Minas Sustentável

Meio Ambiente, cidades sustentáveis

Mineirão inaugura usina solar

Mineirão é o primeiro estádio da Copa de 2014 a inaugurar usina solar. Toda energia gerada será injetada na rede de distribuição da Cemig

Governo de Minas: Projeto Minas Solar

Fonte: Agência Minas
Mineirão inaugura usina solarProjeto em parceria com a empresa Minas Arena ressalta proposta sustentável do estádio; placas fotovoltaicas produzirão energia suficiente para 900 casas

Mineirão é o primeiro estádio da Copa do Mundo de 2014 a ter uma usina solar. O Governo de Minas e a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) promoveram a cerimônia de entrega da Usina Solar Fotovoltaica (USF) do estádio nesta sexta-feira (17). O empreendimento foi financiado em 80% com fundos do Banco de Desenvolvimento da Alemanha, Kreditanstalt für Wiederaufbau (KfW). O evento faz parte das comemorações do Ano da Alemanha no Brasil.

A USF Mineirão tem uma potência instalada de 1,42 MWp, com cerca de 6.000 módulos fotovoltaicos. Toda a energia gerada será injetada na rede de distribuição da Cemig por meio da subestação de alimentação do estádio, sendo que 10% vai retornar à Minas Arena e será utilizada dentro do Mineirão. A energia produzida será capaz de atender, aproximadamente, 900 residências de médio porte.

Já a implantação da USF Mineirinho, que terá uma potência de 1,1 MWp, está em processo de elaboração de edital. Os empreendimentos fazem parte do Projeto Minas Solar 2014 da Cemig. A iniciativa de se instalar uma central geradora de energia a partir dos raios do sol no Mineirão e no Mineirinho foi inspirada nos estádios de Freiburg, considerada a capital solar da Alemanha, de Berna, na Suíça, e nos estádios solares construídos para a Eurocopa 2008.

“Em um país como o nosso, com uma cultura e um futebol alegres e contagiantes, nada mais natural que as grandes arenas esportivas sejam aparelhadas com usinas solares, como estamos fazendo no Mineirão. Além disso, pretendemos estender esse projeto a outros estádios e ginásios do Estado”, destaca o presidente da Cemig, Djalma Bastos de Morais, que também ressalta o compromisso da Companhia com os seus três principais pilares: sustentabilidade econômica, ambiental e social.

“A USF Mineirão deverá estar operando comercialmente na Copa das Confederações, em junho deste ano, evento que antecede a Copa do Mundo de 2014”, explica o coordenador Alexandre Heringer Lisboa. “O projeto visa também promover a eficiência energética nos estádios mineiros”, acrescenta Alexandre.

A usina começou a ser montada em dezembro do ano passado, com os trabalhos de preparação e impermeabilização da cobertura para a montagem das estruturas metálicas de suporte das placas fotovoltaicas. A USF contribuirá para que o Mineirão seja reconhecido como uma edificação sustentável e obtenha a certificação de Green Building e também para consolidar a posição da Cemig como empresa sustentável e ambientalmente correta.

“A instalação da usina solar do Mineirão honra um calendário de ações sustentáveis implementadas na obra de modernização do estádio desde as primeiras demolições até hoje. Cerca de 90% dos resíduos sólidos gerados com a obra, por exemplo, tiveram destinação sócio-ambientais responsáveis, como a terra, o metal  e o concreto. É um privilégio ter em funcionamento a primeira usina solar dos estádios da Copa de 2014”, enfatiza o secretário de Estado Extraordinário da Copa (Secopa), Tiago Lacerda.

“A inauguração da usina é motivo de muito orgulho, pois é fruto de muito trabalho e dedicação de todos envolvidos na instalação”, afirma o presidente da Minas Arena, Ricardo Barra.

Ações sustentáveis

Durante a obra, cerca de 75.000 m³ de concreto foram britados e reutilizados para pavimentação de ruas de municípios vizinhos. Cerca de 250.000 m³ de terra foram aproveitadas em recuperação de áreas degradadas em cavas de mineradoras na Região Metropolitana e em outras obras do Estado.

Mais de 50 mil cadeiras foram doadas para ginásios e estádios do interior do Estado e toda a sucata metálica foi destinada para usinas recicladoras. Estima-se que 18 mil metros quadrados de grama foram replantados no Plug Minas, na capital, com economia de R$ 130 mil para o Estado.

Além disso, foram implantados lava rodas para limpeza dos caminhões na saída da obra para evitar sujeira no entorno do estádio. O equipamento possui um sistema ecoeficiente, que reaproveita a água por meio de caixas de decantação e bombas, com economia média de 18 mil litros de água por dia.

Investimentos

Para a Copa de 2014, a Cemig vai investir cerca de R$ 500 milhões no reforço da rede elétrica naRegião Metropolitana de Belo Horizonte. A região passará a contar com novas linhas de transmissão e seis novas subestações, entre as quais a subestação Serra Verde, que já está pronta.

A Companhia investirá, aproximadamente, R$ 28 milhões em empreendimentos de energia solar fotovoltaica dentro do Projeto Minas Solar 2014, como os estádios Mineirão  Mineirinho. As susestações Maracanã e Pampulha receberão novos equipamentos e serão ligadas ao Mineirão por mais de 11 quilômetros de rede subterrânea.

11/06/2013 Posted by | Esporte | , , , , , , | Deixe um comentário

Governo Federal não faz a sua parte: Aécio Neves critica omissão do governo federal em relação à preparação para a Copa

 

Aécio Neves critica omissão do governo federal em relação à preparação para a Copa

Fonte: Assessoria de Imprensa do senador Aécio Neves

Para senador, estados e municípios têm se empenhado mais na construção de estádios e realização de obras de infraestrutura  

O senador Aécio Neves alertou (18-05-11) que o governo federal não tem cumprido o papel que se espera dele na preparação da Copa do Mundo de 2014. Na avaliação do senador, enquanto estados e municípios têm se empenhado em cumprir as metas estabelecidas para as obras previstas para a copa, o governo federal não vem fazendo sua parte.

“O que percebo é que há uma certa transferência da responsabilidade pelos investimentos aos estados e municípios em uma grande omissão do governo federal. Em nenhum momento em que se realizou uma Copa do Mundo, em qualquer país do mundo, o governo federal desses países deixou de ser o condutor dos investimentos e do planejamento. Portanto, há sim, hoje, uma lacuna muito grande no que diz respeito aos investimentos federais. O governo federal tem que assumir, além do seu discurso, a sua responsabilidade”, afirmou Aécio Neves em entrevista após participar da apresentação dos preparativos para a Copa em Minas Gerais, e em Belo Horizonte em particular, na Sub-comissão Permanente de Acompanhamento da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016.

Nessa sessão, falaram também os representantes do Governo de Minas, Sérgio Barroso, e da Prefeitura de Belo Horizonte, Stela Moura. Eles apresentaram o andamento de várias obras no estado e na capital, todas dentro dos prazos previstos.

Aécio Neves citou como exemplo a falta de apoio do governo federal a Minas Gerais, sobretudo em relação à infraestrutura. O senador informou que nada de concreto foi definido sobre o aeroporto de Confins e o metrô de Belo Horizonte, ambos de responsabilidade da União.

“Houve o anúncio de uma possível concessão do aeroporto, que é o caminho natural e correto já que o estado, o poder público não tem condição de fazer solitariamente, ele só, os investimentos necessários. Havíamos proposto isso há mais de quatro anos atrás. Não houve qualquer ação do governo federal e agora houve a suspensão do anúncio em relação a esse aeroporto. Portanto é um problema gravíssimo, já que o aeroporto, hoje, está absolutamente saturado. Em relação ao metrô de Belo Horizonte, absolutamente necessário, como é necessário o de Salvador, o de Fortaleza, o de Recife, o de Cuiabá e de várias outras capitais, mais uma vez, onde está a atenção do governo federal?”, questionou Aécio Neves.

Também em relação à segurança, o senador criticou a falta de ação do governo federal, considerando que essa é mais uma demonstração de que o empenho da União tem sido muito menor do que o dos estados e municípios.

“Em relação à segurança pública, qual é o investimento que o governo federal anuncia fazer? Qual o planejamento? Quais as iniciativas que tomaram junto aos governos dos estados? Quero ouvi-las, não assistimos ainda. Então fica aqui, muito mais do que um discurso oposicionista, uma cobrança até para que isso possa de alguma forma estimular o governo federal a assumir a sua responsabilidade. Então fica aqui um alerta e uma constatação. Os estados e municípios vão muito bem, obrigado, na construção dos estádios e na infraestrutura que lhes cabe. Em relação ao governo federal, estamos ainda muito atrasados”, disse o senador.

19/05/2011 Posted by | Aécio Cunha, Aécio Neves, politica, Senador Aécio Neves | , , , , , , , , | Deixe um comentário