Minas Sustentável

Meio Ambiente, cidades sustentáveis

Servas estimula uso de energia inteligente em Minas

Andrea Neves disse que projeto atua em favor do meio ambiente, 508 entidades serão beneficiadas com a instalação de aquecedores solares.

Gestão eficiente: energia inteligente

Energia Inteligente atende a mais de 200 instituições em Minas

Servas

Servas

Desde 2009, o Servas em parceria com a Cemig, realiza o projeto Energia Inteligente, que tem como objetivo gerar mais conforto a pessoas atendidas por Instituições de Longa Permanência Para Idosos (ILPI). A ação consiste na substituição, feita pela concessionária de energia, de chuveiros elétricos por sistemas de aquecimento solar de água.

Desde o início do projeto já foram beneficiadas 216 instituições em 182 municípios. A instalação dos aquecedores solares está prevista para ser realizada em 508 entidades, com investimento total de R$ 29 milhões.

A economia gerada por meio da utilização do sistema de aquecimento solar proporciona investimentos em infraestrutura, alimentação e outras atividades que melhorem a qualidade de vida dos idosos que vivem nessas instituições.

“Essa é uma iniciativa que visa apoiar as nossas entidades sociais, ajudando a construir um ambiente com mais conforto e segurança, além de propiciar economia no consumo de energia,  o que termina por também contribuir com a preservação do meio ambiente”, disse a presidente do Servas, Andrea Neves, no lançamento do programa.

Para Maria Cleuza Justino de Campos, presidente da Casa de Repouso Ana Souza e Silva, que fica em Santa Luzia, “os equipamentos de aquecimento solar ajudaram e muito na rotina da Casa, hoje os idosos podem tomar um banho quente com mais conforto e economia para a instituição”, destaca Cleuza.

O Lar dos Idosos Santa Terezinha, em São José da Lapa, é uma das instituições beneficiadas. Segundo o coordenador, Lauro Souza Marques, “com o aquecimento solar melhorou o conforto, e não existem problemas, antes freqüentes, como a queima de chuveiros e o gasto excessivo com energia elétrica”, ressaltou o coordenador. Ele explicou que, “irá gerar uma economia de cerca de 40% com energia que será revertida em benfeitorias para o Lar, como uma nova pintura”.

Para participar do projeto as instituições devem estar localizadas na área de abrangência da Cemig e serem cadastradas no Servas. O Cadastro pode ser feitoon line pelo link http://www.servas.org.br/termo-adesao-eficiencia-energetica/termo-adesao-eficiencia-energetica.aspx.

Anúncios

05/03/2013 Posted by | Desenvolvimento sustentável | , , , | Deixe um comentário

Andrea Neves: Tancredo, o encanto possível

Andrea Neves escreveu artigo que lembra o lado afetuoso de Tancredo Neves que se estivesse vivo teria completado 103 anos no dia quatro de março.

Andrea Neves: artigo

Abaixo um belo texto escrito pela neta Andrea Neves,

Era um período de mudanças, acima de tudo de esperança de um Brasil melhor e acima de tudo um olhar especial, a visão de um outro lado de um personagem que utilizou a boa política como instrumento de transformação social.

O texto não exalta o político, mas sim o homem Tancredo e o legado de seus valores.

Fonte: Blog Andrea Neves

 Andrea Neves: Tancredo, o encanto possível

Algumas pessoas sugerem que eu escreva mais sobre a minha história.

Aí vai, então, mais um pedaço dela.

Esse é um artigo que fiz sobre o meu avô e foi publicado na revista Vogue em 1984. Eu tinha 25 anos.

Tancredo, o encanto possível

Paulo Mendes Campos dizia, em crônica, já antiga, que os grandes milagres, ao contrário do que pode parecer, não acontecem depressa, mas devagar, muito devagar.

De certa forma é também o que acontece com as “grandes lições” que a vida nos oferece. Na falta de um adjetivo melhor chamo “grandes lições” ao processo de incorporação daqueles princípios éticos básicos, sem os quais o homem perde a sua referência, sua identidade, sua ponte própria com o mundo.

Hoje, a cotidiana violência das manchetes dos jornais nos treina para o silêncio, e o caos em que se encontra a humanidade nos faz beirar o imobilismo: de agentes da nossa própria história corremos o risco de nos transformar em espectadores amedrontados cujo único mérito é o de ainda ter forças para torcer por um final menos infeliz.

E vamos envelhecendo precocemente em cada gesto contido, em cada indignação não mais sentida, em cada lágrima não repartida.

É esse o sentido maior deste texto: através dos olhos, da voz e do coração de primeira neta revelar um pouco do afeto e da ternura que o dia-a-dia insiste em tentar nos fazer esquecer.

No tempo em que vivemos, quando parece ter se tornado normal essa total desorganização de valores, esse cruel ceticismo diante da quase impossibilidade do amanhã, essa cor opaca que trazemos nos olhos, o grande aprendizado que meu avô vem repartindo conosco, vem sendo tecido com calma e emoção ao longo de toda a nossa vida.

A primeira lembrança, a mais remota, é de uma tarde no apartamento de Copacabana. Ele, com infinita paciência, cantava Se Essa Rua Fosse Minha. Eu, excitada pelo fascínio que o ambiente (a biblioteca) me despertava e pela impressão que as ilustrações de A Divina Comédia, que minha curiosidade folheara algumas horas antes, me causara, relutava em conseguir dormir.

Depois, como em todas as manhãs, vieram as estórias (verdade que sempre as mesmas…) e eu seria capaz de jurar que ele se divertia tanto quanto eu com as nuances de voz e expressão que criava para os personagens.

Avanço um pouco no tempo e lá estávamos nós, passeando pelas ruas de São João del Rei. Em cada esquina, uma história; a cada passo, um amigo, um dedo de prosa, um abismo de recordações. Lembro-me, numa dessas ocasiões, do desassossego que me tomou conta, quando, entreouvindo uma dessas conversas, descobri, encantada, que ele também já fora menino, nadara no Olho d’Água e brincara nas torres da Matriz…

Chegou a minha adolescência e com ela a descoberta de uma nova dimensão da sua figura. Agora, as conversas eram verdadeiras aulas de história e a facilidade com que discorria sobre os mais diversos assuntos me ingressou num mundo novo. É até hoje fascinante vê-lo, na descontração do universo familiar, falar com a mesma intimidade sobre os grandes clássicos da literatura universal, sobre alguns aspectos de determinada teoria política ou mesmo comentar a técnica de uma jogadora de basquete. A ecleticidade da sua formação faz com que navegue com segurança e naturalidade sobre as mais diversas áreas do conhecimento humano.

É também nessas ocasiões que melhor se revela a agudez do seu espírito: bem-humorado, domina com maestria o uso da ironia sem jamais chegar ao sarcasmo, ao mesmo tempo em que é capaz de levar um “oponente” ao exaspero sem sequer alterar o tom da voz. São presentes dele alguns dos meus melhores livros e só não foram mais importantes na minha formação do que as dedicatórias que os acompanham.

No espaço de vida real, o avô e o político se confundem revelando o homem na sua dimensão maior. E é esse quem vem nos legando a mais valiosa de todas as heranças: o seu exemplo vivo de coragem, lealdade e serenidade. Coragem que revela ao sustentar as suas posições contra as platéias mais adversas; lealdade quando reserva, mesmo aos adversários, toda a sua atenção e respeito (embora nem sempre receba o mesmo tratamento) e a serenidade que caracteriza os que sabem discernir entre a limitação e o infinito dos fantasmas que povoam as almas humanas.

A sua inteligência já é por demais conhecida e só é superada pela dimensão da sua lucidez. Não aquela lucidez fria, exclusivamente racional, mas aquela outra, a lucidez comovente dos que conseguem não deixar de sonhar. E se algum lampejo de altivez ilumina de quando em vez o seu olhar, ele se deve exclusivamente ao orgulho que devem sentir os homens capazes de viver, e, vivendo, se manterem fieis não só aos compromissos que estabelecem com o mundo exterior, mas principalmente aos que travam consigo mesmos e que se revelam naqueles princípios básicos a que me referia no início do texto.

Por outro lado, a humildade com que se comporta nos vem mostrando desde criança que a vaidade não é a melhor das madrinhas, assim como o aplauso fácil não é o melhor dos troféus. A rigidez do seu caráter, a profunda solidariedade que o liga aos amigos e a fé que ainda consegue ter nos destinos do país são aspectos da sua personalidade que transparecem para todos que partilham do seu convívio.

Se é verdade que a minha infância o quis mais por perto e que a minha adolescência lhe cobrou alguns arroubos, também é verdadeiro o profundo encantamento que sua alma sempre exerceu sobre o meu coração.

O tempo tem a sua medida e foi justamente ela quem foi aos poucos me revelando novas dimensões da sua figura humana. Ainda me lembro que no tempo em que meus pais se dedicavam à tarefa inglória – de resto reservada a todos os pais – de tentar me poupar das dores inevitáveis do crescimento, foi dele a bênção cúmplice e silenciosa que recebi, seja quando deixei o Brasil para descobrir o mundo, seja quando a prática política me levou para caminhos distintos dos seus.

E foram exatamente esse silêncio e essa cumplicidade os elementos utilizados para tecer, ao longo dos anos, o que eu hoje chamaria de nosso “pacto de convivência familiar”, cujo principal objetivo era o de tentar separar o mundo “lá de fora”, o das manchetes dos jornais, do mundo “aqui de dentro”, o da segurança afetiva, revelando aquela que durante muito tempo foi uma das suas maiores preocupações: separar a política da sua vida privada.

Tinha assim a ilusão, acredito eu, de nos preservar de aborrecimentos e preocupações, mal sabendo que cada problema não trazido para casa era ansiosamente adivinhado em cada olhar, cada gesto seu.

Nesse sentido, esse texto é uma pequena traição (pela qual peço desculpas) a essa fantasia que durante tanto tempo orientou a nossa vida familiar, na medida em que cria a inevitável interseção entre esses dois mundos: a interseção da realidade.

Fecho os olhos e o vejo no aniversário de sua irmã cantando Elvira Escuta. No instante seguinte é Natal e sua voz grave ecoa pela sala através dos versos de Noite Feliz. Vou à janela, respiro fundo e penso que apesar de serem poucos os meus anos e muitas as coisas já desacreditadas, algum encanto que ainda não me foi revelado deve existir num mundo capaz de produzir homens como este.

A sua bênção, meu avô.

05/03/2013 Posted by | artigo | , , , , , , | Deixe um comentário

Governo Aécio promove curso de reaproveitamento alimentar no Centro Mineiro de Referência em Resíduos

O Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR) está com inscrições abertas para uma nova turma do Curso Básico de Educação Alimentar, promovido pelo Conselho Nacional do Serviço Social da Indústria (Sesi). As aulas integram o projeto Cozinha Brasil – Alimentação Inteligente e acontecem em março, nos dias 29 e 30 de março das 13h30 às 16h50 e 31 das 9h às 12h30, totalizando carga horária de 10 horas. As vagas são limitadas e as inscrições são gratuitas.

A iniciativa tem como objetivo elevar o nível de saúde e qualidade de vida, visando à produção e à ingestão de uma alimentação de alto valor nutricional e baixo custo. Nas aulas práticas serão preparados doces, bolos, carnes e sucos feitos com cascas, talos, folhas e sementes, elementos geralmente desprezados no dia a dia. “Ao invés de ir para a lixeira, as cascas e sementes dão um sabor especial às receitas convencionais. O resultado são pratos altamente nutritivos”, explica a coordenadora da Cozinha Experimental do CMRR, Fernanda Redig.

Durante o curso, os alunos também terão a oportunidade de aprender boas práticas de manipulação de alimentos, compras e dicas de higiene e nutrição.

A Cozinha Experimental do CMRR é um espaço criado, exclusivamente, para estimular a mudança de comportamento e dos hábitos alimentares, dentro dos princípios do consumo consciente e combate ao desperdício.  Ao final do curso, os participantes recebem certificados.

Serviço:

Curso Básico de Educação Alimentar

Programa Cozinha Brasil – Alimentação Inteligente

Data: 29, 30 e 31 de março de 2010

Horário: 29 e 30 das 13h30 às 16h50 e 31 das 9h às 12h30

Carga horária: 10 horas

Local: Centro Mineiro de Referência em Resíduos – rua Belém (esquina com avenida dos Andradas), nº 40, bairro Esplanada – Belo Horizonte

Inscrições gratuitas: (31) 3465-1211 e 3465-1206

Vagas limitadas

19/03/2010 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente, Responsabilidade Social | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Governo Aécio inicia projeto de capacitação voltado para os catadores de materiais recicláveis de Minas

O Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR) em parceria com o Movimento Nacional de Catadores de Materiais Recicláveis (MNCMR), Instituto Nenuca de Desenvolvimento Social (Insea), Fundação Banco do Brasil (FBB), Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Minas Gerais (Sebrae-MG) iniciam, nesta sexta-feira (19), um projeto de capacitaçãovoltado para os catadores de materiais recicláveis de MinasGerais.

Intitulado “Fortalecimento do associativismo e do cooperativismo dos catadores de materiais recicláveis: formação para a autogestão, assistência técnica e mobilização em Minas Gerais”, o projeto tem como objetivo fortalecer as organizações sociais e produtivas de catadores de materiais recicláveis do Estado, por meio de um processo de formação para a autogestão, assistência técnica, fomento à mobilização e intercâmbio da categoria, bem como contribuir para sua maior inserção enquanto empreendimentos solidários através do aumento da capacidade profissional, técnica, social e política.

O trabalho desenvolvido por esses trabalhadores, nem sempre visível para a sociedade em geral, coloca-se, hoje, como uma das principais formas de sustentabilidade ambiental e econômica desse segmento da população. O princípio básico do trabalho concentra-se nas habilidades e conhecimentos acerca da coleta, triagem e comercialização dos recicláveis. A busca de melhoria das condições de vida a partir do que é descartado pela sociedade encontra desafios que vão, desde a pouca habilidade de alguns para o domínio da cadeia produtiva, até o conhecimento insuficiente para a comercialização, resultando, muitas vezes em exploração por parte de terceiros.

Estima-se que 90% do material que abastece a indústria recicladora brasileira é coletado por catadores de materiais recicláveis (Insea, 2006), que são, ainda hoje, muitas vezes moradores de rua ou de locais de disposição inadequada de resíduos, e, que atuam de forma individual, tendo na atividade de catar material reciclável sua única fonte de sobrevivência.

Sem muitos recursos financeiros e quase sempre com baixa escolaridade e qualificação, estes trabalhadores são submetidos à exploração de atravessadores que pagam preços reduzidos pelos materiais recicláveis e muitas vezes são dominados pela coação, empréstimo do carrinho de coleta ou adiantamentos em dinheiro.

A organização da categoria por meio da criação de empreendimentos econômicos solidários é uma alternativa na busca pela reversão deste quadro. Tais empreendimentos objetivam a inclusão social e produtiva desse segmento da população, através do exercício efetivo da cidadania com resgate dos seus direitos ao trabalho, à renda, às políticas sociais.

A expectativa é que aproximadamente mil catadores sejam beneficiados diretamente pelo projeto. As aulas iniciam nesta sexta-feira (19), sendo realizadas a partir de então, uma vez por mês, sempre no fim de semana, até o mês de agosto. Os encontros acontecerão no CMRR, que fica na rua Belém, 40, esquina com avenida dos Andradas, bairro Esplanada. Informações por meio do (31) 3295-7270 ou pelo e-mail tatimgoulart@gmail.com.

19/03/2010 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente, Responsabilidade Social | , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Oficinas de férias do Centro Mineiro de Referência em Resíduos vão até 28 de janeiro

As oficinas de férias no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR) começaram na manhã desta terça-feira (12), com muito entusiasmo e novidade. As atividades, que inicialmente foram idealizadas para o público infantil, atraíram um grande público adulto. A primeira oficina aconteceu na cozinha experimental do CMRR, com o tema “Reaproveitamento de Alimentos”, atraindo cerca de 30 alunos nos turnos da manhã e tarde.

Os alunos prepararam bolo de laranja com casca, suco da horta feito com talos de couve, limão e suco de maracujá e pão de milho americano. Sob a orientação da estagiária de nutrição, Larissa Bruschi, as crianças aproveitaram a oportunidade para desenvolver as habilidades em um local geralmente frequentado pelos adultos, a cozinha.

Além de auxiliar as crianças, os adultos aprenderam também como evitar o desperdício e tornar os pratos ainda mais nutritivos. A aluna Alice Kin ficou surpresa em saber que pode-se fazer um bolo com a casca da laranja. “Sempre joguei a casca dos alimentos fora, achei excelente aprender a utilizá-los”, relatou. O coordenador do Programa Portas Abertas, Daniel Gonçalves, achou a experiência de interação entre crianças e adultos muito válida. “É com os adultos que as crianças aprendem a cozinhar e propiciar este momento de troca foi uma experiência muito válida”, avaliou.

As oficinas continuam com várias modalidades. Elas acontecem até o dia 28 de janeiro, nos turnos da manhã (9h às 11h) e tarde (14h30 às 16h30). O CMRR fica na avenida Belém, 40, esquina com avenida dos Andradas, no bairro Esplanada. Mais informações e inscrições pelo telefone (31) 3465-1227.

Oficinas de Férias – Janeiro de 2010

12/01

Oficina Aproveitando Alimentos

Descrição: “Mao na massa” para aprender aproveitar integralmente os alimentos

Horário: 9h às 11h

Idade: A partir de 9 anos

13/01 (Inscrições encerradas)

Oficina: Confecção de Papel Artesanal

Descrição: Confecção de papel artesanal a partir do reaproveitamento de papeis obsoletos.

Horário: 9h às 11h e 14h30 às 16h30

Idade: a partir dos 7 anos

14/01

Oficina: Conexões Complexas

Descrição: Dinâmicas em equipe para a discussão da “Teia da Vida”

Horário: 9h às 11h e 14h30 às 16h30

Idade: a partir dos 12 anos

19/01

Oficina Mosaico

Descrição: Confecção de Mosaicos a partir do reaproveitamento de embalagens.

Horário: 9h às 11h

Idade: a partir dos 12 anos

20/01

Oficina Confecção de Papel Artesanal

Descrição: Confecção de papel artesanal a partir do reaproveitamento de papeis obsoletos.

Horário: 9h ás 11h e 14h30 às 16h30

Idade: a partir dos 7 anos

21/01

Oficina Vaso Pet

Descrição: Confecção de vasos de planta com reaproveitamento de garrafas pet. Após a construção dos vasos, as crianças aprenderão a plantas as mudas.

Horário: 9h às 11h

Idade: a partir de 10 anos

26/01

Oficina Compostagem doméstica

Descrição: Aprenda a transformar, em casa, o lixo orgânico em adubo.

Horário: 9h às 11h e 14h30 às 16h30

Idades: A partir de 12 anos

27/01

Oficina Confecção de Papel Artesanal

Descrição: Confecção de papel artesanal a partir do reaproveitamento de papeis obsoletos.

Horário: 9h às 11h e 14h30 às 16h30

Idade: a partir dos 7 anos

28/01

Oficina Vaso Pet

Descrição: Confecção de vasos de planta com reaproveitamento de garrafas pet. Após a construção dos vasos, as crianças aprenderão a plantas as mudas.

Horário: 9h às 11h e 14h30 às 16h30

Idades: A partir de 10 anos

13/01/2010 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Governo Aécio Neves com apoio do Centro Mineiro de Referência em Resíduos educa jovens para questões da sustentabilidade

Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR) capacitou cerca de mil jovens em diversos cursos e oficinas oferecidos gratuitamente à população em 2009.  Os cursos formaram jovens para atuar no mercado de trabalho no gerenciamento de resíduos, inclusive da construção civil, na montagem de computadores a partir de equipamentos considerados obsoletos, promoveu a inclusão digital e as oficinas da Cozinha Experimental e da Cozinha Brasil disseminaram informações sobre o aproveitamento integral de alimentos e novos hábitos alimentares dentro dos princípios do consumo consciente.

Para a realização do Curso Técnico em Meio Ambiente, o CMRR fez parceria com a Fundação de Educação para o Trabalho de Minas Gerais (Utramig).  Foram 1.383 jovens inscritos para as 70 vagas oferecidas e a formatura da primeira turma está prevista para agosto. O objetivo do curso é promover a melhoria da qualidade de vida, a geração de novas oportunidades de trabalho e renda, o estímulo, a reflexão e a incorporação de valores e atitudes ambientalmente corretas, além da criação de iniciativas voltadas para a pesquisa, ensino e extensão em resíduos sólidos.

Com uma carga horária de 1.300 horas/aula, sendo 900 horas em sala e 400 horas de estágio curricular supervisionado, o curso integra o Programa de Educação Profissional (PEP) desenvolvido peloGoverno Aécio Neves, que busca atender a necessidade do mercado de trabalho por mão de obra qualificada. Há previsão de início de nova turma ainda este ano.

O Curso de Gestão e Negócios de Resíduos, que aconteceu no CMRR durante o primeiro semestre de 2009, possibilita o engajamento de jovens na atividade de gestão de resíduos ou de empreendedor capaz de criar seu próprio negócio, atuando com reciclagem e/ou reaproveitamento de resíduos. Por meio dessa iniciativa, o CMRR busca potencializar o papel do jovem na melhoria da qualidade socioambiental do Estado. Em 2009, 60 alunos foram capacitados e o curso já formou, desde 2007, 339 alunos.

Telecentro Comunitário

Os telecentros são espaços públicos providos de computadores conectados à internet em banda larga, onde são realizadas atividades, por meio do uso das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs), com o objetivo de promover a inclusão digital e social das comunidades atendidas.

O programa visa contribuir prioritariamente, com a formação cidadã de jovens em situação de risco social ou em conflito com a lei, por meio de um conjunto de atividades de educação ambiental, inclusão digital e de geração de emprego e renda, denominado Programa Oportunidade Legal (Olé).  Foram oferecidas vinte vagas, dez pela manhã, outras dez a tarde, e todos os alunos foram encaminhados pela Vara Infracional do Tribunal de Justiça de Minas Gerais. Após dois meses de curso, treze jovens receberam seus certificados. Com o apoio das parcerias estabelecidas pelo programa, cinco jovens serão contratados pela Associação Municipal de Assistência Social (Amas) e dois pela Associação Profissionalizante do Menor (Assprom). Novas turmas estão sendo estruturadas pelo Tribunal de Justiça para serem desenvolvidas no Telecentro do CMRR este ano.

Construção Civil

A meta do Curso de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil é transformar resíduos gerados nas construções em oportunidades de trabalho e renda. O curso aborda os impactos da construção civil nos aspectos econômico, social e ambiental; as regulamentações mais atuais que indicam os caminhos básicos para a correta gestão de resíduos da construção civil; as etapas da boa gestão de resíduos; a classificação dos tipos de resíduos gerados pelas obras; os respectivos tratamentos ou disposições indicados pelas normas técnicas e identifica os principais itens constituintes de um Plano de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil (PGRCC). Foram 80 vagas divididas em duas turmas. Os foram realizados entre os meses de outubro e novembro e as aulas totalizaram uma carga horária de 40 horas/aula, capacitando 45 alunos.

3RsPCs

O 3RsPCs é voltado para alunos de escolas públicas, com idade entre 16 a 29 anos. Os jovens aprendem sobre hardware enquanto recondicionam máquinas obsoletas que são doadas visando à ampliação da inclusão digital. No primeiro semestre de 2009, 36 alunos concluíram o curso de manutenção, montagem e recondicionamento de computadores. No segundo semestre, 28 jovens se formaram. No total, o curso já formou 99 alunos e a maioria deles já foi inserida no mercado de trabalho.

Para 2010, o curso será oferecido a 80 jovens, em quatro turmas,duas no primeiro semestre e duas no segundo, e haverá o Curso Prático de Desmontagem e Triagem de Resíduos Eletroeletrônicos, para catadores de materiais recicláveis. Serão duas turmas ao longo do ano, uma por semestre, totalizando 20 vagas. Os dois cursos farão parte do Projeto Piloto GR3E – Gestão de Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrônicos (REEE), que será implementado no CMRR este ano.

Cozinha Experimental

A Cozinha Experimental realizou 28 oficinas com 732 pessoas em 2009. A Cozinha Experimental do CMRR é um espaço criado para estimular a mudança de comportamento e dos hábitos alimentares, dentro dos princípios do consumo consciente e combate ao desperdício. O destaque foi o projeto Chefs do Amanhã, parceria das Centrais de Abastecimento de Minas Gerais (Ceasa), Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), CMRR e da Prodal Banco de Alimentos, que se uniram para desenvolver cursos de capacitação para jovens, com enfoque no repasse de dicas de alimentação saudável e receitas econômicas e nutritivas. Foram 333 jovens beneficiados pelo programa. O número superou as expectativas que era de beneficiar 300 jovens até o final deste ano 2009.

Outra oficina que com grande público foi a Cozinha Brasil. Com o objetivo de elevar a qualidade de vida, visando uma alimentação de alto valor nutricional e baixo custo, foram realizadas sete oficinas e 209 pessoas foram atendidas. A cozinha também ofereceu capacitação aos Amigos da Escola e às cantineiras de escolas públicas.

08/01/2010 Posted by | Ação Sustentável, Cidadania, Meio Ambiente, Responsabilidade Social | , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Sustentabilidade: Seminário Internacional realizado em Belo Horizonte mostra experiências internacionais de coleta e restituição dos resíduos sólidos

Palestra de Daniel Ott , da Swiss Federal Laboratories for Materials Testing and Researc

Experiências internacionais de coleta e restituição dos resíduos sólidos aos seus geradores para tratamento ou reaproveitamento foram mostradas no Seminário Internacional de Resíduos Eletroeletrônicos na tarde desta quinta-feira (13). No painel ‘Logística Reversa e Sistemas de Gestão’, foram apresentadas ações desenvolvidas na Suíça e Portugal.

O seminário, realizado pelo Governo Aécio Neves por meio da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam) com apoio da Microsoft Brasil, acontece em Belo Horizonte no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR). A atividade integra as ações do Projeto 3RsPCs – Resíduos Eletrônicos que busca soluções para a destinação ambientalmente adequada dos resíduos de equipamentos eletroeletrônicos

O presidente da European Recycling Platform, o português Ricardo Neto, apresentou o trabalho de sensibilização que vem sendo desenvolvido em Portugal na gestão de resíduos como pilhas e eletroeletrônicos. Ele observou que a disponibilização de informações sobre a necessidade de adotar cuidados com o manuseio de resíduos é uma das prioridades. “Ações de mobilização são realizadas em locais públicos como praias e escolas demonstrando formas de gestão desses resíduos”, explicou.

Daniel Ott, da Swiss Federal Laboratories for Materials Testing and Research (EMPA), afirmou que na Suíça, os sistemas de logística reversa vêm sendo adotados pelas empresas desde 1994, anteriormente à criação da legislação que regulamenta a ação, datada de 1998. Ele observou que a experiência das empresas facilitou a regulamentação já que incorporou as práticas que vinham sendo adotadas.

Para Daniel Ott, a disposição do setor industrial em assumir a liderança da implantação dos sistemas de gestão facilitou o desenvolvimento do processo. “Determinar quem coordena o processo é um dos fatores que permite o sucesso da ação”, explicou. Ele observou, no entanto, que não existe uma receita e as características locais têm de ser observadas. “No caso da América Latina, os catadores são um fator de alta eficiência que não pode ser ignorado”, afirmou.

Na Suíça, a EMPA coordena o sistema de gestão de resíduos eletroeletrônicos. “É necessário um controle dos pontos de coleta, dos resíduos coletados, do tratamento e dos resultados alcançados para definir as formas mais eficientes de ação”, informou.

Brasil

No Brasil, mecanismos de logística reversa vêm sendo implantados de forma isolada já que não existe uma legislação específica sobre a questão. O Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama) estuda uma proposta para regulamentar a gestão dos resíduos eletroeletrônicos.

O Conselho de Logística Reversa do Brasil (CLRB), criado em 2008, também lida com a questão de retorno de produtos com um enfoque empresarial. O presidente do CLRB, Paulo Roberto Leite observou que a questão deve ser abordada como uma forma de garantir sustentabilidade às empresas já que a recuperação de produtos agrega valor econômico e garante uma forma de as empresas cumprirem suas obrigações socioambientais.

Minas Gerais é pioneiro no desenvolvimento de mecanismos de logística reversa. É um dos únicos estados brasileiros a contar com uma Política Estadual de Resíduos Sólidos, detalhada na Lei 18.031, aprovada em janeiro de 2009. Um Grupo de Trabalho instituído pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) se dedica a uma proposta de normatização da categoria dos eletroeletrônicos. Possui ainda o único Diagnóstico da Geração de Resíduos Eletroeletrônicos elaborado no país, divulgado em junho deste ano pela Feam.

O Seminário Internacional de Resíduos Eletroeletrônicos termina nesta sexta (14) e acontece no CMRR (rua Belém, nº 40, bairro Esplanada). A programação completa está disponível nos sites www.feam.br e http://www.seminarioree.com.br.

14/08/2009 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Compromisso ambiental de Aécio Neves faz com que Governo de Minas assine protocolo de intenção para implementação do projeto piloto de gestão de resíduos eletroeletrônicos em Belo Horizonte

Durante a abertura do Seminário Internacional de Resíduos Eletroeletrônicos no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR) nessa quarta- feira (12) foi assinado protocolo de intenção para implantação do projeto piloto de gestão de resíduos eletroeletrônicos em Belo Horizonte. O compromisso foi firmado por Aécio Neves por meio da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam) e pela Associação de Usuários de Informática e Telecomunicações de Minas Gerais (Sucesu).

Previsto para acontecer ao longo de 2010, o projeto estabelecerá uma parceria, inicialmente, com 25 empresas que irão repassar equipamentos como computadores, telefones, celulares e impressoras em desuso para a Feam, que dentro do projeto 3RsPCs – Resíduos Eletroeletrônicos, dará um destino ambientalmente responsável ao material.

De acordo com a coordenadora do projeto 3RsPCs, Susane Meyer, os equipamentos recebidos serão separados de acordo com o estado de aproveitamento. “Uma parte será utilizada no curso de recondicionamento de computadores que já é oferecido periodicamente no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR) para jovens provenientes de escolas públicas”, explicou. Os equipamentos recondicionados serão doados com o objetivo de ampliar a inclusão digital de pessoas de baixa renda.

Os materiais não recondicionados serão enviados para o curso prático de processamento de resíduos eletroeletrônicos (REE), que será oferecido aos catadores de materiais recicláveis também no CMRR. Os materiais serão, então, destinados de maneira ambientalmente adequada para indústrias recicladoras de plástico, metal, placas de circuito impressos e empresas que tratam de tubos de raios catódicos dos monitores de computadores. “Tudo será quantificado e acompanhado para que se conheçam as melhores possibilidades de destinação desses resíduos e para que se tenha um controle de todo o processo”, acrescentou Susane.

De acordo com o presidente da Sucesu, Márcio de Souza Tibo, a assinatura do protocolo simboliza a união entre o Governo de Minas e a sociedade civil na busca por soluções adequadas ambientalmente e economicamente viáveis para a questão dos resíduos eletroeletrônicos. “O esforço conjunto entre o 3RsPCs e a Suceso trará vários benefícios às empresas e usuários de informática e à população” declarou.

Cooperação com a Microsoft Brasil
Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), presidido por Andrea Neves, e a Microsoft também assinaram um termo de cooperação técnica com o objetivo de apoiar o projeto 3RsPCs, desenvolvido pela Feam. O projeto busca soluções ambientalmente adequadas para os resíduos eletroeletrônicos, fomentando a formulação de políticas públicas relacionadas ao tema.

Entre as ações apoiadas pela Microsoft está o curso de Montagem, Manutenção e Recondicionamento de Computadores, voltado para jovens vindos de escolas públicas. O trabalho é voltado para jovens vindos de escolas públicas que aprendem a trabalhar com hardware enquanto efetivamente recondicionam máquinas obsoletas de prédios do Governo do Estado. Os alunos também aprendem sobre noções de meio ambiente e sobre os riscos dos resíduos eletroeletrônicos se mal geridos.

O projeto tem como objetivo promover a disseminação de políticas voltadas para a destinação social e ambientalmente correta desses resíduos, fomentando a formulação de uma legislação específica para o setor no Estado, além de estimular o desenvolvimento de pesquisas voltadas para o reaproveitamento e reciclagem de resíduos eletroeletrônicos (REE).

Segundo informações do diretor de Assuntos Coorporativos da Microsoft Brasil, Rodolfo Fucher, há no Brasil cerca de 40 milhões de computadores pessoais (PCs) da empresa instalados. “A cada ano novos 10 milhões chegam ao mercado e cerca de 2 milhões são descartados. Por isso a Microsoft apóia a iniciativa da Feam, Servas e CMRR, por meio do Projeto 3RsPCs, para que essa grande quantidade de resíduos gerada tenha uma gestão adequada”, disse.

“Há toda uma cadeia que envolve fabricantes, importadores, revendedores e os consumidores. Queremos que toda a cadeia seja envolvida na solução da questão. As políticas públicas que estão sendo elaboradas pelo Governo de Minas em parceria com a sociedade civil visam levar ao Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama) uma proposta de norma que abranja todos os envolvidos”, informou o presidente da Fundação Estadual do Meio Ambiente, José Cláudio Junqueira.

Seminário apresenta soluções para resíduos eletroeletrônicos
Nesta quinta-feira (13/08), no segundo dia do Seminário Internacional de Resíduos Eletroeletrônicos, as propostas de políticas públicas e os sistemas de gestão e logística reversa serão abordadas pelos especialistas reunidos em Belo Horizonte.

A partir de 9h, no painel ‘Políticas Públicas’, o presidente da Feam, José Cláudio Junqueira, apresenta as iniciativas pioneiras do governo de Minas Gerais que integram as ações do Projeto 3RsPCs – Resíduos Eletrônicos que vem sendo realizadas pela Feam no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR).

Também participam o gerente de Programas Ambientais Urbanos da Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente, Marcos Bandini; o consultor internacional de resíduos eletroeletrônicos e gerente de negócios do Instituto de Morfologia aplicada em Zurique, Peter Bornand; a consultora de gestão de resíduos urbanos, resíduos tecnológicos, resíduos especiais e políticas públicas, Ângela Rodrigues; o diretor da Área de Responsabilidade Socioambiental da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), André Saraiva.

A partir de 14 horas, no painel ‘Logística Reversa e Sistemas de Gestão’ serão apresentadas as ações destinadas a facilitar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos aos seus geradores, para que sejam tratados ou reaproveitados. O português Ricardo Neto, presidente da European Recycling Platform, apresentará o trabalho desenvolvido em Portugal e na Espanha na gestão de resíduos como pilhas e eletroeletrônicos. Daniel Ott, da Swiss Federal Laboratories for Materials Testing and Research (EMPA), apresentará as ações que vem sendo desenvolvidas na América Latina e Caribe, onde é o coordenador de atividades de REE. O diretor executivo do Conselho de Logística Reversa do Brasil (CLRB), Paulo Roberto Leite, a pesquisadora da Universidade do Estado de São Paulo (USP), Nívea Reidler e Benami Waisberg, da Recitec.

O Seminário Internacional de Resíduos Eletroeletrônicos tem patrocínio da Microsoft Brasil e acontece entre os dias 12 e 14 de agosto no CMRR (rua Belém, 40, bairro Esplanada). A programação completa está disponível nos sites www.feam.brwww.seminarioree.com.br.

13/08/2009 Posted by | Meio Ambiente | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Governo Aécio Neves coordena o 1º Seminário Internacional de Resíduos Eletroeletrônicos, em Belo Horizonte

Começa nesta quarta-feira (12), em Belo Horizonte, o 1º Seminário Internacional de Resíduos Eletroeletrônicos (REE). A abertura do evento será às 19h, no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR), com a presença do presidente da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), José Cláudio Junqueira, e da vice-presidente do Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), Dulcejane Vaz. O encontro será realizado até 14 de agosto e reunirá especialistas em resíduos eletroeletrônicos do Brasil e do mundo. 

Na abertura, será assinado um Protocolo de Intenção para implantação do projeto piloto de gestão de resíduos eletroeletrônicos em Belo Horizonte. O compromisso será firmado entre a Feam e a Associação de Usuários de Informática e Telecomunicações de Minas Gerais (Sucesu/MG). O projeto estabelecerá uma parceria, inicialmente, com 25 empresas que irão repassar equipamentos como computadores, telefones, celulares e impressoras em desuso para a Feam que, dentro do projeto 3RsPCs – Resíduos Eletroeletrônicos, dará um destino ambientalmente responsável ao material. 

O Servas e a Microsoft também irão assinar um Termo de Cooperação Técnica com o objetivo de apoiar o projeto 3RsPCs, desenvolvido pela Feam e que busca soluções ambientalmente adequadas para os resíduos eletroeletrônicos, fomentando a formulação de políticas públicas relacionadas ao tema. Entre as ações apoiadas pela Microsoft está o curso de Montagem, Manutenção e Recondicionamento de Computadores, voltado para jovens vindos de escolas públicas. 

Após a solenidade de abertura, o ex-diretor do sistema suíço de gestão de REE, Peter Bornand, e o representante do laboratório Suíço Empa (Swiss Federal Laboratories for Materials Testing and Research), Daniel Ott, discutirão a problemática dos resíduos eletroeletrônicos no mundo. 

O Seminário Internacional de Resíduos Eletroeletrônicos é uma realização da Feam, em parceria com o CMRR e a Microsoft. O objetivo é promover a discussão entre os diversos setores relacionados à gestão de resíduos eletroeletrônicos e a troca de experiências nacionais e internacionais, abordando temas como políticas públicas, sistemas de gestão, tecnologias e consumo consciente. Mais informações sobre o evento e a programação no site: http://www.seminarioree.com.br. 

Serviço 

Evento: 1º Seminário de Resíduos Eletroeletrônico 
Data: 12 a 14 de agosto de 2009 
Local: CMRR, rua Belém, nº 40, bairro Esplanada, Belo Horizonte 
Informações: http://www.seminarioree.com.br

13/08/2009 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente | , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Minas Gerais é o primeiro estado a aderir à campanha, lançada pela ONG State of the World Forum durante a abertura da Conferência Preparatória para a Convenção Mundial sobre Mudanças Climáticas

Apresentação do Valores de Minas na pré Conferência Mundial para Mundanças ClimáticasO governador Aécio Neves assinou nesta terça-feira (4), no Palácio das Artes, a adesão do Estado de Minas Gerais à Campanha de Liderança Climática 2020, que propõe a redução em 80% das emissões de gases de efeito estufa nos próximos dez anos. Minas foi o primeiro estado do mundo a aderir à campanha, lançada pela ONG State of the World Forum, durante a abertura da Conferência Preparatória para a Convenção Mundial sobre Mudanças Climáticas, que acontece em Belo Horizonte até sexta-feira (7).

“Precisamos reconhecer que cada um de nós tem a sua própria responsabilidade nesse processo e precisamos parar de delegá-la a outros, sejam eles governantes, especialistas ou organismos internacionais. Precisamos parar de transferir responsabilidade e começarmos a exercê-la, individualmente, coletivamente, cotidianamente”, defendeu o governador Aécio Neves, em seu discurso.

Durante a conferência em Belo Horizonte serão realizadas sessões de trabalho com a participação de 160 ambientalistas e cientistas de 20 países. Os trabalhos em Minas Gerais são o ponto de partida para uma campanha mundial visando a conscientização de pessoas, empresas e governos sobre as mudanças climáticas. A convenção mundial sobre o tema acontece em fevereiro de 2010, em Washington.

Políticas Públicas

Minas Gerais foi escolhida para sediar a conferência e o lançamento da campanha por já desenvolver políticas ambientais que reduzem o impacto da emissão de gases poluentes.

O Estado apresenta resultados significativos com a queda do desmatamento, o aumento das áreas verdes protegidas, tratamento adequado ao lixo e recuperação da qualidade das águas das bacias hidrográficas do Estado. Minas também se destaca com a instalação da Câmara de Energia e Mudanças Climáticas e com a Lei Estadual de Resíduos Sólidos, considerada um marco legal no Brasil.

“Minas também inovou ao lançar, no ano passado, o primeiro Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa, mapeando os principais segmentos produtivos, de acordo com a metodologia sugerida pelo Painel Intergovernamental de Mudança do Clima. E estamos decididamente empenhados em tornar as fontes de energia limpa cada vez mais dominantes em nossa matriz energética, substituindo a energia produzida a partir de combustíveis fósseis”, garantiu o governador.

Aécio Neves disse ainda esperar que mais iniciativas com relação à redução na emissão de gases sejam adotadas no Brasil, por iniciativa do governo federal.

“Manifesto a minha expectativa de que o governo federal assuma diante do mundo e de todos os brasileiros uma postura mais decidida, mais firme, do tamanho do nosso país, da dignidade dos brasileiros e da nossa responsabilidade. Diria que não podemos permitir que, em pleno século XXI, o desmatamento e as queimadas respondam por percentuais tão altos das emissões de gases de efeito estufa em nosso país”, cobrou o governador.

Encontro

Para o presidente do State of the World Forum, Jim Garrison, a adesão de governos municipais, estaduais e federais à proposta de reduzir em 80% as emissões até 2020, e não mais até 2050, é fundamental para evitar o aumento na temperatura média do planeta.

“Essa é uma oportunidade para cientistas e ambientalistas olharem para o problema porque 2050 será muito tarde. O que nós precisamos agora são de lideranças climáticas em toda família, comunidade, cidade, empresa. Somos todos responsáveis pelo aquecimento global”, disse Garrison, em seu pronunciamento.

Entre as propostas defendidas pela ONG estão a redução da dependência dos combustíveis fósseis, implementação de eficiência energética, criação e utilização de tecnologias limpas, desenvolvimento de energias renováveis, limpeza dos sistemas naturais, criação de estilos de vida sustentáveis e criação de uma cultura de crescimento sustentável.

No Brasil, uma campanha de educação pública sobre aquecimento global começa a ser veiculada pelas Organizações Globo. Durante a abertura desta terça-feira, o vice-presidente das Organizações Globo e presidente da Fundação Roberto Marinho, José Roberto Marinho, apresentou as peças que serão veiculadas.

Performance

Durante a abertura da conferência, os alunos do Valores de Minas, programa doServiço Voluntário de Assistência Social (Servas), apresentaram a performance “Artigo 56”. O nome do espetáculo é uma referência ao documento do ano de 1829, da Câmara Municipal de Mariana, que decretava pena de oito dias de cadeia e pagamento de 6.000 réis para quem queimasse campos, matas e florestas.

A apresentação mesclou dança, teatro e música ao vivo. O figurino e o cenário foram confeccionados nas próprias oficinas do Valores. Os alunos participaram ativamente do projeto, já que o programa trabalha com laboratórios coletivos de criação.

O Valores de Minas foi criado em 2005 para oferecer a jovens mineiros oportunidades de crescimento por meio de oficinas artístico-culturais de teatro, circo, dança, música e artes plásticas e recebe, a cada ano, centenas de estudantes. O Valores de Minas já formou 1.950 pessoas, entre alunos, multiplicadores, professores de arte da rede estadual e ex-alunos que fizeram o curso de extensão.

As atividades do Valores de Minas acontecem no Espaço Plug Minas, um centro de formação e experimentação digital onde estudantes das diversas escolas da rede pública do estado, aprendem a lidar com os mais variados aspectos da tecnologia e da cultura digital.

Também participaram da abertura a vice-prefeitura de Londres, Nicki Gavron, o embaixador extraordinário do Brasil para Mudanças Climáticas, Sérgio Serra, o coordenador do Egito na ONU para o Programa Global de Facilitação para as questões do Meio Ambiente, Mounir Tabet, o presidente do Instituto Ethos, Ricardo Young, o secretário de Estado de Meio Ambiente, José Carlos Carvalhoe o prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda.

05/08/2009 Posted by | Meio Ambiente, Responsabilidade Social | , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário