Minas Sustentável

Meio Ambiente, cidades sustentáveis

Contradições do governo Pimentel foram mostradas pelo Sindifisco-MG

Sindifisco publicou um anúncio no qual afirma que, enquanto mantém privilégios para alguns,  governo do PT quer aumentar em 52% o ICMS da energia elétrica para os setores de comércio e serviços e em 12% da telefonia residencial, celular e TV paga.

Ao mesmo tempo Fernando Pimentel distribui benefícios fiscais a grandes contribuintes de produtos farmacêuticos, abrindo mão de receber até R$ 50 milhões por contribuinte beneficiado.

Fonte: PSDB-MG


Sindifisco denuncia que Pimentel coloca conta do ajuste fiscal para consumidor e pequenas empresas

Sindifisco denuncia que Pimentel coloca conta do ajuste fiscal para consumidor e pequenas empresas. Reprodução.

Sindifisco chama a atenção da população para contradições do governo do PT

Para entidade, governo de Fernando Pimentel escolhe o consumidor e a pequena empresa para pagar a conta do ajuste fiscal

As contradições do governo do petista Fernando Pimentel também estão sendo mostradas pelo Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual de Minas Gerais (Sindifisco-MG) em campanha veiculada nas emissoras de rádio e nos jornais do estado.

Nesta terça-feira (22/09), por exemplo, o Sindifisco publicou um anúncio, no qual afirma que, enquanto o governo do PT envia projeto de lei à Assembleia Legislativa aumentando em 52% o ICMS da energia elétrica para os setores de comércio e serviços e em 12% da telefonia residencial, celular e TV paga, ao mesmo tempo distribui benefícios fiscais a grandes contribuintes de produtos farmacêuticos, abrindo mão de receber até R$ 50 milhões por contribuinte beneficiado.

Cidadão castigado por erros do PT

Quando o projeto de aumento de ICMS, de autoria do governador Fernando Pimentel, foi enviado à ALMG, os deputados do bloco parlamentar Verdade e Coerência, que reúne cinco partidos de oposição, entre eles o PSDB, se posicionaram contra o aumento de impostos. Para os deputados oposicionistas, o cidadão não pode ser castigado por erros de gestão do atual governo do PT em Minas, que inchou a máquina pública com a criação de secretarias e cargos de alto escalão.

Por solicitação do deputado tucano Gustavo Valadares, líder da Minoria, quarta-feira (23/9), às 10 horas, a Comissão de Minas e Energia vai realizar Audiência Pública para discutir o projeto que propõe o aumento na alíquota do ICMS da energia da classe comercial e de serviços.

Em 2015, os mineiros estão pagando 42,46% a mais pela energia da Cemig. Porém, a depender do consumo, o consumidor pode pagar até 51% a mais, em virtude da bandeira vermelha.

Confira anúncio publicado pelo Sindifisco MG

Sindifisco denuncia que Pimentel coloca conta do ajuste fiscal para consumidor e pequenas empresas

Anúncios

23/09/2015 Posted by | Política | , , , , , | Deixe um comentário