Minas Sustentável

Meio Ambiente, cidades sustentáveis

Andrea Neves divulga balanço de atividades do Servas

Ex-presidente do Servas prestou conta das atividades realizadas durante o período de 11 anos que ficou à frente da entidade.

Ações sociais

Fonte: Em.com.br 

Servas divulga balanço das atividades realizadas sob a presidência de Andrea Neves

Um balanço dos mais de 10 anos em que Andrea esteve à frente do Servas, com destaque para iniciativas voltadas ao atendimento de crianças, jovens e idosos em MG

Mais de uma década de ação social, trabalhos voltados para a infância, jovens e idosos, valorização da cultura, reciclagem de lixo e apoio a diversas entidades, entre outras frentes de solidariedade. O Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), complemento do governo de Minas em políticas públicas, divulga um balanço das atividades realizadas desde 2003 sob a presidência de Andrea Neves da Cunha, que transferiu o posto para a mulher do vice-governador Alberto Pinto CoelhoCélia Pinto Coelho. Satisfeita com os resultados, Andrea afirma que foi um período “muito intenso e de aprendizagem”, bem como favorável à criação de programas para transformar a vida de milhares de famílias.

Logo no início, explicou a ex-presidente do Servas, a providência foi mudar o foco, deixando de lado o atendimento individual para desenvolver projetos e programas. “Em 11 anos, apoiamos entidades sociais como a Apae e instituições de longa permanência para idosos. Minas tem uma rede de entidades que trabalha de forma muito séria e, dessa forma, atuamos em parceria”, disse Andrea, lembrando que foram criados programas na sua gestão como o Digna Idade, dirigido aos idosos; Valores de Minas, para fortalecer a autoestima dos jovens; Centros Solidários de Educação Infantil, brinquedotecas hospitalar e móvel, VitaVida e outros.

Andrea demonstra um carinho especial pelo Digna Idade, que apoiou 479 instituições de longa permanência para idosos em 422 municípios, fazendo pequenas reformas, adquirindo equipamentos e capacitando 2.413 gestores e cuidadores, com benefício indireto para mais de 18 mil pessoas. “O Servas tem uma equipe de profissionais diferenciada e tenho certeza de que Célia Pinto Coelho vai ampliar os programas”, acrescentou.

Em janeiro de 2003, o Servas, Coordenadoria de Defesa Civil (Cedec/MG) e poder público estadual deram a largada no Movimento Minas Solidária, que arrecadou mais de 2,1 milhões de donativos para os flagelados das chuvas e construiu 953 moradias para famílias desabrigadas. Em 2007, 76 famílias vítimas de terremoto em Itacarambi, na Região Norte, receberam casas mobiliadas.

No período de 11 anos, o Programa de Apoio a Entidades contemplou 3.451 instituições com doação de equipamentos. Aos conselhos tutelares, por exemplo, foram destinados 141 veículos. Voltado para a formação cidadã dos jovens, o Valores de Minas recebeu cerca de 5 mil alunos para cursos e vivências artísticas e culturais em teatro, circo, música, dança e artes visuais e hoje se soma ao Plug Minas, projeto pioneiro voltado para a juventude.

Conforme levantamento do Servas há, atualmente, 19 municípios mineiros com unidades do Centro Solidário de Educação Infantil, construções com área de 700 metros quadrados totalmente equipadas e que se somam às brinquedotecas móveis (224 entregues a hospitais públicos, centros de educação infantil e unidades da Apae). Foram construídas cinco brinquedotecas hospitalares na Santa Casa de Belo Horizonte (duas em cada ala pediátrica), no Hospital Infantil João Paulo IIHospital da Baleia e no Centro Psíquico de Adolescência e Infância (Cepai).

NOVAS VOZES Com o Vozes do Morro, o trabalho de dezenas de artistas de vilas e aglomerados da Região Metropolitana de Belo Horizonte pôde ser divulgado, o que colaborou para a criação de novas referências de valores em muitas comunidades. No setor de nutrição, uma nova tecnologia de desidratação de alimentos, desenvolvida peloPrograma VitaVida, ampliou o trabalho feito na primeira fábrica para mais três unidades, possibilitando a distribuição de 17 milhões de refeições gratuitas para cerca de 750 entidades no estado.

Criado em articulação com a Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, o Centro Mineiro de Referência em Resíduos, contou Andrea, desenvolve um projeto pioneiro com cooperativas de catadores de material reciclável em todo o estado – beneficia 77 organizações e cerca de 1,5 mil catadores. Atua em parceria com diversas prefeituras em todas as regiões de Minas, com implantação da coleta seletiva e inclusão socioprodutiva dos catadores.

Nesses 11 anos, destacou Andrea, o Servas criou e desenvolveu campanhas de sensibilização da sociedade, entre elas a direcionada a famílias que têm parentes desaparecidos e vivem um drama; a Proteja Nossas Crianças, que buscou mobilizar esforços em defesa dos direitos de meninos e meninas; e a de Valorização do Idoso.

Anúncios

22/01/2014 Posted by | Política | , , , , , , , | Deixe um comentário

Andrea Neves integrará equipe de comunicação

2014: Aécio disse que a irmã “vai assessorar e ajudar a trazer ideias”.

Eleições 2014: Aécio presidente

Fonte: Folha de S.Paulo

Irmã de Aécio deixa cargo para entrar na campanha

Andrea fará parte da equipe de comunicação 

Irmã do senador Aécio Neves (PSDB-MG), a jornalista Andrea Neves antecipou sua saída da presidência do Servas (Serviço Voluntário de Assistência Social), cargo que ocupava desde 2003, para entrar na campanha do irmão.

O tucano afirmou ontem que Andrea já atua em campanhas há mais de 20 anos e “vai assessorar, ajudar a trazer ideias”.

A jornalista integrará a equipe de comunicação da campanha, mas não deverá ser a coordenadora, segundo a assessoria do senador.

“Nós achamos que há um esgotamento desse modelo centrado num único marqueteiro”, disse o deputado Marcus Pestana, presidente do PSDB de Minas. “Andrea vai ter uma participação essencial nesse sentido de uma coordenação colegiada.”

10/01/2014 Posted by | Política | , , , , , | Deixe um comentário

Andrea Neves: gestão social do Vozes do Morro rompe barreiras

Andrea Neves: gestão social do Vozes do Morro eleva produção musical e transforma a vida de artistas das comunidades.

Andrea Neves: gestão, justiça social e promoção da cultura

Fonte: Agência Minas e Minas em Pauta

Iniciativa do Servas promove qualificação dos músicos e divulgação dos trabalhos autoriais na RMBH; programa já impulsionou carreira de 47 artistas desde 2008

Andrea Neves

Andrea Neves em evento do Voz do Morro

Samba, pagode, rock, black music, rap, sertanejo e funk. A diversidade musical é uma das marcas do programa Vozes no Morro, ação do Governo de Minas e do Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas) em parceria com o Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão de Minas Gerais(Sert-MG) e Sebrae-MG. A iniciativa valoriza e divulga a produção artística de moradores de vilas, favelas e aglomerados da Região Metropolitana de Belo Horizonte, tendo como orientações privilegiar o ineditismo e promover a inclusão cultural.

“O Vozes do Morro é um programa de democratização, que cria oportunidades e rompe barreiras. A música, com seu poder aglutinador, dá o tom de uma ação que mobiliza centenas de pessoas, abrindo janelas por onde podemos nos enxergar melhor, e porta por onde podemos nos aproximar mais uns dos outros”, enfatiza a presidente do Servas, Andrea Neves.

O programa cria condições para realizar projetos autorais, antes restritos às comunidades nas quais estavam inseridos. Desde 2008, o Vozes do Morro já ajudou a impulsionar a carreira de 47 artistas, por meio da divulgação de clipes e spots nas emissoras de rádio e TV do Estado.

Os selecionados trilham caminhos próprios, com agenda de shows cheia e gravação de CDs com vasto repertório. Em alguns casos, como aconteceu com o cantor e compositor Tom Nascimento, da cidade de Santa Luzia, o artista passa a ser referência nas comunidades e até inicia uma carreira internacional.

Após participar da edição de 2008 do programa, Tom Nascimento fez apresentações na Itália,França e Inglaterra. “Ingressei no Vozes do Morro para fortalecer minha produção artística e o trabalho autoral”, frisa o músico, que já integrou o grupo Berimbrown e se apresentou na abertura do novo Mineirão. Atualmente, Tom Nascimento está na turnê do CD que conta com a participação de grandes nomes da música brasileira, como Chico César.

Porém, Andrea Neves destaca que, muito além de uma carreira bem-sucedida, a proposta do Vozes do Morro é valorizar a produção cultural das comunidades. “Temos histórias maravilhosas de sucesso. Mas costumo ressaltar que nosso objetivo não é esse, embora também seja muito importante. Nossa intenção é fazer com que ele possa reforçar, na comunidade, laços de afeto e de identidade cultural entre os moradores”, esclarece.

A iniciativa oferece ainda cursos de formação gerencial, em parceria com o Sebrae-MG, preparando os artistas para a administração de suas carreiras. O curso “O nosso negócio é música” é inédito, desenvolvido especialmente para o programa e obrigatório para os selecionados, com aulas teóricas e práticas. A capacitação também abrange noções de mercado, estratégias de marketing e técnicas de negociação, entre outras disciplinas.

Aspirantes ao sucesso

Selecionada para a última edição do Vozes do Morro, a dupla sertaneja Douglas e Leon, da Vila Pinho (Barreiro), em Belo Horizonte, está certa de que terá grandes oportunidades na carreira. “Um amigo me apresentou e disse que ia fazer nossa inscrição. O Vozes do Morro abriu muitas portas para nós. Ficarmos mais conhecidos, principalmente em Belo Horizonte, e os pedidos para shows têm aumentado”, conta Leon.

O gosto pela música vem de família. O pai de Leon era sanfoneiro e, desde cedo, o sertanejo aprendeu tocar instrumentos. Seu parceiro, Douglas, tinha uma banda de forró. “Depois que ele começou a cantar sertanejo eu o chamei para fazer uma parceria em 2010”, lembra Leon, que ainda revela que, com a projeção, a dupla planeja gravar um CD com músicas inéditas.

Quem também teve contato com o universo da música desde pequeno é Fábio Lúcio, conhecido como Fabinho do Terreiro, do bairro Esplanada, em BH. O sambista, que tem em Paulinho da Viola, Ataulfo Alves, Candeia e Milton Nascimento suas principais referências, começou a tocar cavaquinho aos 14 anos, depois de ganhar o instrumento de presente da sua mãe. Em seguida, passou a se apresentar na capital e a frequentar rodas de samba.

Com mais de 25 anos de carreira, Fabinho enaltece a inédita divulgação do seu trabalho. “Foi a primeira vez que tive um clipe sendo executado na televisão”, frisa. “Isso me deu uma grande projeção musical. O projeto valoriza as pessoas da periferia, da favela, o músico que não tem recursos”, acrescenta o músico ao destacar o lado social da iniciativa.

Um dos integrantes do grupo Raça DMCs, Carlos Rodrigues de Souza, da cidade de Betim, revela que, por acaso, uma abordagem sobre a igualdade social o aproximou do programa. “Eu não queira seguir a careira a artística. Teve um trabalho na escola e resolvemos falar sobre o rap e a igualdade social. O trabalho teve uma boa repercussão e as pessoas me incentivaram a continuar. Resolvi arriscar e deu tudo certo”, recorda.

Coroação do trabalho

Na última quarta-feira (28), 12 artistas solo e bandas selecionados pelo Programa Vozes do Morro em 2011 e 2012 apresentam show no Teatro Alterosa, em Belo Horizonte. O governador Antonio Anastasia participou do evento e destacou a importância do programa por levar ao conhecimento do público artistas antes restritos às suas comunidades.

“O Vozes do Morro tem o objetivo de identificar talentos que são tantos, milhares e milhares. O mais importante é reconhecer o talento firme de todos aqueles que têm possibilidade de cantar, mas que, muitas vezes, não tinham acesso aos meios de comunicação. Agora vamos reavaliar e avançar ainda mais”, afirmou Anastasia.

Além de Douglas e Leon, Fabinho do Terreiro e Raça DMCs, os artistas que se apresentaram no Teatro Alterosa foram: ADS (Aliados do Senhor), Fabinho do Terreiro, Sem Meia Verdade, Lúcio Monteiro, Marcello Matos, Nascidos do Samba, Raça DMCs, Ralfe Rodrigues, Rannah, Tambor do Matição, Vanderli e Wardel.

O programa recebeu o apoio de padrinhos conhecidos como Fernanda Takai, do Pato Fu; Flávio Venturini, Rogério Flausino, do Jota Quest; Samuel Rosa, do Skank; Vander Lee, Lô Borges, o Renegado, Tianastácia, André Valadão e Victor e Leo.

04/09/2013 Posted by | Gestão Social, Justiça Social | , , , , , , | Deixe um comentário

Andrea Neves apresenta projetos sociais a Viviane Senna

Andrea Neves apresentou o programa Valores de Minas a Viviane Senna, presidente do Instituto Airton Senna, e Gabriel, o pensador.

Andrea Neves: Valores de Minas

Fonte: Agência Minas

Viviane Senna e Gabriel, o Pensador visitam Valores de Minas

 Andrea Neves apresenta projetos sociais a Viviane Senna

Servas recebeu, nesta quinta-feira, (12), Viviane Senna, que preside o Instituto Airton Senna e o cantor e compositor Gabriel, o Pensador no Valores de Minas, programa que integra o Plug Minas – Centro de Formação e Experimentação Digital, no Bairro Horto em Belo Horizonte.

“É um exemplo essa área onde funcionava a Febem transformado em espaço de vida, de desenvolvimento, que oferece oportunidades e condições para o crescimento de tantas pessoas”, disse a presidente do Instituto Airton Senna, uma organização não governamental que executa programas educacionais visando a redução do analfabetismo, a reprovação e o abandono escolar em escolas públicas.

O Instituto está presente em cerca de um quinto dos municípios em todos os estados brasileiros explicou Viviane. Para ela, a questão social não é responsabilidade só dos órgãos públicos, mas responsabilidade de toda a sociedade “Temos que somar esforços nessa tarefa conjunta e assim, com certeza, teremos mais chances de sucesso”, disse.

Para Gabriel, o Pensador, o Valores de Minas é uma inspiração. “É importante que a garotada não esteja na rua, à toa. Vimos que o trabalho realizado na música, na dança, com a linguagem certa, no espírito do projeto, junto com os professores é de verdadeiros artistas. É bom perceber que estão não só curtindo, tendo a oportunidade de uma formação verdadeira como cidadãos”, ressaltou.

presidente do ServasAndrea Neves da Cunha, lembrou a importância das pessoas que trabalham com responsabilidade pelo país e o Instituto Airton Senna como uma referência. A visita da Viviane Senna “é motivo de muita alegria, por seu interesse em conhecer o Valores de Minas, que acolhe jovens de escolas públicas, que é o mesmo público do Instituto Ayrton Senna. O trabalho realizado aqui é feito com muito afeto e com muito respeito, e afeta não só esses jovens, mas também as famílias deles, elevando a autoestima de cada um”.

Plug e Valores de Minas

O primeiro núcleo do Plug Minas, Valores de Minas, foi criado em 2005 pelo Governo de Minas e pelo Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas) e oferece, a cada ano, a mais de 500 estudantes da rede pública oportunidades de crescimento por meio de oficinas artístico-culturais de teatro, circo, dança, música e artes plásticas. Todos todo o material para participar do Programa, como uniforme, vale-transporte e refeições.

Nos demais núcleos do Plug Minas, estudantes de 14 a 24 anos do ensino médio de escolas da rede pública do Estado desenvolvem competências e atividades para lidar com os mais variados aspectos da tecnologia e da cultura digital. Eles participam de atividades educacionais totalmente gratuitas, como produção de áudio, vídeo, design gráfico, empreendedorismo, teatro, dança, desenvolvimento de games, entre outros. Atende cerca de 3 mil pessoas, entre jovens e professores como nos Núcleos Oi Kabum, Empreendedorismo Juvenil, Sebrae e Inove – Jogos Digitais.

06/03/2013 Posted by | Desenvolvimento Social | , , , , , | Deixe um comentário

Servas estimula uso de energia inteligente em Minas

Andrea Neves disse que projeto atua em favor do meio ambiente, 508 entidades serão beneficiadas com a instalação de aquecedores solares.

Gestão eficiente: energia inteligente

Energia Inteligente atende a mais de 200 instituições em Minas

Servas

Servas

Desde 2009, o Servas em parceria com a Cemig, realiza o projeto Energia Inteligente, que tem como objetivo gerar mais conforto a pessoas atendidas por Instituições de Longa Permanência Para Idosos (ILPI). A ação consiste na substituição, feita pela concessionária de energia, de chuveiros elétricos por sistemas de aquecimento solar de água.

Desde o início do projeto já foram beneficiadas 216 instituições em 182 municípios. A instalação dos aquecedores solares está prevista para ser realizada em 508 entidades, com investimento total de R$ 29 milhões.

A economia gerada por meio da utilização do sistema de aquecimento solar proporciona investimentos em infraestrutura, alimentação e outras atividades que melhorem a qualidade de vida dos idosos que vivem nessas instituições.

“Essa é uma iniciativa que visa apoiar as nossas entidades sociais, ajudando a construir um ambiente com mais conforto e segurança, além de propiciar economia no consumo de energia,  o que termina por também contribuir com a preservação do meio ambiente”, disse a presidente do Servas, Andrea Neves, no lançamento do programa.

Para Maria Cleuza Justino de Campos, presidente da Casa de Repouso Ana Souza e Silva, que fica em Santa Luzia, “os equipamentos de aquecimento solar ajudaram e muito na rotina da Casa, hoje os idosos podem tomar um banho quente com mais conforto e economia para a instituição”, destaca Cleuza.

O Lar dos Idosos Santa Terezinha, em São José da Lapa, é uma das instituições beneficiadas. Segundo o coordenador, Lauro Souza Marques, “com o aquecimento solar melhorou o conforto, e não existem problemas, antes freqüentes, como a queima de chuveiros e o gasto excessivo com energia elétrica”, ressaltou o coordenador. Ele explicou que, “irá gerar uma economia de cerca de 40% com energia que será revertida em benfeitorias para o Lar, como uma nova pintura”.

Para participar do projeto as instituições devem estar localizadas na área de abrangência da Cemig e serem cadastradas no Servas. O Cadastro pode ser feitoon line pelo link http://www.servas.org.br/termo-adesao-eficiencia-energetica/termo-adesao-eficiencia-energetica.aspx.

05/03/2013 Posted by | Desenvolvimento sustentável | , , , | Deixe um comentário

Gestão sustentável: Anastasia cria programa para catadores

Gestão sustentável: Anastasia cria Bolsa Reciclagem que remunera associações e cooperativas por ações na reciclagem de materiais.

Gestão sustentável: Anastasia e o Bolsa Reciclagem

Aecio: Facebook – visite a página do senador: O endereço do perfil é http://www.facebook.com/AecioNevesOficial

Fonte: Agência Minas

 Anastasia cria programa sustentável para catadores

Governo Anastasia: Bolsa reciclagem remunera associações e cooperativas por ações de sustentabilidade na reciclagem de materiais

Minas Gerais será o primeiro estado do Brasil a remunerar catadores de materiais recicláveis

Governador Anastasia anunciou medida durante a abertura do 11º Festival Lixo e Cidadania, que acontece entre os dias 22 e 26 de outubro no CMRR

O governador Antonio Anastasia anunciou, na noite de segunda-feira (22/10), que Minas Gerais será, a partir do próximo mês de dezembro, o primeiro estado do país a pagar a Bolsa Reciclagem, uma remuneração às associações e cooperativas de catadores de materiais recicláveis pelos serviços ambientais prestados. O anúncio foi feito na abertura do 11º Festival Lixo e Cidadania, no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR), em Belo Horizonte.

“Ao fazermos a efetivação do pagamento da Bolsa Reciclagem, nós estamos, tão somente reconhecendo o trabalho realizado por centenas e milhares de pessoas, que, com seu suor e seu empenho, estão modificando o panorama das nossas cidades, com muita dignidade, muito esforço, mas, sobretudo, com muita dedicação. Por isso, nós só podemos agradecer, e de maneira muito singela e modesta, retribuir um pouco através do pagamento desse benefício, dessa bolsa”, ressaltou Antonio Anastasia.

O Programa Bolsa Reciclagem foi instituído por lei aprovada pela Assembleia Legislativa e sancionada pelo governador. Para 2012, a previsão é de investimento de R$ 3 milhões pelo Governo Antonio Anastasia, repassados a partir da apuração dos materiais comercializados pelas organizações no terceiro e quarto trimestre deste ano. O incentivo será concedido trimestralmente às cooperativas e associações, sendo que 90% serão destinados aos catadores. O restante poderá ser utilizado para despesas administrativas, infraestrutura, equipamentos, formação de estoque de materiais recicláveis e capacitação de associados.

Antonio Anastasia afirmou que o Programa Bolsa Reciclagem é instrumento inovador de valorização dos catadores e um reconhecimento da importância da atividade para o meio ambiente. O governador destacou, ainda, a importância do movimento de catadores, não só para o governo, mas paraMinas Gerais e o Brasil, pois, com ela alia sustentabilidade ambiental, geração de renda e dignidade.

“Agora, com os primeiros passos sendo dados, tenho a mais absoluta certeza de que teremos aqui um modelo que certamente será levado aos outros estados, aprimorado, para que nós também possamos aprender, e o resultado seja cada vez mais de inclusão e de reconhecimento desse trabalho”, disse.

As associações ou cooperativas terão de manter atualizados os dados cadastrais no Estado, serem reconhecidas pelo comitê gestor do Bolsa Reciclagem e apresentar relação de repasses feitos aos beneficiados. O cálculo da remuneração terá por base as notas fiscais ou recibos emitidos por empresas compradoras dos materiais.

O CMRR cadastrou 119 organizações (1.561 catadores) de todo o Estado, das quais 59 (1.167 catadores) foram aprovadas pelo comitê gestor para o primeiro pagamento. Na primeira fase do programa, será remunerada a coleta de papel, plástico, vidro e metal. Outro benefício esperado é o incremento da cadeia produtiva da indústria de transformação, com atração de novos empreendimentos.

A implantação do Programa Bolsa Reciclagem acontece paralelamente a várias ações desenvolvidas pela Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), a fim de incentivar a gestão integrada de resíduos sólidos urbanos. Alguns exemplos são a implantação de coleta seletiva nos municípios, elaboração do Plano Estadual de Resíduos Sólidos e a formação de consórcios intermunicipais para a gestão compartilhada de resíduos sólidos urbanos.

Fim dos lixões

O governador Antonio Anastasia lembrou que Minas Gerais está em estágio avançado na meta de, até 2014, erradicar os lixões ainda existentes e estimular a criação de organizadores de materiais recicláveis.

“Em 2014, nós vamos poder anunciar, em alto e bom som, que o Brasil cumpriu a lei federal, e que, em Minas e nos outros estados não teremos mais lixões, mas, sim, dignidade dos catadores”, afirmou o governador.

Levantamento realizado pelo CMRR indica que, dos 350 municípios mineiros que já acabaram com lixões, 184 cidades adotaram programas de coleta seletiva e inclusão produtiva dos catadores, e 19 estão em processo de implantação.

Até o final deste ano, a previsão do CMRR é extinguir lixões em outros 49 municípios, sendo 17 no Vale do Jequitinhonha, 15 na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), 11 no Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba e seis no Noroeste do Estado.

Também participaram da solenidade de abertura do 11º Festival Lixo e Cidadania o ministro-chefe da Secretaria-geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho; o embaixador da Espanha no Brasil, Manuel de la Cámara Hermoso, o presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, deputado Dinis Pinheiro, o secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Adriano Magalhães, e a presidente do Servas, Andrea Neves, entre outras autoridades.

Festival

O 11º Festival Lixo e Cidadania é um dos mais importantes eventos para o debate sobre coleta seletiva e inclusão social no país. Nesta edição, está sendo discutido o futuro na gestão dos resíduos sólidos urbanos no Brasil, com inclusão socioprodutiva dos catadores, partindo de quatro vertentes:legislação, financiamento, desenvolvimento econômico e inclusão social e tecnologia.

Até sexta-feira (26/10), o festival oferece uma programação, que inclui seminários, debates, discussões em grupos, apresentações teatrais de catadores e ex-moradores de rua, além de shows de artistas, que orientam seus trabalhos pela ideia da reciclagem musical.

O evento reunirá diferentes públicos em torno de uma causa maior: perspectiva sociocultural consciente e propositiva acerca da abrangência do tema Lixo e Cidadania, promovendo encontros em defesa da diversidade e do reconhecimento afirmativo das culturas e das diferentes formas de empreendedorismo, tendo como foco a organização dos catadores de material reciclável.

Estão sendo exibidos produtos fabricados a partir de materiais recicláveis como instrumento de inclusão produtiva, e trabalhos de valorização das comunidades próximas ao CMRR com exposição de materiais produzidos por moradores, apresentação de coral e desfile de moda com peças costuradas por eles; erradicação do trabalho infantil na catação; e discussão sobre população de rua.

O festival é realizado pelo Instituto de Referência em Resíduos (IRR); Fórum Estadual Lixo e Cidadania; Instituto Nenuca de Desenvolvimento Sustentável (Insea); Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR); Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), Feam, CMRR e Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas); e Ministério da Cultura.

Governo Anastasia: Bolsa Reciclagem – Link da matéria: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/multimidia/galerias/minas-gerais-sera-o-primeiro-estado-do-brasil-a-remunerar-catadores-de-materiais-reciclaveis/

24/10/2012 Posted by | Política | , , , , , , , , , , , , , , | Comentários desativados em Gestão sustentável: Anastasia cria programa para catadores

CMRR recebe inscrições para curso gratuito de recondicionamento de computadores

Até o próximo dia 5 de maio estão abertas no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR), as inscrições para a seleção das novas turmas do curso gratuito de Montagem, Manutenção e Recondicionamento de Computadores. Os interessados devem ter idade entre 16 e 29 anos, ter concluído ou estar cursando o ensino médio em escola pública e possuir conhecimentos de informática básica.

Atualmente estão abertas inscrições para duas turmas, a serem compostas por 20 participantes cada. As aulas serão ministradas no turno da manhã (8h30 às 12h) e à tarde (13h30 às 17h). As aulas serão ministradas entre os dias 16 de maio a 6 de julho. As inscrições podem ser feitas pelo site do Comitê para Democratização da Informática (CDI): http://www.cdimg.org.br.

Os candidatos inscritos farão teste seletivo que será realizado no dia 10 de maio, das 9h às 12h e das 14h às 17h30, de acordo com o turno selecionado pelo inscrito. Os conteúdos avaliados serão: português, matemática e noções de informática.

Durante as aulas os alunos aprendem a trabalhar com hardware, recebem noções de meio ambiente e conhecem os riscos que os resíduos de computadores representam, caso sejam mal geridos. Os computadores recondicionados são destinados a instituições que prestam serviços sociais, com o objetivo de ampliar a inclusão digital. Os computadores que não puderem ser reaproveitados são encaminhados para o descarte ambientalmente adequado.

Realizado no CMRR desde setembro de 2008 o curso é uma ação do Projeto 3RsPCs – Resíduos Eletroeletrônicos, iniciativa do Governo do Estado através da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam) e do Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR), na busca de soluções ambientalmente adequadas para os resíduos de equipamentos elétricos e eletrônicos (REEE). A qualificação engloba, também, um módulo de empregabilidade e empreendedorismo, no qual os alunos são preparados para posterior encaminhamento ao mercado de trabalho.

Ao todo o curso já qualificou 156 jovens para o mercado de trabalho. No ano passado foram abertas seis turmas, através dos quais 83 participantes concluíram as atividades, de um total de 120 pessoas inicialmente inscritas. A partir do segundo semestre do ano passado, o curso organizado pelo CMRR passou a oferecer 80 vagas por semestre, ao invés de apenas 40. De um total de 177 computadores recebidos, 157 foram recondicionados e doados a instituições carentes.

Capacitação técnica

O Centro Mineiro de Referência em Resíduos é uma iniciativa inédita no país gerenciada pelo Governo de Minas, através da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) e da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), em parceria com o Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas). Trata-se de um centro irradiador de conhecimentos, experiências e capacitação técnica que foi criado em resposta à necessidade de um novo modelo de gestão integrada de resíduos, estimulando uma nova cultura de valores e atitudes ambientalmente corretas dos setores público e privado, terceiro setor, comunidade acadêmica e sociedade civil.

O CMRR está instalado na avenida Belém, nº 40, bairro Esplanada, em Belo Horizonte. Informações mais detalhadas sobre o curso podem ser obtidas através do site http://www.cmrr.mg.gov.br – e-mail: cmrr@cmrr.mg.gov.br ou do telefone (31) 3465-1200.

15/04/2011 Posted by | Meio Ambiente | , , , , , | Deixe um comentário

Oficinas de férias do Centro Mineiro de Referência em Resíduos vão até 28 de janeiro

As oficinas de férias no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR) começaram na manhã desta terça-feira (12), com muito entusiasmo e novidade. As atividades, que inicialmente foram idealizadas para o público infantil, atraíram um grande público adulto. A primeira oficina aconteceu na cozinha experimental do CMRR, com o tema “Reaproveitamento de Alimentos”, atraindo cerca de 30 alunos nos turnos da manhã e tarde.

Os alunos prepararam bolo de laranja com casca, suco da horta feito com talos de couve, limão e suco de maracujá e pão de milho americano. Sob a orientação da estagiária de nutrição, Larissa Bruschi, as crianças aproveitaram a oportunidade para desenvolver as habilidades em um local geralmente frequentado pelos adultos, a cozinha.

Além de auxiliar as crianças, os adultos aprenderam também como evitar o desperdício e tornar os pratos ainda mais nutritivos. A aluna Alice Kin ficou surpresa em saber que pode-se fazer um bolo com a casca da laranja. “Sempre joguei a casca dos alimentos fora, achei excelente aprender a utilizá-los”, relatou. O coordenador do Programa Portas Abertas, Daniel Gonçalves, achou a experiência de interação entre crianças e adultos muito válida. “É com os adultos que as crianças aprendem a cozinhar e propiciar este momento de troca foi uma experiência muito válida”, avaliou.

As oficinas continuam com várias modalidades. Elas acontecem até o dia 28 de janeiro, nos turnos da manhã (9h às 11h) e tarde (14h30 às 16h30). O CMRR fica na avenida Belém, 40, esquina com avenida dos Andradas, no bairro Esplanada. Mais informações e inscrições pelo telefone (31) 3465-1227.

Oficinas de Férias – Janeiro de 2010

12/01

Oficina Aproveitando Alimentos

Descrição: “Mao na massa” para aprender aproveitar integralmente os alimentos

Horário: 9h às 11h

Idade: A partir de 9 anos

13/01 (Inscrições encerradas)

Oficina: Confecção de Papel Artesanal

Descrição: Confecção de papel artesanal a partir do reaproveitamento de papeis obsoletos.

Horário: 9h às 11h e 14h30 às 16h30

Idade: a partir dos 7 anos

14/01

Oficina: Conexões Complexas

Descrição: Dinâmicas em equipe para a discussão da “Teia da Vida”

Horário: 9h às 11h e 14h30 às 16h30

Idade: a partir dos 12 anos

19/01

Oficina Mosaico

Descrição: Confecção de Mosaicos a partir do reaproveitamento de embalagens.

Horário: 9h às 11h

Idade: a partir dos 12 anos

20/01

Oficina Confecção de Papel Artesanal

Descrição: Confecção de papel artesanal a partir do reaproveitamento de papeis obsoletos.

Horário: 9h ás 11h e 14h30 às 16h30

Idade: a partir dos 7 anos

21/01

Oficina Vaso Pet

Descrição: Confecção de vasos de planta com reaproveitamento de garrafas pet. Após a construção dos vasos, as crianças aprenderão a plantas as mudas.

Horário: 9h às 11h

Idade: a partir de 10 anos

26/01

Oficina Compostagem doméstica

Descrição: Aprenda a transformar, em casa, o lixo orgânico em adubo.

Horário: 9h às 11h e 14h30 às 16h30

Idades: A partir de 12 anos

27/01

Oficina Confecção de Papel Artesanal

Descrição: Confecção de papel artesanal a partir do reaproveitamento de papeis obsoletos.

Horário: 9h às 11h e 14h30 às 16h30

Idade: a partir dos 7 anos

28/01

Oficina Vaso Pet

Descrição: Confecção de vasos de planta com reaproveitamento de garrafas pet. Após a construção dos vasos, as crianças aprenderão a plantas as mudas.

Horário: 9h às 11h e 14h30 às 16h30

Idades: A partir de 10 anos

13/01/2010 Posted by | Ação Sustentável, Meio Ambiente | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Governo Aécio Neves com apoio do Centro Mineiro de Referência em Resíduos educa jovens para questões da sustentabilidade

Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR) capacitou cerca de mil jovens em diversos cursos e oficinas oferecidos gratuitamente à população em 2009.  Os cursos formaram jovens para atuar no mercado de trabalho no gerenciamento de resíduos, inclusive da construção civil, na montagem de computadores a partir de equipamentos considerados obsoletos, promoveu a inclusão digital e as oficinas da Cozinha Experimental e da Cozinha Brasil disseminaram informações sobre o aproveitamento integral de alimentos e novos hábitos alimentares dentro dos princípios do consumo consciente.

Para a realização do Curso Técnico em Meio Ambiente, o CMRR fez parceria com a Fundação de Educação para o Trabalho de Minas Gerais (Utramig).  Foram 1.383 jovens inscritos para as 70 vagas oferecidas e a formatura da primeira turma está prevista para agosto. O objetivo do curso é promover a melhoria da qualidade de vida, a geração de novas oportunidades de trabalho e renda, o estímulo, a reflexão e a incorporação de valores e atitudes ambientalmente corretas, além da criação de iniciativas voltadas para a pesquisa, ensino e extensão em resíduos sólidos.

Com uma carga horária de 1.300 horas/aula, sendo 900 horas em sala e 400 horas de estágio curricular supervisionado, o curso integra o Programa de Educação Profissional (PEP) desenvolvido peloGoverno Aécio Neves, que busca atender a necessidade do mercado de trabalho por mão de obra qualificada. Há previsão de início de nova turma ainda este ano.

O Curso de Gestão e Negócios de Resíduos, que aconteceu no CMRR durante o primeiro semestre de 2009, possibilita o engajamento de jovens na atividade de gestão de resíduos ou de empreendedor capaz de criar seu próprio negócio, atuando com reciclagem e/ou reaproveitamento de resíduos. Por meio dessa iniciativa, o CMRR busca potencializar o papel do jovem na melhoria da qualidade socioambiental do Estado. Em 2009, 60 alunos foram capacitados e o curso já formou, desde 2007, 339 alunos.

Telecentro Comunitário

Os telecentros são espaços públicos providos de computadores conectados à internet em banda larga, onde são realizadas atividades, por meio do uso das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs), com o objetivo de promover a inclusão digital e social das comunidades atendidas.

O programa visa contribuir prioritariamente, com a formação cidadã de jovens em situação de risco social ou em conflito com a lei, por meio de um conjunto de atividades de educação ambiental, inclusão digital e de geração de emprego e renda, denominado Programa Oportunidade Legal (Olé).  Foram oferecidas vinte vagas, dez pela manhã, outras dez a tarde, e todos os alunos foram encaminhados pela Vara Infracional do Tribunal de Justiça de Minas Gerais. Após dois meses de curso, treze jovens receberam seus certificados. Com o apoio das parcerias estabelecidas pelo programa, cinco jovens serão contratados pela Associação Municipal de Assistência Social (Amas) e dois pela Associação Profissionalizante do Menor (Assprom). Novas turmas estão sendo estruturadas pelo Tribunal de Justiça para serem desenvolvidas no Telecentro do CMRR este ano.

Construção Civil

A meta do Curso de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil é transformar resíduos gerados nas construções em oportunidades de trabalho e renda. O curso aborda os impactos da construção civil nos aspectos econômico, social e ambiental; as regulamentações mais atuais que indicam os caminhos básicos para a correta gestão de resíduos da construção civil; as etapas da boa gestão de resíduos; a classificação dos tipos de resíduos gerados pelas obras; os respectivos tratamentos ou disposições indicados pelas normas técnicas e identifica os principais itens constituintes de um Plano de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil (PGRCC). Foram 80 vagas divididas em duas turmas. Os foram realizados entre os meses de outubro e novembro e as aulas totalizaram uma carga horária de 40 horas/aula, capacitando 45 alunos.

3RsPCs

O 3RsPCs é voltado para alunos de escolas públicas, com idade entre 16 a 29 anos. Os jovens aprendem sobre hardware enquanto recondicionam máquinas obsoletas que são doadas visando à ampliação da inclusão digital. No primeiro semestre de 2009, 36 alunos concluíram o curso de manutenção, montagem e recondicionamento de computadores. No segundo semestre, 28 jovens se formaram. No total, o curso já formou 99 alunos e a maioria deles já foi inserida no mercado de trabalho.

Para 2010, o curso será oferecido a 80 jovens, em quatro turmas,duas no primeiro semestre e duas no segundo, e haverá o Curso Prático de Desmontagem e Triagem de Resíduos Eletroeletrônicos, para catadores de materiais recicláveis. Serão duas turmas ao longo do ano, uma por semestre, totalizando 20 vagas. Os dois cursos farão parte do Projeto Piloto GR3E – Gestão de Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrônicos (REEE), que será implementado no CMRR este ano.

Cozinha Experimental

A Cozinha Experimental realizou 28 oficinas com 732 pessoas em 2009. A Cozinha Experimental do CMRR é um espaço criado para estimular a mudança de comportamento e dos hábitos alimentares, dentro dos princípios do consumo consciente e combate ao desperdício. O destaque foi o projeto Chefs do Amanhã, parceria das Centrais de Abastecimento de Minas Gerais (Ceasa), Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), CMRR e da Prodal Banco de Alimentos, que se uniram para desenvolver cursos de capacitação para jovens, com enfoque no repasse de dicas de alimentação saudável e receitas econômicas e nutritivas. Foram 333 jovens beneficiados pelo programa. O número superou as expectativas que era de beneficiar 300 jovens até o final deste ano 2009.

Outra oficina que com grande público foi a Cozinha Brasil. Com o objetivo de elevar a qualidade de vida, visando uma alimentação de alto valor nutricional e baixo custo, foram realizadas sete oficinas e 209 pessoas foram atendidas. A cozinha também ofereceu capacitação aos Amigos da Escola e às cantineiras de escolas públicas.

08/01/2010 Posted by | Ação Sustentável, Cidadania, Meio Ambiente, Responsabilidade Social | , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Compromisso ambiental de Aécio Neves faz com que Governo de Minas assine protocolo de intenção para implementação do projeto piloto de gestão de resíduos eletroeletrônicos em Belo Horizonte

Durante a abertura do Seminário Internacional de Resíduos Eletroeletrônicos no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR) nessa quarta- feira (12) foi assinado protocolo de intenção para implantação do projeto piloto de gestão de resíduos eletroeletrônicos em Belo Horizonte. O compromisso foi firmado por Aécio Neves por meio da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam) e pela Associação de Usuários de Informática e Telecomunicações de Minas Gerais (Sucesu).

Previsto para acontecer ao longo de 2010, o projeto estabelecerá uma parceria, inicialmente, com 25 empresas que irão repassar equipamentos como computadores, telefones, celulares e impressoras em desuso para a Feam, que dentro do projeto 3RsPCs – Resíduos Eletroeletrônicos, dará um destino ambientalmente responsável ao material.

De acordo com a coordenadora do projeto 3RsPCs, Susane Meyer, os equipamentos recebidos serão separados de acordo com o estado de aproveitamento. “Uma parte será utilizada no curso de recondicionamento de computadores que já é oferecido periodicamente no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR) para jovens provenientes de escolas públicas”, explicou. Os equipamentos recondicionados serão doados com o objetivo de ampliar a inclusão digital de pessoas de baixa renda.

Os materiais não recondicionados serão enviados para o curso prático de processamento de resíduos eletroeletrônicos (REE), que será oferecido aos catadores de materiais recicláveis também no CMRR. Os materiais serão, então, destinados de maneira ambientalmente adequada para indústrias recicladoras de plástico, metal, placas de circuito impressos e empresas que tratam de tubos de raios catódicos dos monitores de computadores. “Tudo será quantificado e acompanhado para que se conheçam as melhores possibilidades de destinação desses resíduos e para que se tenha um controle de todo o processo”, acrescentou Susane.

De acordo com o presidente da Sucesu, Márcio de Souza Tibo, a assinatura do protocolo simboliza a união entre o Governo de Minas e a sociedade civil na busca por soluções adequadas ambientalmente e economicamente viáveis para a questão dos resíduos eletroeletrônicos. “O esforço conjunto entre o 3RsPCs e a Suceso trará vários benefícios às empresas e usuários de informática e à população” declarou.

Cooperação com a Microsoft Brasil
Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), presidido por Andrea Neves, e a Microsoft também assinaram um termo de cooperação técnica com o objetivo de apoiar o projeto 3RsPCs, desenvolvido pela Feam. O projeto busca soluções ambientalmente adequadas para os resíduos eletroeletrônicos, fomentando a formulação de políticas públicas relacionadas ao tema.

Entre as ações apoiadas pela Microsoft está o curso de Montagem, Manutenção e Recondicionamento de Computadores, voltado para jovens vindos de escolas públicas. O trabalho é voltado para jovens vindos de escolas públicas que aprendem a trabalhar com hardware enquanto efetivamente recondicionam máquinas obsoletas de prédios do Governo do Estado. Os alunos também aprendem sobre noções de meio ambiente e sobre os riscos dos resíduos eletroeletrônicos se mal geridos.

O projeto tem como objetivo promover a disseminação de políticas voltadas para a destinação social e ambientalmente correta desses resíduos, fomentando a formulação de uma legislação específica para o setor no Estado, além de estimular o desenvolvimento de pesquisas voltadas para o reaproveitamento e reciclagem de resíduos eletroeletrônicos (REE).

Segundo informações do diretor de Assuntos Coorporativos da Microsoft Brasil, Rodolfo Fucher, há no Brasil cerca de 40 milhões de computadores pessoais (PCs) da empresa instalados. “A cada ano novos 10 milhões chegam ao mercado e cerca de 2 milhões são descartados. Por isso a Microsoft apóia a iniciativa da Feam, Servas e CMRR, por meio do Projeto 3RsPCs, para que essa grande quantidade de resíduos gerada tenha uma gestão adequada”, disse.

“Há toda uma cadeia que envolve fabricantes, importadores, revendedores e os consumidores. Queremos que toda a cadeia seja envolvida na solução da questão. As políticas públicas que estão sendo elaboradas pelo Governo de Minas em parceria com a sociedade civil visam levar ao Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama) uma proposta de norma que abranja todos os envolvidos”, informou o presidente da Fundação Estadual do Meio Ambiente, José Cláudio Junqueira.

Seminário apresenta soluções para resíduos eletroeletrônicos
Nesta quinta-feira (13/08), no segundo dia do Seminário Internacional de Resíduos Eletroeletrônicos, as propostas de políticas públicas e os sistemas de gestão e logística reversa serão abordadas pelos especialistas reunidos em Belo Horizonte.

A partir de 9h, no painel ‘Políticas Públicas’, o presidente da Feam, José Cláudio Junqueira, apresenta as iniciativas pioneiras do governo de Minas Gerais que integram as ações do Projeto 3RsPCs – Resíduos Eletrônicos que vem sendo realizadas pela Feam no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR).

Também participam o gerente de Programas Ambientais Urbanos da Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente, Marcos Bandini; o consultor internacional de resíduos eletroeletrônicos e gerente de negócios do Instituto de Morfologia aplicada em Zurique, Peter Bornand; a consultora de gestão de resíduos urbanos, resíduos tecnológicos, resíduos especiais e políticas públicas, Ângela Rodrigues; o diretor da Área de Responsabilidade Socioambiental da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), André Saraiva.

A partir de 14 horas, no painel ‘Logística Reversa e Sistemas de Gestão’ serão apresentadas as ações destinadas a facilitar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos aos seus geradores, para que sejam tratados ou reaproveitados. O português Ricardo Neto, presidente da European Recycling Platform, apresentará o trabalho desenvolvido em Portugal e na Espanha na gestão de resíduos como pilhas e eletroeletrônicos. Daniel Ott, da Swiss Federal Laboratories for Materials Testing and Research (EMPA), apresentará as ações que vem sendo desenvolvidas na América Latina e Caribe, onde é o coordenador de atividades de REE. O diretor executivo do Conselho de Logística Reversa do Brasil (CLRB), Paulo Roberto Leite, a pesquisadora da Universidade do Estado de São Paulo (USP), Nívea Reidler e Benami Waisberg, da Recitec.

O Seminário Internacional de Resíduos Eletroeletrônicos tem patrocínio da Microsoft Brasil e acontece entre os dias 12 e 14 de agosto no CMRR (rua Belém, 40, bairro Esplanada). A programação completa está disponível nos sites www.feam.brwww.seminarioree.com.br.

13/08/2009 Posted by | Meio Ambiente | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário