Minas Sustentável

Meio Ambiente, cidades sustentáveis

Governo Aécio Neves com apoio do Centro Mineiro de Referência em Resíduos educa jovens para questões da sustentabilidade

Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR) capacitou cerca de mil jovens em diversos cursos e oficinas oferecidos gratuitamente à população em 2009.  Os cursos formaram jovens para atuar no mercado de trabalho no gerenciamento de resíduos, inclusive da construção civil, na montagem de computadores a partir de equipamentos considerados obsoletos, promoveu a inclusão digital e as oficinas da Cozinha Experimental e da Cozinha Brasil disseminaram informações sobre o aproveitamento integral de alimentos e novos hábitos alimentares dentro dos princípios do consumo consciente.

Para a realização do Curso Técnico em Meio Ambiente, o CMRR fez parceria com a Fundação de Educação para o Trabalho de Minas Gerais (Utramig).  Foram 1.383 jovens inscritos para as 70 vagas oferecidas e a formatura da primeira turma está prevista para agosto. O objetivo do curso é promover a melhoria da qualidade de vida, a geração de novas oportunidades de trabalho e renda, o estímulo, a reflexão e a incorporação de valores e atitudes ambientalmente corretas, além da criação de iniciativas voltadas para a pesquisa, ensino e extensão em resíduos sólidos.

Com uma carga horária de 1.300 horas/aula, sendo 900 horas em sala e 400 horas de estágio curricular supervisionado, o curso integra o Programa de Educação Profissional (PEP) desenvolvido peloGoverno Aécio Neves, que busca atender a necessidade do mercado de trabalho por mão de obra qualificada. Há previsão de início de nova turma ainda este ano.

O Curso de Gestão e Negócios de Resíduos, que aconteceu no CMRR durante o primeiro semestre de 2009, possibilita o engajamento de jovens na atividade de gestão de resíduos ou de empreendedor capaz de criar seu próprio negócio, atuando com reciclagem e/ou reaproveitamento de resíduos. Por meio dessa iniciativa, o CMRR busca potencializar o papel do jovem na melhoria da qualidade socioambiental do Estado. Em 2009, 60 alunos foram capacitados e o curso já formou, desde 2007, 339 alunos.

Telecentro Comunitário

Os telecentros são espaços públicos providos de computadores conectados à internet em banda larga, onde são realizadas atividades, por meio do uso das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs), com o objetivo de promover a inclusão digital e social das comunidades atendidas.

O programa visa contribuir prioritariamente, com a formação cidadã de jovens em situação de risco social ou em conflito com a lei, por meio de um conjunto de atividades de educação ambiental, inclusão digital e de geração de emprego e renda, denominado Programa Oportunidade Legal (Olé).  Foram oferecidas vinte vagas, dez pela manhã, outras dez a tarde, e todos os alunos foram encaminhados pela Vara Infracional do Tribunal de Justiça de Minas Gerais. Após dois meses de curso, treze jovens receberam seus certificados. Com o apoio das parcerias estabelecidas pelo programa, cinco jovens serão contratados pela Associação Municipal de Assistência Social (Amas) e dois pela Associação Profissionalizante do Menor (Assprom). Novas turmas estão sendo estruturadas pelo Tribunal de Justiça para serem desenvolvidas no Telecentro do CMRR este ano.

Construção Civil

A meta do Curso de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil é transformar resíduos gerados nas construções em oportunidades de trabalho e renda. O curso aborda os impactos da construção civil nos aspectos econômico, social e ambiental; as regulamentações mais atuais que indicam os caminhos básicos para a correta gestão de resíduos da construção civil; as etapas da boa gestão de resíduos; a classificação dos tipos de resíduos gerados pelas obras; os respectivos tratamentos ou disposições indicados pelas normas técnicas e identifica os principais itens constituintes de um Plano de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil (PGRCC). Foram 80 vagas divididas em duas turmas. Os foram realizados entre os meses de outubro e novembro e as aulas totalizaram uma carga horária de 40 horas/aula, capacitando 45 alunos.

3RsPCs

O 3RsPCs é voltado para alunos de escolas públicas, com idade entre 16 a 29 anos. Os jovens aprendem sobre hardware enquanto recondicionam máquinas obsoletas que são doadas visando à ampliação da inclusão digital. No primeiro semestre de 2009, 36 alunos concluíram o curso de manutenção, montagem e recondicionamento de computadores. No segundo semestre, 28 jovens se formaram. No total, o curso já formou 99 alunos e a maioria deles já foi inserida no mercado de trabalho.

Para 2010, o curso será oferecido a 80 jovens, em quatro turmas,duas no primeiro semestre e duas no segundo, e haverá o Curso Prático de Desmontagem e Triagem de Resíduos Eletroeletrônicos, para catadores de materiais recicláveis. Serão duas turmas ao longo do ano, uma por semestre, totalizando 20 vagas. Os dois cursos farão parte do Projeto Piloto GR3E – Gestão de Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrônicos (REEE), que será implementado no CMRR este ano.

Cozinha Experimental

A Cozinha Experimental realizou 28 oficinas com 732 pessoas em 2009. A Cozinha Experimental do CMRR é um espaço criado para estimular a mudança de comportamento e dos hábitos alimentares, dentro dos princípios do consumo consciente e combate ao desperdício. O destaque foi o projeto Chefs do Amanhã, parceria das Centrais de Abastecimento de Minas Gerais (Ceasa), Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), CMRR e da Prodal Banco de Alimentos, que se uniram para desenvolver cursos de capacitação para jovens, com enfoque no repasse de dicas de alimentação saudável e receitas econômicas e nutritivas. Foram 333 jovens beneficiados pelo programa. O número superou as expectativas que era de beneficiar 300 jovens até o final deste ano 2009.

Outra oficina que com grande público foi a Cozinha Brasil. Com o objetivo de elevar a qualidade de vida, visando uma alimentação de alto valor nutricional e baixo custo, foram realizadas sete oficinas e 209 pessoas foram atendidas. A cozinha também ofereceu capacitação aos Amigos da Escola e às cantineiras de escolas públicas.

Anúncios

08/01/2010 Posted by | Ação Sustentável, Cidadania, Meio Ambiente, Responsabilidade Social | , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Governo Aécio discute em seminário transformação de resíduos da construção civil em matéria prima

O Governo Aécio Neves por meio do Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR) e a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) realizaram quarta-feira (11) o III Workshop de Simbiose Industrial. O foco foram as empresas do setor de construção civil e o objetivo foi promover a troca de informações e propiciar oportunidades de negócios entre essas empresas.

A simbiose industrial é a troca física de materiais e serviços e ainda de conhecimento, que visa conectar indústrias tradicionalmente separadas. “O resíduo é tido como matéria prima, recurso”, destaca a representante do Programa de Simbiose Industrial na Inglaterra, Beatriz Luz.

O workshop faz parte do Programa Mineiro de Simbiose Industrial (PMSI), idealizado pela Fiemg em parceria com a Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam) por meio do CMRR. O programa tem financiamento do Departamento para o Meio Ambiente, Alimentos e Assuntos Rurais (Defra), do Governo da Assembleia do País de Gales, do Executivo Escocês e da Invest da Irlanda do Norte.

A diretora executiva do CMRR, Denise Bruschi, fez a abertura do evento e destacou a importância do espaço para discussão de avanços na gestão de resíduos. “É importante possibilitarmos oportunidades para realização de negócios que visam o intercâmbio de recursos e resíduos entre empresas, como as que reunimos hoje. O CMRR é uma ação inovadora que busca promover a captação, avaliação e divulgação de iniciativas nas áreas técnica e social que contribuam para a gestão de resíduos”.

Participaram do encontro 28 pessoas, representando 26 empresas. Como resultado inicial deste workshop foram contabilizadas 120 oportunidades de sinergia entre as empresas participantes.

O coordenador do Programa em Minas, Eduardo Guimarães, ressaltou que “o custo para o empreendedor fazer parte do programa é zero e as vantagens são muitas, como inovação tecnológica e redução de custos de produção”. Ainda segundo Guimarães, o PMSI em Minas já conta com 86 empresas e 169 sinergias identificadas.

As regiões trabalhadas nessa experiência são a Alto São Francisco e Centro-Oeste. O PMSI foi lançado em março de 2009 e tem previsão de término em março de 2010, funcionando como um projeto piloto.

13/11/2009 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Governo Aécio elabora proposta para gerenciamento de áreas contaminas

A versão final da proposta que estabelece as diretrizes e procedimentos para a proteção da qualidade do solo e gerenciamento ambiental de áreas contaminadas por substâncias químicas foi tema de Workshop realizado, nessa terça (27), pelo Sistema Estadual de Meio Ambiente (Sisema). O documento detalha as ações de diagnóstico, intervenção, monitoramento das áreas bem como de sua reabilitação.

No evento, representantes dos Conselhos Estaduais de Política Ambiental (Copam) e de Recursos Hídricos (CERH), de órgãos do Governo Aécio Neves e da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg) puderam esclarecer dúvidas sobre o Programa de Gestão de Áreas Contaminadas de Minas Gerais, que será criado após finalização e aprovação da norma.

A elaboração de uma legislação específica para a gestão de áreas contaminadas também está em discussão no Conselho Nacional de Meio Ambiente. Segundo a diretora de Qualidade e Gestão Ambiental da Fundação Estadual de Meio Ambiente (Feam), Zuleika Chiacchio Torquetti, a discussão de regras específicas em Minas Gerais antecipa o atendimento às futuras exigências da legislação federal como adoção de Valores de Referência de Qualidade (VQRs) de acordo com as características do solo de cada Estado.

“Os valores de referência são necessários para indicar as ações que devem ser adotadas em áreas suspeitas de contaminação”, explica Zuleika Torquetti. Inicialmente serão utilizados os valores de referência adotados por São Paulo que são os únicos existentes no Brasil. “Estabelecer um valor de referência é uma das tarefas mais difíceis já que Minas possui uma grande diversidade de tipos de solos”, afirma Torquetti.

A diretora da Feam explica que o Mapa dos Solos do Estado está sendo elaborado pela Feam e Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais (Cetec). Em conjunto com outros estudos, como os Inventários de Resíduos Sólidos Industriais e da Mineração e dos dados obtidos com o cadastramento de áreas suspeitas, servirá de base para definição de critérios específicos para Minas. O cadastramento de áreas suspeitas e contaminadas por substâncias químicas está sendo realizado desde 2008 e pode ser feito pela internet, no endereçohttp://sisema.meioambiente.mg.gov.br/

A proposta do texto da Deliberação Normativa começou a ser elaborada em março de 2009, quando foi montado um Grupo de Trabalho reunindo representantes de órgão públicos e privados. A engenheira química do Ministério Público, Paula Santana Diniz, que faz parte do Grupo de Trabalho, observa que a definição de regras claras é essencial para a tomada de ações eficientes. “A maior preocupação é garantir a saúde da população e preservar o meio ambiente.”, observa.

Após finalizada, a proposta da Deliberação será apresentada à Câmara Normativa Recursal do Copam. Se aprovada, será submetida à avaliação dos plenários do Copam e do CERH para publicação de norma conjunta.

29/10/2009 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Governo Aécio vai oferecer capacitação para catadores de material reciclado

Cerca de 300 catadores mineiros serão beneficiados com cursos de qualificação social e profissional, voltados para as cadeias produtivas de materiais recicláveis. Os cursos, oferecidos por meio do Projeto Usina do Trabalho, vão beneficiar, inicialmente, 16 municípios e 320 catadores. Os interessados devem procurar a associação ou cooperativa, na qual estejam inscritos para serem encaminhados e realizarem a inscrição em uma das unidades do Sistema Nacional de Emprego (Sine). A previsão é que as aulas comecem em outubro.

Os cursos abordarão os temas: saúde e segurança no trabalho; meio ambiente e sustentabilidade; direitos humanos, sociais e trabalhistas; relações humanas e interpessoais; comunicação; noções de trânsito; orientações sobre a Lei Estadual de Resíduos Sólidos; associativismo e cooperativismo; economia solidária e o trabalho do catador; tecnologia social da reciclagem; logística da coleta seletiva, gestão e logística de um empreendimento produtivo.

A previsão é que a ação seja expandida, em 2010, para outras cidades do interior e mais de 1000 catadores sejam qualificados.

Usina do Trabalho

Criado em 2008, o Projeto Usina do Trabalho, coordenado pelo Governo Aécio Neves por meio Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), tem como objetivo melhorar a qualidade de vida de comunidades carentes e inserir pessoas desempregadas no mercado de trabalho. O investimento para este ano é de R$ 10 milhões. Até agora, aproximadamente quatro mil trabalhadores foram qualificados em 50 profissões diferentes, entre elas pedreiro, bombeiro, eletricista, pintor e costureira.

Cidades beneficiadas

Arcos – ARA (Associação de Catadores de Materiais Recicláveis Arcoense), rua Prof. Francisco Fernandes, nº 50, bairro Niterói.

Araguari – ASCAMARA (Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Araguari), rua 17, nº 100, bairro Independência.

Uberaba – COOPERU (Cooperativa dos Recicladores Autônomos de Resíduos Sólidos e Mat. Recicláveis de Uberaba), av. Francisco Podboy, nº 2055, bairro Distrito Industrial.

Araxá – RECICLARA (Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Araxá) – Av. Amazonas, nº 2.325, bairro Amazonas.

Betim – ASCAVAP (Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis do Vale do Paraopeba), Av. Inhotim, nº 641, baiirro Progresso 2.

Contagem – ASMAC (Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Contagem), rua Três, nº 85, bairro Presidente Kennedy e rua Paranaguá, nº 264, bairro Novo Riacho.

Governador Valadares – ASCANAVI (Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis Natureza Viva), BR-116, Km 415, s/n, bairro Turmalina.

Ipatinga – ASCARI (Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Ipatinga), rua Macabeus, nº 1042, bairro Canaã

Itaúna – COOPERT (Cooperativa de Reciclagem e Trabalho Ltda), rua João Moreira de Carvalho, nº 1.460, bairro Parque Jardim.

ASCARUNA (Associação dos Catadores de Itaúna), av. Dona Cota, nº 1046, bairro Centro.

Mariana – CAMAR (Centro de Aproveitamento de Materiais Recicláveis), rua: Rubi, nº 127, bairro Colina.

Ouro Preto – ACMAR (Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis da Rancharia), Rodovia Rodrigo Melo Franco de Andrade, bairro Nossa Senhora do Carmo.

Pará de Minas – ASCAMP (Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Pará de Minas), rua Nova Serrana, nº 1385, bairro Ozanã.

Papagaios – ASCAMRRP (Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Papagaios), avenida Coronel Diogo, nº 1073, bairro Nossa Senhora de Lourdes.

Sete Lagoas – ACMR (Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Sete Lagoas), rua Alcides Fonseca, s/n, bairro Henrique Neri.

Teófilo Otoni – ASCANOVI (Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis Nova Vida), rua Engenheiro Celso Murta, nº 249, bairro Olga Prates Corrêa.

Timóteo – ASCATI (Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Timóteo), rua 61, nº 601, bairro Alegre.

30/09/2009 Posted by | Sem categoria | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

8º Festival Lixo e Cidadania discute desenvolvimento urbano e justiça social – evento é coordenado pelo Governo Aécio Neves

secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Agostinho Patrús Filho, e o ministro de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Patrus Ananias, participaram  quarta-feira (23) do painel “Desenvolvimento urbano e justiça social”, no 8º Festival Lixo e Cidadania. O tema foi abordado sob os aspectos governamentais e da sociedade civil.

Para debater a visão governamental, além do ministro e do secretário de Estado, participaram o vice-presidente da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), Gastão Vilela França Filho, e a pesquisadora da Universidade de São Paulo Gina Rizpah Besen. Já a opinião da sociedade civil foi exposta pela representante da Women in Informal Employment Globalizing and Organizing (WIEGO) da África do Sul, Melanie Samson, pelo representante do Movimento Nacional da População de Rua, Samuel Rodrigues, e da Associação dos Catadores de Papel, Papelão e Material Reaproveitável (Asmare), Dona Geralda.

Durante o debate sobre a visão governamental, o ministro Patrus Ananias disse que já existem avanços significativos para a categoria. ”Hoje, os catadores são reconhecidos como profissionais e existe um conjunto de ações para promover a autonomia e o desenvolvimento social de cada um deles e de suas famílias. Trabalhamos com a integração de políticas como o Bolsa Família, ações de geração de emprego e renda e de educação. Ainda há muita estrada, mas estamos caminhando”, ressaltou.

Desenvolver ações de forma integrada também é o objetivo do Governo Aécio Neves. O secretário Agostinho Patrús Filho destacou que o Governo do Estado tem a intenção de fazer um trabalho conjunto com os governos municipais e federal. “É preciso deixar as questões partidárias de lado e voltar os olhos para este público. Trata-se de um público vulnerável que precisa de uma efetiva inserção produtiva”.

Para realizar esta inserção produtiva, o governador Aécio Neves lançou, na última segunda-feira (21), junto com secretário Agostinho Patrús Filho, o Plano Estadual de Qualificação Social e Profissional para Catadores de Materiais Recicláveis durante a abertura do festival. “Iniciamos o primeiro curso voltado especificamente para os catadores, com o objetivo de qualificá-los. No primeiro momento, 16 municípios devem ser beneficiados, inclusive no interior. Para a segunda etapa, mais 100 cidades deverão ser contempladas”, enfatizou o secretário.

Qualificação

Os cursos de qualificação serão realizados por meio do Projeto Usina do Trabalho. As aulas apresentam um conteúdo programático, dividido em módulos de saúde e segurança no trabalho; meio ambiente e sustentabilidade; direitos humanos, sociais e trabalhistas; relações humanas e interpessoais; comunicação; noções de trânsito; orientações sobre a Lei Estadual de Resíduos Sólidos; associativismo e cooperativismo; economia solidária e o trabalho do catador; tecnologia social da reciclagem; logística da coleta seletiva e gestão e logística de um empreendimento produtivo.

A qualificação vai beneficiar, inicialmente, cerca de 320 catadores. Os interessados em participar de algum dos cursos devem procurar a associação ou cooperativa na qual é inscrito (nas cidades abaixo listadas) para posterior encaminhamento e realização da inscrição no Sine. A previsão é que o curso comece em outubro.

Visão da sociedade

Segundo Samuel Rodrigues, do Movimento Nacional da População de Rua, o tema do painel propõe duas questões que, a princípio, são antagônicas. “Quando fui convidado para participar deste debate, compreendi que o maior desafio que temos é juntar o desenvolvimento urbano com a justiça social. Tenho certeza que este encontro é possível, com o apoio de nossos governantes e com o nosso conhecimento da causa. E isto está acontecendo hoje neste debate”.

Cidades beneficiadas

– Arcos – ARA – Associação de Catadores de Materiais Recicláveis Arcoense – Rua Prof. Francisco Fernandes, 50, Bairro Niterói.

– Araguari – ASCAMARA – Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Araguari – Rua 17, 100. Bairro Independência. Uberaba

– COOPERU – Cooperativa dos Recicladores Autônomos de Resíduos Sólidos e Mat. Recicláveis de Uberaba – Av. Francisco Podboy, 2055. Bairro Distrito Industrial.

– Araxá – RECICLARA – Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Araxá – Av. Amazonas, 2.325 – Bairro Amazonas.

– Betim – ASCAVAP – Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis do Vale do Paraopeba – Av. Inhotim, 641. Baiirro Progresso 2.

– Contagem – ASMAC – Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Contagem. R. Três, 85, B. Presidente Kennedy e R. Paranaguá, 264, B. Novo Riacho.

– Governador Valadares – ASCANAVI – Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis Natureza Viva – BR 116, Km 415, s/n, Bairro Turmalina.

– Ipatinga – ASCARI – Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Ipatinga – Rua Macabeus, 1042. Bairro Canaã

– Itaúna – COOPERT – Cooperativa de Reciclagem e Trabalho Ltda – Rua João Moreira de Carvalho, 1.460. Bairro Parque Jardim.

– ASCARUNA – Associação dos Catadores de Itaúna – Av. Dona Cota, 1046. Bairro Centro.

– Mariana – CAMAR – Centro de Aproveitamento de Materiais Recicláveis – Rua: Rubi, 127. Bairro Colina.

– Ouro Preto – ACMAR – Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis da Rancharia – Rodovia Rodrigo Melo Franco de Andrade. Bairro: Nossa Senhora do Carmo.

– Pará de Minas – ASCAMP – Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Pará de Minas – Rua Nova Serrana, 1385, Bairro Ozanã.

– Papagaios – ASCAMRRP – Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Papagaios – Avenida Coronel Diogo, 1073. Bairro Nossa Senhora de Lourdes.

– Sete Lagoas – ACMR – Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Sete Lagoas – R. Alcides Fonseca, s/n, Bairro Henrique Neri.

– Teófilo Otoni – ASCANOVI – Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis Nova Vida – Rua Engenheiro Celso Murta, 249. Bairro Olga Prates Corrêa.

– Timóteo – ASCATI – Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Timóteo – Rua 61, 601. Bairro Alegre.

24/09/2009 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente | , , , , , , , | Deixe um comentário

Governo Aécio Neves: 8º Festival Lixo e Cidadania de Belo Horizonte discute com 60 prefeituras de Minas Gerais elaboraração do Plano Estadual de Coleta Seletiva

Durante o 8º Festival Lixo e Cidadania (FLIC), que acontece de 21 a 24 de setembro, no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR), foi realizado um encontro com cerca de 60 prefeituras para construção do Plano Estadual de Coleta Seletiva, que será finalizado até o fim de 2009. Foram levantados os desafios e feitas propostas para elaboração do Plano.

Os representantes e gestores municipais trocaram experiências e discutiram os principais desafios para implantação da coleta seletiva em seus municípios. A reunião foi dirigida pela diretora-executiva do CMRR e coordenadora do programa Minas Sem Lixões, Denise Bruschi. Participaram como observadores representantes dos movimentos de catadores, do Ministério Público Estadual (MPE) e do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS).

Os problemas levantados eram em sua grande maioria comuns entre os municípios, como falta de capacitação, estrutura, recursos financeiros, necessidade de mobilização e conscientização da população, organização dos catadores, necessidade de parcerias para viabilizar o trabalho e elaboração de planos e legislações municipais para coleta seletiva.

Gilberto Chagas, do Movimento Nacional dos Catadores de Material Reciclável (MNCR) ressaltou a importância da inclusão dos catadores organizados em associações ou cooperativas na elaboração dos planos. “As prefeituras ficam dispensadas de licitação para contratar associações ou cooperativas para o trabalho da coleta seletiva, nosso trabalho sai bem mais barato se comparado às empresas que atuam no setor e ainda é uma forma de promover a geração de trabalho e renda”, explica o catador.

Para Denise Bruschi o encontro foi bastante produtivo. “Outros como este serão elaborados para que a construção do Plano Estadual de Coleta Seletiva se dê de forma participativa, por meio de uma construção coletiva”, ressalta a diretora-executiva do CMRR.

“É preciso romper com o modelo de tutela dos catadores”, afirma o secretário de Meio Ambiente do município de Barão de Cocais, Nivaldo Neves, que defende a conscientização desses agentes para que trabalhem com autonomia. Nivaldo questionou ainda a dificuldade dos pequenos municípios trabalharem no sistema de consórcios e que “é necessário buscar alternativas para esses municípios”, explica.

De acordo com o mobilizador social da equipe do CMRR, Celi Márcio Silva, existem em Minas em torno de 85 associações de catadores que têm contato com o Movimento Nacional, mas ele acredita que o número seja maior.

Até o fim de 2009 a coleta seletiva deverá estar implantada em 30 municípios, de acordo com as metas do programa Minas Sem Lixões. Até o início deste mês 17 desses municípios já estavam com a coleta implantada.

24/09/2009 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente | , , , , , , | Deixe um comentário

Tratamento de resíduos hospitalares do Governo Aécio Neves é considerado referência pela Anvisa

Fundação Ezequiel Dias (Funed) recebeu, segunda-feira (24), a visita de representantes da Coordenação Regional da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), para conhecer o sistema de gerenciamento de resíduos implantado na instituição mineira. O Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde (PGRSS) elaborado pelo Governo Aécio Neves por meio da Funed foi aprovado pela Superintendência de Limpeza Urbana (SLU) da capital e pela Vigilância Sanitária (Visa) Municipal. Desde 2001, a Fundação vem trabalhando, sob coordenação do Serviço de Gestão Ambiental (SGAmb), para definir estratégias adequadas de tratamento de resíduos biológicos, químicos, comuns e perfurocortantes, desde a geração até a disposição final.

Durante a visita, os representantes da Funasa receberam informações sobre o PGRSS da Funed, o sistema de banco de dados utilizados pelos técnicos e o funcionamento do sistema na prática. “A Fundação Ezequiel Dias desempenha papel de destaque no gerenciamento de resíduos químicos e biológicos e tem prestado um apoio importante para o nosso trabalho”, afirmou Nilce Bozzoli, responsável pelo Laboratório de Águas da Funasa.

De acordo com o engenheiro ambiental Marcos Paulo Gomes Mol, coordenador do Serviço de Gestão Ambiental da Funed, a visita de outras instituições em busca de informações e consultoria para o gerenciamento de materiais demonstra que a Fundação conquistou, mais uma vez, um diferencial como instituição de excelência. “A destinação correta dos resíduos gerados pelos laboratórios e unidades fabris é um compromisso da Funed com a sociedade. Nosso plano de gerenciamento é complexo, porque temos uma tipologia extensa de materiais, e pode servir como referência para outras entidades”, explica o engenheiro ambiental.

Na Funed, são mais de dois mil reagentes e produtos diferentes, formados durante o processo de produção de medicamentos, imunobiológicos e análises laboratoriais. A Fundação tem o objetivo de alcançar o padrão de qualidade total também na destinação de resíduos, além de atender a regulamentos técnicos relacionados ao PGRSS e ao decreto municipal nº 10.296, em 13 de julho de 2000.

25/08/2009 Posted by | Sem categoria | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Centro Mineiro de Referência em Resíduos oferece curso de qualificação em resíduos eletrônicos

Estão abertas até o dia 21 de agosto as inscrições para o Curso de Qualificação em Montagem, Manutenção e Recondicionamento de Computadores promovido pela Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam) em parceria com o Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR) e o Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), com o patrocínio da Microsoft. Podem participar jovens de 16 a 29 anos, com o Ensino Médio completo ou que estejam cursando escolas públicas estaduais e municipais de Belo Horizonte. As aulas são gratuitas, de segunda a quinta, e acontecem na sede do CMRR, no bairro Esplanada, na região Leste de Belo Horizonte. No total, serão oferecidas 40 vagas, sendo 20 no turno da manhã e 20 à tarde. 

O curso, que terá início no dia 31 de agosto, tem carga horária total de 196 horas. “No curso os alunos aprendem a trabalhar com hardware, enquanto efetivamente recondicionam máquinas consideradas obsoletas, aprendendo também noções de meio ambiente e sobre os riscos desses resíduos se mal geridos”, informa Susane Meyer, consultora do Projeto 3RsPCs – Resíduos Eletroeletrônicos. 

Para as aulas, os alunos receberão vale-transporte, material didático e alimentação. O processo seletivo ocorrerá no dia 25 de agosto, com provas de português, matemática e informática. 

Para a realização das aulas de qualificação, ministradas pela equipe do Comitê para a Democratização da Informática (CDI), serão utilizados, como matéria-prima, computadores obsoletos. Prontas para novo uso, as máquinas recondicionadas serão doadas visando à ampliação da inclusão digital. 

O curso de qualificação em Montagem, Manutenção e Recondicionamento de Computadores é uma das ações do projeto 3RsPCs – Resíduos Eletroeletrônicos, coordenado pela Feam e que tem como objetivo a busca de soluções ambientalmente adequadas para os resíduos de equipamentos eletroeletrônicos no Estado. 

Serviço: 
Curso de Qualificação em Montagem, Manutenção e Recondicionamento de Computadores 
Pré-requisitos: 
– Idade: entre 16 e 29 anos 
– Escolaridade: Ensino médio completo ou em curso em escolas públicas 
– Conhecimento básico de informática 
Inscrições: Até 21 de agosto 
Teste seletivo: 25 de agosto no CMRR. Das 8h às 12h, para candidatos à turma da manhã e de 13h30 às 17h30, para candidatos à turma da tarde. 
Local: Centro Mineiro de Referência em Resíduos – CMRR 
Rua Belém, 40 – Esplanada / Belo Horizonte 
Período das aulas: 31 de agosto a 15 de dezembro de 2009 
Informações: (31) 3465- 1222 ou pelo e-mail curso3rspcs@cmrr.mg.gov.br

19/08/2009 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente | , , , , , , , | Deixe um comentário

Governo Aécio Neves e Microsoft promovem Seminário Internacional de Resíduos Eletroeletrônicos – especialista participaram do Painel Políticas Públicas, ação na gestão dos resíduos

Especialistas participam do painel sobre Políticas PúblicasCerca de 350 pessoas acompanharam, nesta quinta-feira (13), o painel ‘Políticas Públicas’ no segundo dia do Seminário Internacional de Resíduos Eletroeletrônicos que acontece no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR), em Belo Horizonte. O evento é promovido pelo Governo Aécio Neves por meio da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam) com apoio da Microsoft Brasil e busca apresentar as soluções que vem sendo adotadas em diversos países na destinação adequada deste tipo de resíduos.

O presidente da Feam, José Cláudio Junqueira, destacou o trabalho realizado em Minas Gerais, único estado do país a possuir um Diagnóstico da Geração de Resíduos Eletroeletrônicos e um dos poucos estados brasileiros a contar com uma Política Estadual de Resíduos Sólidos, detalhada na Lei 18.031, aprovada em janeiro de 2009. Ele observa que o Brasil ainda não possui uma política nacional de resíduos sólidos, discussão que tramita na Câmara dos Deputados há quase 20 anos.

No caso dos resíduos eletroeletrônicos, desde dezembro de 2008, um Grupo de Trabalho instituído pela Sistema Estadual de Meio Ambiente (Sisema) se dedica à elaboração de uma proposta de normatização a ser apresentada em 2010 ao Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama). “Regulamentar a destinação por cadeias é essencial para a formulação de políticas eficientes”, afirma José Cláudio Junqueira.

Dentre as ações desenvolvidas em Minas Gerais, Junqueira destaca o Projeto 3RsPCs – Resíduos Eletrônicos, iniciativa pioneira do Governo do Estado desenvolvida pela Feam no CMRR. Desde setembro de 2008 vem sendo buscadas soluções para a destinação ambientalmente adequada dos resíduos de equipamentos eletroeletrônicos. Uma dessas ações é o treinamento de alunos no recondicionamento de equipamentos descartados pela administração pública estadual que, após a recuperação, são doados para escolas. “É uma forma de integrar a sociedade no processo, capacitar pessoas e reaproveitar equipamentos que se tornariam resíduos”, explica o presidente da Feam.

O gerente de Programas Ambientais Urbanos da Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente, Marcos Bandini, ressaltou a necessidade de serem criados espaços semelhantes ao CMRR em todo o país. “A criação de locais para integração da sociedade e de uma política nacional para a destinação adequada de resíduos são essenciais para a definição de metas para estabilização da geração de resíduos”, afirma. “A meta é que nos próximos cinco anos sejam definidos esses mecanismos”, completou.

Experiência européia

O consultor internacional de resíduos eletroeletrônicos e gerente de negócios do Instituto de Morfologia aplicada em Zurique, Peter Bornand, destacou a experiência suíça na implantação de sistemas de logística reversa. Ele observa que, desde 1994, as empresas suíças vêm desenvolvendo e implantando mecanismos para reabsorção dos resíduos gerados pelo descarte pelos consumidores. “A legislação surgiu em 1998 e incorporou as experiências existentes, o que facilitou a assimilação por todos”, afirma. Bornard observou que a implantação desses mecanismos pela União Européia enfrenta dificuldades, já que cada país possui realidades diferentes. “É uma situação semelhante ao que se observa no Brasil”, destaca.

A programação do seminário inclui ainda, na parte da tarde desta quinta-feira (13), apresentações de experiências de sistema de gestão e logística reversa destinadas a facilitar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos aos seus geradores, para que sejam tratados ou reaproveitados. O português Ricardo Neto, presidente da European Recycling Platform, apresentará o trabalho desenvolvido em Portugal e na Espanha na gestão de resíduos como pilhas e eletroeletrônicos. Daniel Ott, da Swiss Federal Laboratories for Materials Testing and Research (EMPA), apresentará as ações que vem sendo desenvolvidas na América Latina e Caribe, onde é o coordenador de atividades de REEs.

O Seminário Internacional de Resíduos Eletroeletrônicos acontece até o dia 14 de agosto no CMRR (rua Belém, nº 40, bairro Esplanada). A programação completa está disponível nos sites www.feam.br e http://www.seminarioree.com.br.

14/08/2009 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente, Responsabilidade Social Corporativa | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Governo Aécio Neves coordena o 1º Seminário Internacional de Resíduos Eletroeletrônicos, em Belo Horizonte

Começa nesta quarta-feira (12), em Belo Horizonte, o 1º Seminário Internacional de Resíduos Eletroeletrônicos (REE). A abertura do evento será às 19h, no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR), com a presença do presidente da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), José Cláudio Junqueira, e da vice-presidente do Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), Dulcejane Vaz. O encontro será realizado até 14 de agosto e reunirá especialistas em resíduos eletroeletrônicos do Brasil e do mundo. 

Na abertura, será assinado um Protocolo de Intenção para implantação do projeto piloto de gestão de resíduos eletroeletrônicos em Belo Horizonte. O compromisso será firmado entre a Feam e a Associação de Usuários de Informática e Telecomunicações de Minas Gerais (Sucesu/MG). O projeto estabelecerá uma parceria, inicialmente, com 25 empresas que irão repassar equipamentos como computadores, telefones, celulares e impressoras em desuso para a Feam que, dentro do projeto 3RsPCs – Resíduos Eletroeletrônicos, dará um destino ambientalmente responsável ao material. 

O Servas e a Microsoft também irão assinar um Termo de Cooperação Técnica com o objetivo de apoiar o projeto 3RsPCs, desenvolvido pela Feam e que busca soluções ambientalmente adequadas para os resíduos eletroeletrônicos, fomentando a formulação de políticas públicas relacionadas ao tema. Entre as ações apoiadas pela Microsoft está o curso de Montagem, Manutenção e Recondicionamento de Computadores, voltado para jovens vindos de escolas públicas. 

Após a solenidade de abertura, o ex-diretor do sistema suíço de gestão de REE, Peter Bornand, e o representante do laboratório Suíço Empa (Swiss Federal Laboratories for Materials Testing and Research), Daniel Ott, discutirão a problemática dos resíduos eletroeletrônicos no mundo. 

O Seminário Internacional de Resíduos Eletroeletrônicos é uma realização da Feam, em parceria com o CMRR e a Microsoft. O objetivo é promover a discussão entre os diversos setores relacionados à gestão de resíduos eletroeletrônicos e a troca de experiências nacionais e internacionais, abordando temas como políticas públicas, sistemas de gestão, tecnologias e consumo consciente. Mais informações sobre o evento e a programação no site: http://www.seminarioree.com.br. 

Serviço 

Evento: 1º Seminário de Resíduos Eletroeletrônico 
Data: 12 a 14 de agosto de 2009 
Local: CMRR, rua Belém, nº 40, bairro Esplanada, Belo Horizonte 
Informações: http://www.seminarioree.com.br

13/08/2009 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente | , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário