regras do pré-sal

Aécio dará ênfase à manutenção dos investimentos no pré-sal – com modificação nas regras para aumentar exploração – e  fortalecer etanol.

Eleições 2014

Fonte: O Globo

Programa de governo de Aécio fala em mudar regras do pré-sal

Tucano questiona se em certos casos não é melhor o modelo de concessão para aumentar a competição na exploração

Provocado pela adversária Marina Silva (PSB) por não ter mostrado até agora suas propostas, o candidato do PSDB Aécio Neves prepara um grande evento para divulgar, semana que vem, seu programa de governo. A política energética, uma das áreas mais criticadas do programa de Marina, já está com suas linhas gerais definidas. O programa de Aéciodará ênfase à manutenção dos investimentos no pré-sal — com modificação nas regras para aumentar a competição na exploração — e ao fortalecimento do programa do etanol.

Após a sabatina dessa quarta-feira ao GLOBOAécio deu pistas do que significa aumentar a competição na exploração do pré-sal, o que poderia representar a volta do regime de partilha ao de concessão.

— Acho que nós temos que discutir o que é melhor para o Brasil, se em determinados casos não é melhor o modelo de concessão. É uma discussão que nós vamos fazer lá na frente, obviamente respeitando os contratos vigentes — afirmou o candidato.

Há também entre os tucanos quem defenda não mexer no regime do pré-sal, mas encontrar uma forma de reduzir a predominância da Petrobras. Não deve ser mencionada no programa de governo de Aécio a política de energia nuclear. A ideia é que o documento defenda um equilíbrio planejado da matriz energética entre as fontes existentes no Brasil, “sem radicalismo”.

Na sabatina do GLOBOAécio disse que não apresentou ainda seu plano de governo — preparado por especialistas em cada área — porque está tomando todos os cuidados antes do fechamento para que não tenha que fazer “erratas” em função da reação de setores insatisfeitos, como ocorreu com Marina.

O programa já foi concluído e está, nesse momento, sendo revisado por Aécio. Será o candidato que dará a palavra final sobre a redação que será apresentada semana que vem.

LANÇAMENTO IRÁ APRESENTAR NOMES FORTES DE EVENTUAL EQUIPE

O lançamento do programa de governo de Aécio servirá para o candidato apresentar pesos pesados de sua eventual equipe de governo e deixar claro que o time faz parte do projeto tucano e não irá “socorrer” Marina caso ela seja eleita.

A ideia é que Aécio faça a apresentação do programa ao lado dos economistas Armínio Fraga, Edmar Bacha, José Roberto Mendonça de Barros, Elena Landau e Mansueto Almeida; do escritor Affonso Romano de Sant’Anna, do ex-líder do PSDB Arnaldo Madeira — coordenador do programa —, além de José Serra, Antonio Anastasia, José Júnior, do Afroreggae, e outros que ajudaram na elaboração do conteúdo.

O foco de Aécio será no time econômico que criou o Plano Real e ajudou na estabilização econômica durante o governo Fernando Henrique Cardoso para mostrar que tem a melhor equipe para recuperar a “herança maldita” que herdaria da presidente Dilma Rousseff.

Arnaldo Madeira disse que é falsa a ideia repassada por setores da campanha de Marina de que se ela ganhar, mesmo sem equipe, poderia ser socorrida pelo ex-presidente Fernando Henrique e por quadros do PSDB.

— O pessoal está com a ilusão que o PSDB vai governar com a Marina, que o Fernando Henrique vai garantir isso. Imagina, chance zero! O Serra e o Armínio já disseram que não vão. Imagina o Mendonça de Barros trabalhando com a Marina. Se ela vencer, vai pegar mesmo é o pessoal do PT. A origem dela é o lulismo e é com eles que vai governar. Vai demitir 20 mil pessoas do segundo escalão e vai botar quem no lugar? — disse Madeira.

programa de Aécio também dará destaque para Educação e Saúde. Ele pretende criar o Promédio, um ProUni do ensino médio, para concessão de bolsas de estudos para alunos carentes em escolas privadas. O plano para a Educação também prevê a criação do programa Mutirão de Oportunidades, que concederia uma bolsa de um salário mínimo para levar de volta à escola jovens entre 18 e 29 anos que tenham parado de estudar para trabalhar.

11/09/2014 Posted by | Política | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário