Minas Sustentável

Meio Ambiente, cidades sustentáveis

Turismo assegura sustentabilidade ao Parque Estadual do Ibitipoca

Aberto ao público desde 1973, o Parque Estadual do Ibitipoca, na Zona da Mata, é a unidade de conservação estadual mais visitada e a única que é autossustentável devido ao fluxo turístico. Em 2010 recebeu 51.384 visitantes, que proporcionaram uma arrecadação de R$ 526 mil, com a cobrança de entrada, taxa de camping e estacionamento.

A unidade de conservação (UC) é autossuficiente desde 2009, quando recebeu 46.877 visitantes, que geraram uma receita de R$ 415 mil. Este valor foi suficiente para pagar o salário de 13 funcionários e o consumo de gasolina e energia. “Este ano, com certeza, vamos ultrapassar R$ 600 mil”, assegura o gerente do parque, João Carlos Lima de Oliveira.

O mês de julho se sobressai, com uma média de cinco mil visitantes nos últimos quatro anos, patamar ultrapassado em 2009 com mais de sete mil visitantes, número superior à visitação anual na maioria dos outros parques estaduais. A ausência de chuvas e férias escolares são os dois fatores que explicam este desempenho.

De 2006 a 2010 houve um crescimento de 57% na visitação. O fluxo de turistas vem aumentando de forma constante a cada ano, após a adoção da limitação de 800 visitantes/dia nos finais de semana e feriados prolongados e 300 visitantes/dia nos dias de semana. A medida foi necessária em função do excesso de turistas, o que poderia provocar impactos ambientais negativos na UC.

De 2009 para 2010, o número de pessoas que estiveram em Ibitipoca subiu de 46.877 para 51.384. No final de 2009 foi concluída, pela Prefeitura de Lima Duarte, o calçamento de 10 km no trecho mais difícil, na subida da serra. E o Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER/MG) está finalizando o projeto para outros 17 km e assim concluir a pavimentação do acesso ao parque. “A obra de melhoria no acesso contribuiu muito para o aumento do turismo no parque, antes somente carro tracionado chegava, hoje qualquer veículo consegue subir”, explica João Carlos.

O gerente da UC elenca ainda outros fatores que fazem do Parque Estadual do Ibitipoca um verdadeiro sucesso de bilheteria: ampla divulgação nos estados do Rio de Janeiro e São Paulo; proximidade dos grandes centros urbanos, está distante menos de 300 km do Rio, 350 de Belo Horizonte e 450 de São Paulo e oferece uma gama de atrativos naturais próximos. “Um dia no parque dá para conhecer muita coisa. Em três dias o visitante consegue conhecer quase toda a unidade” afirma João Carlos.

O secretário de Estado de Turismo, Agostinho Patrus, comemora o aumento do fluxo de visitação no parque, reafirmando a vitalidade do turismo de natureza e aventura em Minas Gerais. Patrus lembrou que o Governo de Minas tem feito significativos investimentos na infraestrutura turística do Estado, na revitalização das unidades de conservação e possibilitando acesso terrestre e aéreo para todas as regiões de Minas Gerais. “A prática do turismo em áreas protegidas é uma tendência internacional. E Minas oferece a possibilidade de caminhada por nossas montanhas, em uma paisagem natural maravilhosa. Hoje afirmamos que as atividades de natureza e aventura já são um produto turístico pronto e disponível para o público nacional e estrangeiro”, disse.

O Parque

O Parque Estadual do Ibitipoca está localizado na Zona da Mata, nos municípios de Lima Duarte e Santa Rita do Ibitipoca. Ocupa o alto da Serra do Ibitipoca, uma extensão da Serra da Mantiqueira. Com área de 1.488 hectares, serve de divisor entre as bacias dos rios Grande e Paraíba do Sul. Abriga mirantes, grutas, praias, piscinas naturais, cachoeiras e picos. A fauna e flora é rica, com a presença de espécies ameaçadas de extinção, como o lobo guará, tucano, onça parda, orquídeas e bromélias

Criado em 4 de julho de 1973, possui casa de hóspedes; camping com capacidade para 15 barracas; alojamentos e casa para pesquisadores, com capacidade para 20 pessoas no total; centro de visitantes com exposição interativa e restaurante com capacidade para 55 pessoas.

Anúncios

18/02/2011 Posted by | Turismo | , , , , | Deixe um comentário

Parque Estadual do Ibitipoca realiza encontro para discutir a sustentabilidade da Reservas Particulares do Patrimônio Natural

A importância da criação de reservas particulares para proteção da biodiversidade é tema de encontro que será realizado noParque Estadual do Ibitipoca, na região da Zona da Mata mineira, entre os dias 30 de abril e 2 de maio. O Encontro é promovido pela Associação deReservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs) e Reservas Privadas de Minas Gerais com apoio do Instituto Estadual de Florestas (IEF).

O tema principal do evento é a discussão sobre a sustentabilidade econômica das RPPNs. Um dos aspectos abordados será a elaboração de uma proposta de implantação de instrumentos de repasse, pelos municípios, de parte dos recursos provenientes do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) referente às unidades de conservação da natureza. A existência de RPPN, legalmente constituída, dá direito ao município onde está localizada a reserva de receber recursos do imposto e a Associação.

A RPPN é uma categoria de unidade de conservação privada. Certificados o interesse público e a importância da diversidade biológica existente no local, o proprietário assina com o IEF um termo de compromisso protegendo a área. Na unidade é possível a realização de atividades como pesquisa científica, turismo e de educação ambiental. O IEF presta orientação técnica e científica para a criação e gestão das Reservas.

O analista ambiental do IEF, Élcio Rogério de Castro Mello, observa que a iniciativa de criação de uma RPPN é uma demonstração do compromisso do proprietário com a proteção da biodiversidade. “É um afirmação do respeito pela vida e pelas futuras gerações”, afirma.

Atualmente, existem 229 RPPNs em Minas Gerais que correspondem a cerca de 117 mil hectares. Do total, 147 unidades são estaduais correspondendo a aproximadamente 84 mil hectares.

30/04/2010 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente | , , , , , , | Deixe um comentário